Notícia

JC e-mail

Seminário vai debater oportunidades na área da biotecnologia

Publicado em 03 junho 2011

O conhecimento gerado em pesquisas científicas desenvolvidas na universidade pode e deve ser transferido para uso pela indústria nacional. O resultado disso é o surgimento de produtos e processos inovadores e que tragam benefícios diretos para a saúde pública e a sociedade. É com esta proposta que Ribeirão Preto vai sediar de 6 a 8 de junho de 2011, a 5ª edição do Seminário sobre Rotas Tecnológicas da Biotecnologia no Brasil.

O evento bianual acontece no Centro de Convenções de Ribeirão Preto e vai reunir de um lado docentes, estudantes e pesquisadores, e de outro, empresários e investidores de todo o País, tendo como foco as rotas tecnológicas com potencial de desenvolvimento. A expectativa dos organizadores é reunir cerca de 500 participantes nesta edição, vindos de diferentes regiões e instituições. A última edição do evento contou com a participação de representantes de 13 estados, 40 empresas, 18 instituições e órgãos públicos e de 38 institutos de ensino e pesquisa diferentes.

O Seminário pretende discutir a Política de Desenvolvimento da Biotecnologia. Por isso mesmo, as palestras e os palestrantes participantes não apenas estão relacionados à estratégia nacional da biotecnologia, mas os projetos de pesquisa apresentados encontram-se em etapas já avançadas de desenvolvimento e que possuam potencial de mercado e investimento em curto prazo.

As palestras serão agrupadas em mesas temáticas, formadas por um pesquisador, um empresário com experiência na área e um representante do poder público. "Colocados frente a frente, o objetivo é levantar uma discussão sobre cada assunto, voltando-se para as tendências para a biotecnologia na visão dos pesquisadores, do empresariado e do poder público", diz a professora doutora da Faculdade de Economia e Administração da USP Ribeirão Preto (FEARP/USP), Geciane Porto, coordenadora do Seminário.

As mesas tratarão dos seguintes temas: Biotecnologia Vermelha - Aplicações em Saúde Humana; Biotecnologia Verde - Aplicações Agrícolas e Alimentares; Marco Regulatório e Fomento; Biotecnologia Branca - Aplicações Industriais e Ambientais; Biotecnologia no Mundo: a visão dos pesquisadores brasileiros no exterior e Biotecnologia no Brasil: a visão dos empreendedores brasileiros.

Segundo o Ministério da Ciência e Tecnologia, a biotecnologia reúne um conjunto de tecnologias utilizadas em diversos setores da economia e que têm em comum o uso de organismos vivos, ou partes deles, como células e moléculas, para a produção de bens e serviços. "A biotecnologia é uma área promissora que impacta diversos segmentos, como saúde humana e animal, meio ambiente e industrial, assim como a sociedade como um todo", explica a professora Geciane Porto. Ainda segunda ela, fomentar estudos relacionados a esta área no Brasil é mais importante quando se considera a grande biodiversidade e os avanços que esses estudos poderão gerar para o desenvolvimento do País.

Eventos paralelos

O Seminário sobre Rotas Tecnológicas da Biotecnologia no Brasil será aberto no dia 6 de junho, às 19 horas, com a participação de autoridades do meio político e científico.

Paralelo ao Seminário sobre Rotas Tecnológicas da Biotecnologia no Brasil, o evento contará com diversas atividades com o objetivo de promover o contato entre empresas e pesquisadores, como as rodadas de negócios e o espaço interativo.

O espaço interativo empresas/instituições é uma área para interação entre representantes das empresas e instituições de fomento, governamentais e científicas participantes do seminário. O espaço será voltado, principalmente, a micro e pequenas empresas para fomentar os negócios inovadores.

Para a Rodada de Negócios 2011, será montado um portfólio com as demandas e ofertas de empresas de biotecnologia pertencentes à Supera, incubadora de empresas gerida pela Fipase (Fundação Instituto Pólo Avançado da Saúde de Ribeirão Preto) e ao Programa Prime (Primeira Empresa Inovadora) que demonstrem interesse em participar. A partir desse portfolio serão agendadas as reuniões entre as empresas e/ou investidores.

Durante as três últimas edições do seminário, a Supera realizou uma rodada de negócios em biotecnologia. No ano de 2007, foram realizadas 41 reuniões durante a rodada de negócios. E no ano de 2009, atraiu a participação de 15 empresas. Para esta edição, a expectativa é que no mínimo 20 empresas participem das rodadas.

O evento contará ainda com o Espaço INCTs, reservado para interação e atividades dos Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia aprovados no Edital 15/2008. Pelo edital, foram identificados 24 institutos com atividades relacionadas à biotecnologia que serão convidados a apresentarem seus projetos e resultados e a realizarem palestras no dia anterior ao início das palestras.

