Notícia

JC e-mail

Semana Nacional de C&T: Incursão de Norte a Sul do país

Publicado em 28 setembro 2007

Por Thiago Romero, Agência FAPESP

A 4ª Semana Nacional de C&T terá início na segunda-feira, com atividades em cerca de 300 cidades brasileiras. Segundo seu organizador, Ildeu de Castro Moreira, objetivo é mostrar que a ciência é interessante do ponto de vista do entretenimento, da diversão, da reflexão e do aprendizado


Do interior de Roraima ao Rio Grande do Sul, de Rondônia até o litoral de Pernambuco, passando pelo centro político do país, a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia fará sua quarta incursão em cidades de todos os estados brasileiros, de 1º a 7 de outubro, com atividades para todas as idades, gostos e aptidões.

A abertura oficial da semana será feita pelo ministro da C&T, Sergio Rezende, em Salvador (BA). Segundo o coordenador geral da iniciativa, Ildeu de Castro Moreira, diretor do Departamento de Popularização e Difusão de C&T do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT), a semana nacional é um grande chamado voluntário da população brasileira para um causa comum: a mobilização para temas de C&T.

"A semana engloba todas as áreas do conhecimento, desde ciências exatas e biológicas até sociais e humanas. Estamos falando de milhares de atividades que fazem uma interface entre a ciência e a cultura por meio da arte, representada em seus mais variados elementos, como cinema, música, teatro e exposições", disse Moreira à Agência Fapesp.

Até o momento foram cadastradas 6.031 atividades no site da iniciativa, de 535 instituições ligadas à ciência e tecnologia espalhadas por 297 cidades brasileiras, como os "Dias de Portas Abertas" em instituições de pesquisa e universidades, festivais e feiras de ciência, concurso para crianças e jovens, oficinas para o público, ida de cientistas a escolas, palestras e discussões públicas, jornadas de iniciação científica, exibição de vídeos científicos e debates nos jornais, rádios e TVs.

"Para aproximar a população do conhecimento gerado nessas instituições de ensino e pesquisa, realizamos um verdadeiro mutirão de pesquisadores, professores, técnicos e estudantes. São milhares de pessoas que vão para as ruas ou que abrem suas portas para encontrar com o público, especialmente jovens e crianças", afirma Ildeu Moreira.

Segundo ele, a proposta é mostrar que a ciência é interessante do ponto de vista do entretenimento, da diversão, da reflexão e do aprendizado que será necessário para a formação de profissionais qualificados em carreiras importantes.

"As pessoas precisam entender que a ciência e a tecnologia estão cada vez mais presentes em nossas vidas, já que elas têm impacto decisivo no desenvolvimento social e econômico do país", observa.

O tema escolhido para este ano, "Terra!", levou em conta a convocação internacional da Organização das Nações Unidas (ONU) para que a questão global seja considerada como tema prioritário para os anos de 2007 e 2008.

Os interessados em participar com atividades podem cadastrá-las até o último dia do evento, que é promovido pela Secretaria de Ciência e Tecnologia para a Inclusão Social do MCT, por meio de seu Departamento de Popularização e Difusão de C&T, em conjunto com governos estaduais e entidades científicas e tecnológicas.

Alguns destaques da Semana Nacional de C&T de 2007:

Sudeste

Em algumas cidades nos estados de São Paulo, RJ, Espírito Santo e Minas Gerais serão realizadas tendas de ciência em espaços públicos, como parques, praças, shoppings, estações de metrô e centros culturais, onde se juntam representantes de dezenas de instituições em atividades distintas.

Na Praça do Relógio no campus da Universidade de São Paulo (USP), na capital paulista, serão realizadas exposições de diversas unidades da entidade e, no Parque da Água Branca, uma exposição intitulada "Em torno de Zumbi" ocorrerá conjuntamente com palestras sobre o meio ambiente.

