Notícia

Agência C&T (MCTI)

Serra decreta três dias de luto oficial em São Paulo pela morte de Ruth Cardoso

Publicado em 25 junho 2008

Por Elaine Patricia Cruz

São Paulo - O governador de São Paulo, José Serra, decretou luto oficial de três dias por causa da morte da antropóloga e ex-primeira-dama Ruth Cardoso. Em nota à imprensa, o governador definiu Ruth Cardoso como “uma pessoa muito especial” e “um exemplo de dignidade, delicadeza, inteligência e carinho pelas pessoas”.

“É uma dor imensa a que sinto nesse momento. Nossa, como vai fazer falta...”, diz o governador ao final da nota.

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, também decretou luto oficial de três dias no município e disse que “Dona Ruth significou sempre para todos os que a conheceram um exemplo da mulher contemporânea, capaz de conciliar uma intensa atividade pública como intelectual, pesquisadora e docente a uma vida familiar que era exemplo de austeridade, retidão e grandeza”. Kassab também exaltou o programa Comunidade Solidária, “um projeto importantíssimo que se enraizou no país e que será uma herança genuína e duradoura ao lado de sua importante obra acadêmica”.

A morte de Ruth Cardoso também foi lamentada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-SP), pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e pelo Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp).

“Ela deixa um legado para o povo brasileiro, tanto intelectual quanto de cunho social”, diz nota da OAB, que lembra do trabalho da ex-primeira-dama com o Programa Comunidade Solidária e a criação do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap) “considerado um divisor de águas  na pesquisa social do Brasil”.

Para a Fapesp, o programa Comunidade Solidária foi um “verdadeiro marco em termos de uma nova visão das políticas sociais em nosso país”. A fundação lembrou que Ruth Cardoso foi professora universitária e pesquisadora vinculada à instituição.

O presidente da instituição Celso Lafer, que assina a nota, relembra de sua amizade com a ex-primeira-dama. “Não poderia deixar de mencionar, pessoalmente, a amizade que por longos anos tive o privilégio de manter com Ruth Cardoso, cujo conselho tantas vezes busquei na minha vida acadêmica e pública, bem como minha admiração sincera de seu conjunto de virtudes que a tornou uma pessoa especial”.

Já Paulo Skaf, presidente da Fiesp e da Ciesp, diz que Ruth Cardoso foi “responsável pela mudança de conceito no exercício da condição de primeira-dama” e “eliminou o eterno assistencialismo, praticando solidariedade e justiça ao criar os mais dignos programas sociais na história brasileira”.