Notícia

Jornal Brasil

Sementes para a ciência

Publicado em 22 outubro 2013

Ela é a base para a pós-graduação e formação profissional. Além de estimular a busca e aplicação do conhecimento, a iniciação científica é um valioso instrumento para a formação de novos cientistas. Primeiro contato dos estudantes da graduação com o universo científico, a atividade representa a semente de um grupo de pesquisa.

A pró-reitora de Pesquisa da Unicamp, professora Gláucia Maria Pastore, compara e descreve este tipo de experiência ao convidar a comunidade para a 21ª edição do Congresso de Iniciação Científica. O evento reunirá, entre 23 e 25 de outubro, 1.346 estudantes que apresentarão os seus trabalhos no Centro de Convenções da Universidade.

"É um dos encontros mais tradicionais da Unicamp. Isso mostra a representatividade da pesquisa científica na Unicamp. Temos um olhar muito dedicado a esta questão: é por isso que o congresso faz tanto sucesso ano após ano. Os professores gostam de apreciar os trabalhos porque sabem que ali está a semente do grupo de pesquisa. Portanto, se a semente é boa, o grupo dará bons frutos para a sociedade", comparou Gláucia Pastore.

A cerimônia de abertura acontece no dia 23, a partir das 14 horas, no Centro de Convenções da Universidade. Devem participar, além da pró-reitora de Pesquisa, o coordenador-geral da Unicamp, Alvaro Penteado Crósta, e Lucimar Almeida, coordenadora dos Programas Acadêmicos do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

Os trabalhos, expostos na forma de painéis, estão divididos por áreas do conhecimento. No dia 23 ocorre a apresentação de 496 painéis do campo de artes e biologia. Alunos das humanas e exatas, com 435 trabalhos, apresentam seus projetos no dia 24. A sexta-feira, 25, é destinada à exposição dos 415 pôsteres da área de tecnologia.

A pró-reitora ressalta que a Unicamp premiará os autores dos 20 melhores trabalhos expostos no Congresso. Aos ganhadores, será concedido o prêmio "Mérito Científico", que consiste em R$ 3 mil, além do custeio das despesas para a participação na Jornada Nacional de Iniciação Científica, evento promovido pela Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). A Jornada acontece entre 22 e 24 de maio de 2014 na Universidade Federal do Acre, em Rio Branco, quando ocorre também a 66ª Reunião Anual da SBPC.

"A avaliação dos trabalhos será realizada por dois comitês: um externo e outro interno. O grupo externo, composto por 30 professores de diversas universidades do Estado de São Paulo, será responsável por avaliar os trabalhos pré-selecionados pelo comitê interno. Este, por sua vez, é composto por 41 docentes da Unicamp oriundos de várias áreas do conhecimento. Ao final da avaliação, serão indicados os 20 melhores trabalhos", detalha Gláucia Pastore.

A exemplo de 2012, a edição deste ano do Congresso contará com a participação de alunos do Programa de Formação Interdisciplinar Superior (ProFIS), novo curso de ensino superior da Unicamp voltado a estudantes que frequentaram o ensino médio em escolas públicas de Campinas.

No último dia do evento haverá ainda uma palestra sobre propriedade intelectual nas atividades de pesquisa e inovação. A atividade será ministrada pela química Janaína César, coordenadora de propriedade intelectual da Agência de Inovação Inova Unicamp. A Universidade mantém posição de destaque nacional na gestão das atividades de inovação no âmbito acadêmico. Conforme dados da Inova, entre 2009 e 2012, houve 243 pedidos de patentes nacionais, consolidando a Unicamp como uma das instituições brasileiras que mais faz este tipo de registro.

Impactos

Ao falar sobre a relevância do Congresso, a pró-reitora da Unicamp relaciona os principais impactos da atividade de iniciação científica, tanto no ensino e pesquisa, como também no relacionamento interpessoal. "Este tipo de experiência é um dos grandes instrumentos de ambientação de ensino. É por meio do desenvolvimento da iniciação científica que os alunos adquirem certas características que vão ser muito importantes do ponto de vista profissional. Pesquisar, estudar, coletar e interpretar dados, além de ter um relacionamento interpessoal dentro de um grupo de trabalho, é algo muito educativo", destaca.

Gláucia Pastore cita ainda o desenvolvimento do raciocínio independente, da criatividade e do método no tratamento de novos problemas. "A contemporaneidade nos mostra que para o seu grupo de pesquisa ter sucesso é necessário talento, sobretudo o de equipe. Portanto, a iniciação científica passa por este crivo: só faz parte deste grupo os alunos mais talentosos, aqueles que passaram por uma seleção", admite.

Números de bolsas

As atividades de iniciação científica na Universidade são desenvolvidas com o apoio de vários órgãos de fomento, que juntos somaram a concessão de 1,5 mil bolsas em 2012. Mais de um terço deste número, 627 bolsas, foram viabilizadas por meio do Programa Institucional (Pibic), uma parceria entre a Unicamp e o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).

O órgão de fomento, vinculado ao Ministério de Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), fornece anualmente uma quota de bolsas à Universidade, que, em contrapartida, concede outra parte. Esta concessão é feita por meio do Serviço de Apoio ao Estudante (SAE). Em 2012, foram aproximadamente 250 bolsas de pesquisa concedidas pelo SAE.

Conforme Mirian Cristina Marcançola, supervisora do Pibic da Unicamp, o CNPq também disponibiliza auxílios para os estudantes vinculados ao Programa de Ação Afirmativa e Inclusão Social (PAAIS) e Programa de Iniciação em Desenvolvimento Tecnológico e Inovação (PIBITI). Foram 80 bolsas no total. Outras 29 foram concedidas diretamente pelo CNPq em seus projetos integrados. A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) colaborou com 441 bolsas.

Além da exposição de painéis, o Congresso contará com a apresentação da banda Regional Portátil. O grupo, formado pelos músicos Edu Guimarães e Gustavo de Medeiros, se apresentará na abertura do evento. O repertório prestigia grandes compositores, como Pixinguinha, Jacob do Bandolim, Sivuca, Egberto Gismonti, Hermeto Pascoal, entre outros. Detalhes sobre os trabalhos que serão expostos no Congresso e a programação completa podem ser conferidos no site do evento, no seguinte endereço: http://www.prp.unicamp.br/pibic/congressos/xxcongresso/index.php.

Serviço

21º Congresso de Iniciação Científica da Unicamp

Data: 23 a 25 de outubro

Local: Centro de Convenções da Universidade (Rua Elis Regina, 131 - Cidade Universitária, Barão Geraldo, Campinas, SP)

Informações: http://www.prp.unicamp.br/pibic/congressos.php

Fonte: Jornal da Unicamp