Notícia

Folha de S. Paulo - Vale (São José dos Campos)

Setor recebe R$ 5 milhões para melhorias

Publicado em 27 julho 2007

A Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) investiu R$ 5 milhões na ampliação de laboratórios do Senai de Campinas, especializado na classificação, testes e controle de vinhos, e em cursos de capacitação e treinamentos para produtores, operadores e enólogos do setor vitivinícola do Estado de São Paulo.

Segundo o vice-presidente da Fiesp, João Guilherme Ometto, a iniciativa partiu da criação de um grupo de pesquisadores e produtores de uva para colocar o setor entre os centros produtores de uva e vinho de qualidade no Brasil e no mundo. "Esse programa surgiu de uma demanda do Departamento de Agronegócio da Fiesp em parceria com a Fapesp e entidades do setor. Estamos concluindo a primeira etapa hoje com este evento", disse Ometto.

O workshop 'Revitalização da Cadeia Vitivinícola Paulista: Sustentabilidade, Governança e Competitividade' foi realizado na última quarta-feira em São Roque e contou, além da Fiesp, com especialistas do setor ligados aos principais centros de pesquisa do Estado - Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Embrapa, Instituto de Economia Agrícola (IEA), Instituto de Tecnologia dos Alimentos, Instituto Agronômico de Campinas (IAC) - produtores de uva e vinho, Secretaria Estadual da Agricultura e prefeituras locais. O objetivo do workshop é a retomada da produção do vinho em São Paulo em níveis que coloquem o Estado na liderança do setor.

Foram divulgados os resultados da primeira fase do projeto que durou seis meses - de fevereiro a julho - e baseou-se na atualização de cadastro dos produtores, definição dos elos da cadeia produtiva, viveiros e mudas e definição do perfil do produtor de uva e vinho. Os membros do grupo também querem implementar o turismo na região vinícola do Estado.

A próxima etapa, com prazo de dois anos, visa identificar os elos da cadeia dos municípios - São Roque, São Miguel Arcanjo, Jundiaí e Jarinu - envolvidos no programa com objetivo de nortear e definir políticas públicas para o setor. Na terceira etapa os resultados serão aplicados pelas prefeituras parceiras do projeto.

O gerente do Departamento de Ação Regional da Fiesp, Fausto Longo, salientou que este projeto é importante para transformar o diálogo em cumplicidade ética entre os envolvidos. "Reunidos, temos maior representatividade para que nossa voz seja ouvida. Para isso, é importante o envolvimento dos pesquisadores e de políticas públicas voltadas para a uva no Estado de São Paulo."