Notícia

Ambiente Já

Setor sucroenergético ganha centro de pesquisa em SP

Publicado em 31 agosto 2011

Será lançado durante a feira Fenasucro & Agrocana, que será realizada entre 30 de agosto e 2 de setembro, em Sertãozinho, o Centro de Pesquisa das Indústrias do Setor Sucroenergético.

A iniciativa é do Programa de Estudos em Agronegócios (AgroFEA) da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto (Fearp) da Universidade de São Paulo (USP), campus de Ribeirão Preto, em parceria com a Central Nacional das Indústrias do Setor Sucroenergético e Biocombustíveis e a Prefeitura Municipal de Sertãozinho.

O objetivo do Centro será fornecer a empresários e gestores de políticas públicas mais ferramentas de análise do setor sucroenergético para a tomada de decisões, por meio da coleta e análise trimestral de informações industriais das empresas fornecedoras do setor sucroenergético, principalmente o de máquinas e equipamentos para as usinas de açúcar, álcool e bioeletricidade.

Segundo o professor Maurício Jorge Pinto de Souza, do Departamento de Economia da Fearp e um dos coordenadores do AgroFEA, o setor sucroenergético é um dos mais importantes da economia regional, porém carece de ferramentas de auxílio de planejamento e análise.

?Esperamos obter ferramentas de apoio à tomada de decisão e uma fonte de informação sobre expectativas e tendências que contribua para análises e decisões por parte dos empresários e entidades de classe para direcionar a atuação da política pública?, disse Souza.

?Também queremos contribuir para a formação dos alunos de graduação por meio do envolvimento nas práticas de extensão universitária e contato direto com os agentes do setor sucroenergético?, completou.

A evolução trimestral do setor será avaliada por meio de seis indicadores: o índice de confiança, que já está em andamento desde o início de 2011; a utilização da capacidade instalada, que descreverá a capacidade de produção operacional das empresas do setor; emprego, que acompanhará a evolução dos postos de trabalho no setor; horas trabalhadas na produção, que permitirá acompanhar o total de horas trabalhadas pelo pessoal empregado pelo setor; faturamento, que avaliará a receita líquida do setor; e, finalmente, massa salarial, que determinará a variação no poder de compra dos trabalhadores da indústria.

A pesquisa será realizada por meio de questionários aplicados aos gestores das principais empresas do setor. Os resultados serão divulgados de maneira agregada e em forma de índices, o que permitirá analisar o comportamento do setor ao longo dos períodos.

Mais informações: www.ribeirao.usp.br

Fonte: Agência Fapesp