Notícia

Jornal da Unesp online

Seminário discute pesquisas para agronegócio paulista

Publicado em 31 outubro 2007

Evento em São Paulo prevê novos programas para o setor

Na terça-feira (30/10), ocorreu o seminário "Demandas para um programa de pesquisas dirigidas ao agronegócio paulista", na sede da Secretaria de Agricultura e Abastecimento (SAA), em São Paulo (SP). Organizado pela UNESP, USP, Unicamp, Fapesp e SAA, o evento visou o debate de temas relacionados aos grupos de pesquisas que atuam na área da Agricultura no Estado de São Paulo.

No início deste ano, o reitor Marcos Macari apresentou ao secretário de Agricultura, João Sampaio, uma proposta para o desenvolvimento de um programa de pesquisa que atendesse as necessidades do Estado. "Discutir programas de pesquisas é muito importante, pois existe a necessidade das universidades aprimorarem seu desenvolvimento científico", disse Macari.

Na ocasião, o diretor científico da Fapesp, Carlos Henrique Brito Cruz, ministrou a palestra "A importância da pesquisa para São Paulo liderar o agronegócio no hemisfério sul", que apresentou e discutiu dois programas voltados para a agricultura, mas que ainda aguardam para ser publicados no Diário Oficial do Estado de São Paulo. Os programas são "Pesquisa sobre Etanol de Cana-de-Açucar" — que recebe pesquisas relacionadas ao cultivo e colheita da cana, processos industriais, alcoolquímica, óleo e células de combustíveis, meio ambiente, entre outros; e "Pesquisa sobre mudança Climática Global" — para abrigar estudos nas áreas de modelamento do ecossistema, ciclo do carbono e nitrogênio, balanço radioativo atmosférico, saúde humana e efeitos antropogênicos. "Atualmente temos uma base boa, mas daqui a 20 anos poderemos estar numa situação menos favorável. Por isso precisamos investir em pesquisa na área da agricultura", disse Brito.

Na seqüência, o coordenador da APTA (Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios), João Paulo Feijão Teixeira, apresentou temas importantes para serem investigados, como a biodiversidade e a sustentabilidade ambiental da agropecuária paulista, sistemas de defesa sanitária vegetal e animal, zoneamento agrícola e monitoramento agrometeorológico e rastreabilidade. O primeiro passo foi dado, agora dependemos do esforço de cada instituição de cada ator" afirmou.

Além dos palestrantes, o seminário registrou as presenças do vice-reitor da USP, Franco Lajolo; do vice-governador e secretário de Estado, Alberto Goldman; da diretora técnica do Instituto de Botânica de São Paulo, Vera Lúcia Bononi; e outras autoridades.