Notícia

Guarulhos Hoje

Serviços estaduais de Saúde do Idoso promovem lives de ginástica, culinária e artes

Publicado em 02 outubro 2020

Para celebrar o Dia Internacional do Idoso, comemorado em 1º de outubro, os serviços estaduais de referência e exclusivos para a população idosa organizaram lives nas redes sociais com aulas de ginástica, culinária e artesanato, além de palestras e orientações focadas na qualidade de vida desse público.

A finalidade é oferecer acolhimento aos idosos com práticas físicas, culturais, manuais e educativas, além de sensibilizar a sociedade para as questões do envelhecimento, além de incentivar o diálogo sobre a importância de proteger, cuidar e garantir a autonomia da população idosa no contexto da pandemia do novo coronavírus.

Conteúdos

A programação é diversificada, em quatros serviços (confira principais atividades abaixo). Alguns destaques estão no AME (Ambulatório Médico de Especialidades) Idoso Oeste, que, entre os dias 1º ao 6º, oferece jogos, palestras e cursos, como oficinas de WhatsApp e de culinária, aula de yoga e de dança, auriculoterapia (terapia natural que consiste na estimulação de pontos nas orelhas) e palestra sobre gerontologia, entre outros.

A programação é exclusiva para os pacientes da unidade, que podem participar das atividades presencial ou virtualmente – as oficinas também serão transmitidas pelas plataformas online (Link: encurtador.com.br/douOP ).

O Instituto Paulista de Geriatria e Gerontologia (IPGG) “José Ermírio de Moraes” realiza apresentação musical ao vivo online nesta sexta-feira (2), às 14h30, com um quarteto de MPB (Música Popular Brasileira). Exercícios também são incentivados na programação, com aula programada para o dia 14 de outubro, às 15h. Quem quiser pode acompanhar tudo na página oficial do Instituto no Facebook ( www.facebook.com/ipggjem/live ).

Atividades serão transmitidas também através do canal do Centro de Referência do Idoso da Zona Norte (CRI Norte) no YouTube ( www.youtube.com/crinorte ), com lives de educação física, dança contemporânea e pilates, além das oficinas de tie dye, padaria artesanal e o teatro Corpo e Alma, com uma minissérie em cinco capítulos chamada “O Mundo Parou, mas eu não quero descer!”.

A equipe do AME Idoso Sudeste preparou uma exposição de fotos no interior da unidade, que será mantida no decorrer do mês e poderá ser prestigiada pelos pacientes, acompanhantes e profissionais de saúde. Há também informativos e roda de conversa que possibilidade que pacientes e familiares deem seus relatos sobre o envelhecimento.

“Promover conscientização, ações e boas práticas na atenção à população idosa é sempre importante, ainda mais em tempos de isolamento social. É nosso papel fazer com que o idoso se sinta acolhido”, afirmou a coordenadora do Programa Estadual de Saúde do Idoso, Cláudia Fló.

As comemorações integram o “Outubro Prateado”, campanha da Coordenadoria de Saúde do Idoso da Secretaria de Estado da Saúde em parceria com alunos de Geriatria da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP) e com o serviço de Geriatria do Hospital das Clínicas da FMUSP. Com o tema “Querer bem não tem fronteiras”, o foco das é reforçar a independência e a valorização do idoso.

Aplicativo

Um aplicativo de jogos para idosos, desenvolvido com apoio do Programa Fapesp Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (Pipe) – da Fundação de Amparo à Pesquisa do estado de São Paulo – com o objetivo de treinar as habilidades cognitivas, como memória e raciocínio, e de melhorar o condicionamento físico, ganhará uma nova funcionalidade, segundo reportagem da Agência Fapesp . O programa será utilizado para monitorar a saúde dos usuários em isolamento social em razão da pandemia de COVID-19.

O projeto, conduzido pela empresa paulista ISGAME, em São Paulo, foi um dos seis primeiros selecionados em edital lançado pelo Pipe-Fapesp em parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), para apoiar o desenvolvimento de produtos, serviços ou processos criados por startups e pequenas empresas de base tecnológica no Estado de São Paulo, voltados ao combate da covid-19.

“A ideia é que por meio de uma pulseira ou de um relógio conectados ao aplicativo seja possível registrar os batimentos cardíacos e o número de passos dados em casa pelo usuário, por exemplo”, disse Fabio Ota, pesquisador responsável pelo projeto, à Agência Fapesp.

De acordo com Ota, a partir do histórico de dados de saúde do usuário, o aplicativo, batizado de “Cérebro Ativo”, vai gerar um relatório que poderá ser enviado, por exemplo, a um médico ou a familiares do idoso que estiver em confinamento social.