Notícia

Portal TopGyn

Seminário celebra os 40 anos da Revista Baiana de Saúde Pública

Publicado em 04 agosto 2014

Por Secretaria do Estado da Saúde - Bahia

Para comemorar as quatro décadas de publicação continuada da Revista Baiana de Saúde Pública (RBSP), a Secretaria da Saúde do Estado (Sesab), por meio da Escola Pública de Saúde Pública realizou um seminário nesta sexta-feira, 1° de agosto, no Hotel Matiz, em Salvador.

De acordo com o secretário da Saúde do Estado, Washington Couto, a Revista conseguiu nestes anos de existência, posicionar a Bahia na vanguarda da difusão de estudos em saúde pública, principalmente pela incessante busca pelo conhecimento. "A Sesab tem envidado esforços nesta última década para apoiar os editores no desenvolvimento e transformação da revista, visando definir seu espaço como protagonista na era do conhecimento, em um mundo de crescente globalização", destacou Couto.

Os primeiros editores e os atuais colaboradores da Revista foram homenageados na cerimônia, dentre eles: o criador da Revista Baiana de Saúde Pública, Dr. Gabriel Cedraz Neri (editor entre 1974 e 1988), o médico sanitarista José Carlos Barboza Filho; Dr. Tripoli Francisco Britto Guadenzi (editor entre 1989 e 1995), a superintendente de Vigilância e Proteção à Saúde, Alcina Andrade; o coordenador Estadual das Emergências em Saúde Pública, Juarez Dias; editor associado e superintendente de Recursos Humanos da Sesab, Washington Abreu; editora-geral da RBSP, Joana Angélica Oliveira Molesini, a editora-executiva Lucitania Rocha de Aleluia, dentre outros.

"A Escola Estadual de Saúde trouxe a Revista para um patamar onde se pudesse discutir a difusão das questões científicas em um espaço de educação permanente", lembrou o 1º diretor da EESP, o médico sanitarista José Carlos Barboza.

Difusão dos avanços no sistema de saúde da Bahia e região Nordeste

Falando sobre a importância dos periódicos brasileiros na área de saúde coletiva, o professor Kenneth Rochel de Camargo Jr., da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ), ressaltou a longevidade da publicação baiana. "Por acumular 40 anos de história, ocupar uma posição de destaque regional e, principalmente, por ter sido criada dentro da Secretaria Estadual da Saúde, a Revista não tem um caráter unicamente acadêmico conseguindo assim manter o diálogo com os trabalhadores da área e isso é essencial no processo de expansão do conhecimento científico em saúde pública", explicou Rochel.

Para o assessor de comunicação em Ciência da Fundação de Apoio à Universidade de São Paulo - Fapesp/SciELO, professor Abel Laert Packer, a Revista Baiana de Saúde Pública é de fundamental importância para a difusão dos avanços no sistema de saúde da Bahia e região Nordeste. "O acesso à informação atualizada, ao conhecimento científico é essencial para formular soluções e políticas para melhorar a saúde da população. A Bahia está de parabéns por manter esta publicação durante 40 anos sem interrupção, inclusive com edições online e a perspectiva para a indexação do seu conteúdo, nacional e internacionalmente", pontuou Packer.

No intervalo das palestras, o coral do Laboratório Central (Lacen) se apresentou e emocionou a todos.

Produção técnico-científica

No período de 1974 a 2002, a RBSP contava com uma equipe dirigente que compunha o Conselho Editorial, constituída de pessoas da esfera governamental. No momento atual, pessoas de diversas instituições de ensino, do Brasil e da América Latina, participam do Conselho Editorial. Isso contribui para que a revista amplie a sua abrangência a todos os segmentos acadêmicos. Um editor-geral e uma equipe de editores associados são os responsáveis pelo conteúdo publicado.

Atualmente, a RBSP é um importante veículo de divulgação da produção técnico-científica, na Bahia e no Nordeste, para o setor de saúde. A publicação é editada trimestralmente, na versão impressa e eletrônica, desde 2012 e circula por todos os estados do Brasil, países da América Latina e alguns países europeus.