Notícia

Prefeitura de Vitória

Servidor público ganha mais que o do setor privado, diz Unicamp

Publicado em 28 outubro 2009

Na escolaridade, a pesquisa aponta uma média de 11,9 anos de estudo e de 9,7 anos, respectivamente, para os empregados do setor público e privado

Os salários dos funcionários do setor privado com carteira assinada correspondem, em média, a apenas 62,6% dos salários dos servidores públicos estatutários. Esse é o resultado de pesquisa realizada no Instituto de Economia da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas), de São Paulo, com dados de 1992 a 2005.

No período analisado, o rendimento médio do funcionário público foi de R$ 1.298 contra R$ 771 dos trabalhadores do setor privado - ou seja, 62% do salário médio do servidor público. Em 1992, os funcionários do setor privado tinham rendimentos 20% inferiores aos recebidos por funcionários públicos.

Em 2005, essa diferença havia se ampliado para cerca de 36%. Em relação às mulheres, elas recebem 28,3% menos no setor público contra 22% no setor privado. Segundo a pesquisa, a discriminação por gênero na carreira pública está associada, em grande medida, a menor presença de mulheres nos altos cargos da administração.

Idade e escolaridade

Segundo Daniela Verzola Vaz, uma das autoras da pesquisa, o estudo revela que, em parte, o diferencial de rendimentos entre o setor público e o privado se deve à heterogeneidade entre essas duas categorias em relação às características produtivas. "Os empregados do setor privado com carteira assinada ganham menos principalmente porque são, em média, mais jovens e menos qualificados.

O ingresso precoce no mercado de trabalho, em atividades pouco qualificadas, contribui para o menor rendimento médio do grupo", explicou a pesquisadora à Agência Fapesp. A idade média dos funcionários públicos, em 2005, foi de 41,6 anos contra 32,5 anos para os empregados do setor privado. "Na carreira pública, a existência de requisitos mínimos de idade e formação torna restrito o ingresso de jovens pouco qualificados", disse.

Em relação à escolaridade, a pesquisa aponta uma média de 11,97 anos de estudo e de 9,79 anos, respectivamente, para os empregados do setor público e do setor privado com carteira assinada. Foram utilizados dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios). A pesquisa considerou pessoas com mais de dez anos de trabalho, divididos em dois grupos: funcionários públicos estatuários e empregados do setor privado com carteira assinada.