Notícia

DCI

Serra recua e defende Azeredo das acusações sobre o mensalão tucano

Publicado em 27 setembro 2007

O governador de São Paulo, José Serra (PSDB), defendeu ontem o senador Eduardo Azeredo (PSDB) após a cerimônia de posse de Celso Lafer na presidência da Fapesp. "Não há mensalão mineiro e nem houve. Azeredo é um homem íntegro, honesto e um grande caráter", disse.

A defesa de Serra ocorreu dois dias após ele mesmo ter dado uma declaração cautelosa sobre o envolvimento de Azeredo no caso do mensalão tucano e no dia em que foi publicada uma entrevista em que o senador afirmou que o seu caso tem relação com a campanha para a reeleição de Fernando Henrique.

Ontem, Serra também ressaltou que o comportamento do seu partido na condução do assunto está correto e que é preciso aguardar o pronunciamento da Procuradoria Geral da República e a defesa do senador, caso haja a denúncia. A Polícia Federal já apontou o esquema tucano como o exemplo seguido no mensalão do primeiro mandato do governo do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, mas o procurador-geral ainda não apresentou a sua denúncia, que é esperada para os próximos dias.

Questionado sobre o orçamento estadual para 2008, o governador afirmou que R$ 517 milhões serão destinados para a área de pesquisas, representando um aumento de 20% da verba do estado, comparada a de 2002. As demais prioridades serão definidas pela Assembléia e pela comunidade, por meio de audiências públicas agendadas para outubro e novembro. "O que podemos garantir é que estas prioridades abrangem todas as áreas, inclusive, as áreas de cooperação com o setor privado, como é o caso do etanol", concluiu Serra.


Lafer assume a Fapesp

Celso Lafer, professor titular da Faculdade de Direito da USP, assumiu ontem a presidência da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo em cerimônia na qual esteve presente, ao lado de Serra, o prefeito da capital, Gilberto Kassab (DEM), além de outras autoridades. A instituição, criada há 45 anos, possui 1% da receita tributária do estado. As pesquisas ambientais serão uma das prioridades do novo presidente. "Antes de qualquer declaração do governo federal, o etanol é um tema de grande importância para a Fapesp. Temos trabalhado e pesquisado sobre a área. Aliás, posso dizer com muito gosto, que São Paulo está à frente destes estudos", afirmou Lafer.