Notícia

Alagoas na Net

Sesc recebe a Exposição Xilentropias do contemporâneo ao cibernético

Publicado em 31 julho 2018

Do contemporâneo a interatividade pós-moderna. A obra do artista Judivan Lopes traz temas impregnados de personagens da ancestralidade afrodescendentes e de tipos étnicos populares do nordeste brasileiro, expressões da resistência cultural e sociopolítica.

A exposição traz para a Galeria de Arte da Unidade Sesc Centro a Exposição Xilentropias. Uma obra de idas e vindas, de trabalho e retrabalho na busca do formato, da forma, do método, técnica e temas. Aberta à visitação de 17 de agosto a 28 de setembro, a mostra permitirá ao público sensações, emoção, reflexão ou articulações de ideias reflexivas. O trabalho de Judivan Lopes, é uma forma de arte que é possível interagir com a tecnologia da sociedade atual.

Sobre o artista

Judivan Lopes é alagoano, além de artista é professor, pesquisador e doutor em Processos e Procedimentos Artísticos. Desde 1985 vem expondo trabalhos em variado meio: do bidimensional ao tridimensional sempre na busca de estética com poéticas contemporâneas seja no trabalho de cunho pessoal ou na produção com coletivos artísticos. O artista possui uma ampla convivência com arte, com suas vivências na capital paulistana, onde Foi bolsista Fapesp entre 2000 e 2001, Orientado pela Profa. Dra. Mirian Celeste Mrtins; Trabalhou com Ensino de Arte na rede pública de educação do Estado de São Paulo de 1990 a 2010;Assistente Técnico Pedagógico de Arte na Diretoria de Ensino Região de Itapecerica da Serra/SP de 2004 a 2006 e Coordenador de Oficina Pedagógica de Arte na Diretoria de Ensino Região de Taboão da Serra/SP de 2008 a 2010.

Sobre a Exposição

Os trabalhos xilentropicos, apresentam elementos da composição da técnica tradicional da xilogravura harmonizada com processamento da computação e outros dispositivos preparados para garantir a interatividade. São peças com características hibridizadas por tecnologias tradicionais e emergentes, mestiçadas pelo artesanal com a eletrônica, com elementos do analógico e do digital. Instalações de arte tecnologia e interatividade, proporcionada pela cibernética. Três obras chamam a atenção: Chaminé, uma instalação com ferros de passar roupas, dispositivos para olhar, tocar e sopra, interatividade proporcionada pelas interfaces de sensores capacitivo e de fluxo; Zig Zig: acasalamento cibernético, representações de libélulas em que as asas são movimentadas por softwares de reconhecimento de padrões de identificação do gênero do fruidor; e Cabeça a Prêmio, dois grupos em confrontos sinalizados por feixes de luzes e tiros sonoros disparados por sensores de gestos, de ruídos e de proximidades. São Instalações artísticas para se aproximar, olhar, tocar, soprar e ouvir, estimular os sentidos e sensações, que convidam o público a se doar como parte integrante da obra numa relação multissensorial.

SERVIÇO

Exposição Xilentropias

Local: Galeria de Arte da Unidade Sesc Centro

Visitação: 17/08 a 29/09/2018

Horário: 12h às 18h

Informações: 3201-1374

Por Assessoria / Sesc Alagoas