As inscrições vão até 5 de junho. O valor para se inscrever é: profissionais (R$ 80,00) e estudantes (R$ 40,00). Mais informaÇòes no site http://www.seminariobiotecnologia.com.br ou pelo telefone (16) 3013-4313 ou email: biotecnologia@fipase.org.br

Histórico

O Seminário sobre Rotas Tecnológicas da Biotecnologia no Brasil já contou com quatro edições, realizadas entre 2005 e 2009. Nesse período, o evento reuniu 1.250 participantes e firmou 45 parcerias entre empresas e instituições para a realização dos seminários, entre elas: CNPq, Capes, Fapesp, Agência Usp de Inovação, Sebrae-SP, Sebrae Nacional, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal. Todas as edições receberam o apoio do CNPq.

O seminário é coordenado por Geciane Porto, professora doutora do Departamento de Administração da FEARP/USP, coordenadora do InGTeC (Núcleo de Pesquisas em Inovação, Gestão Tecnológica e Competitividade) e coordenadora da D4 (Dimensão de Transferência de Tecnologia do INCT-if (Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Inovação Farmacêutica). Além de docente nos cursos de Pós-Graduação em Administração de Organizações da FEARP/USP, Administração da FEA/USP e Clínica Médica da FMRP, Geciane Porto coordena os projetos de Formação de redes cooperativas a partir de projetos de desenvolvimento tecnológico que resultaram em patentes; Patentes e spin-off como indicadores de desempenho tecnológico do campus da USP de Ribeirão Preto, entre outras. É graduada em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina (1990), mestre em Administração pela Universidade Federal de Santa Catarina (1992), doutora em Administração pela Universidade de São Paulo (2000) e livre docência pela FEARP/USP (2007).

Celulose Online

O projeto de pesquisa Fisiologia e potencial industrial de linhagens de Saccharomyces cerevisiae isoladas da biodiversidade brasileira dispõe de uma vaga.

O candidato deve ter doutorado em engenharia química, biotecnologia, farmácia/bioquímica, bioquímica, microbiologia ou áreas afins e apresentar experiência em metabolismo/fisiologia de leveduras. Também deve apresentar experiência na realização de cultivos de microrganismos em biorreator, em regime de quimiostato, preferencialmente em condições de plena anaerobiose, que será uma das ferramentas principais neste projeto.

Atribuições - O candidato ficará responsável pelas seguintes atividades: manutenção de um banco de leveduras em ultrafreezer a -80º C; realização de cultivos de diferentes linhagens de levedura em diferentes sistemas de cultivo (desde cultivos em placa até cultivos em biorreator em regime de quimiostato em plena anaerobiose); determinações analíticas envolvidas no estudo da fisiologia destas linhagens: cromatografia líquida de alto desempenho (HPLC), medida da fração molar de oxigênio e gás carbônico nos gases de entrada e saída do biorreator; determinações bioquímicas (por exemplo, a medida do teor de carboidratos de reserva na biomassa celular); microscopia óptica e medida da concentração celular; interpretação e tratamento de dados experimentais; desenho de novos experimentos; redação de artigos científicos e cossupervisão de alunos de mestrado e doutorado.

Candidatos devem enviar e-mail para Andreas Karoly Gombert (andreas.gombert@poli.usp.br), da Escola Politécnica (Poli) da USP, manifestando interesse e descrevendo como poderão contribuir para o desenvolvimento do projeto de pesquisa em que irão atuar. Favor também anexar curriculum vitae e os históricos escolares de doutorado, mestrado (quando houver) e de graduação, além de indicar os nomes e contatos de dois profissionais com quem trabalharam anteriormente, para que possam ser solicitadas cartas de recomendação. A data-limite para candidaturas é 10 de junho de 2011.

A vaga está aberta a brasileiros e estrangeiros. O selecionado receberá Bolsa de Pós-Doutorado da Fapesp (no valor de R$ 5.333,40 mensais), Reserva Técnica e Auxílio Instalação. A Reserva Técnica de Bolsa de PD equivale a 15% do valor anual da bolsa e tem o objetivo de atender a despesas imprevistas e diretamente relacionadas à atividade de pesquisa. O bolsista de PD, caso resida em domicílio diferente e precise se mudar para a cidade onde se localiza a instituição sede da pesquisa, poderá ter direito a um Auxílio Instalação. Mais informações sobre a Bolsa de Pós-Doutorado da Fapesp estão disponíveis em www.fapesp.br/bolsas/pd.

Outras vagas de Bolsas de Pós-Doutorado, em diversas áreas do conhecimento, estão publicadas no site Fapesp-Oportunidades, em www.oportunidades.fapesp.br.

(Agência Fapesp)