Nos dias 6 e 7 de outubro, um grande Palco da Ciência será montado no Parque do Ibirapuera para atividades de teatro, música, dança e shows. Destaque para o Show da Física, que apresentará demonstrações de experimentos sobre fenômenos eletrostáticos, ópticos (espelhos) e sonoros, e para o Show de Química, que vai demonstrar como elementos químicos podem transformar água viva em geléia.

O projeto Cientistas nas Escolas levará pesquisadores, tecnologistas, técnicos e bolsistas de pós-graduação do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) a 20 escolas públicas e privadas de São José dos Campos (SP) para a realização de palestras.

No RJ, além das centenas de atividades há uma programação de eventos integrados, como a barca com atividades de ciência no percurso entre RJ e Niterói, as atividades interativas sobre meteoritos e a mostra de rochas e minerais que serão realizadas no Museu Nacional da Universidade Federal do RJ (UFRJ).

Centro-Oeste:

A Agência Espacial Brasileira vai expor um exemplar de um foguete em tamanho real no Complexo Cultural na Esplanada dos Ministérios, em Brasília, além da atividade "Em Busca do Tempo Perdido", que fará uma viagem poética e musical pelos reinos animal e vegetal, que sofrem com as mudanças climáticas.

Em Cuiabá será realizada a Mostra de Pesquisa da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), com palestras sobre temas como "Inovação Tecnológica: Desafios atuais no Contexto Nacional" e "Ciência e Tecnologia: Os desafios para Mato Grosso", além do 15º Seminário de Iniciação Científica da UFMT, de 3 a 5 de outubro.

A Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) está promovendo também a primeira edição da Semana de Tecnologia da Informação, que comemora os 20 anos de criação do curso de ciência da computação da universidade.

Sul

"Da Prática à teoria: o que impede o pesquisador de ser um educador" e "Da Iniciação Científica à Pós-graduação" são os temas de duas palestras que serão proferidas gratuitamente na Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), em Florianópolis, que também contará com o projeto "Venha conhecer a UFSC", que tem o objetivo de organizar visitas aos diversos setores da universidade, como laboratórios, departamentos e salas de aula dos cursos ministrados.

O Planetário da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) contará com jogos educacionais informatizados sobre temas de astronomia, energia, atmosfera e hidrosfera, de modo a ensinar a ciência de forma lúdica e promover a inclusão digital, além da palestra "Sputinik, a primeira Lua artificial", que lembrará os principais feitos da conquista espacial.

Nordeste

As atividades integradas na cidade de Salvador (BA) ocorrerão na Praça Municipal Thomé de Souza, a praça do Elevador Lacerda, onde 20 instituições de ensino e pesquisa oferecerão à população um planetário inflável, túnel interativo que simula as mudanças climáticas e telescópios robotizados. Um equipamento que transforma água salobra em água potável, usado no semi-árido da Bahia, também será exposto.

Em Recife ocorrerá uma série de apresentações da professora Jane Morrey-Jones, do Museu de Ciência de Londres, sob o tema "Botando as Tripas para Fora: Vendo seu sistema digestivo por dentro", além do "Café Scientifique: mudanças climáticas e escolas", que dará continuidade ao encontro sobre mudanças climáticas realizado em março deste ano, que promoveu um debate entre estudantes de 14 e 17 anos do Reino Unido, São Paulo e Recife.

Norte

"O uso dos recursos hídricos na região metropolitana de Belém" e "Olhando a Terra pelo satélite: o que é e o que faz o Sensoriamento Remoto" serão temas de palestras no Museu Paraense Emilio Goeldi, em Belém (PA). Além disso, serão realizadas observações astronômicas no Núcleo de Astronomia da Universidade Federal do Pará (UFPA).

A Universidade Federal do Amazonas (Ufam) está promovendo, entre outras atividades, a oficina "Preparação de material didático a partir de material reciclado" voltada a estudantes do ensino fundamental e os cursos "Produção de vídeo com temas ambientais" e "Programa de rádio-escola no computador: O Meio Ambiente", destinados a estudantes de graduação de todo o país.

Mais informações: semanact.mct.gov.br.

(Agência Fapesp, 28/9)