Notícia

Porto Ferreira Hoje

Semana histórico-cultural dos povos indígenas tem programação divulgada

Publicado em 11 abril 2019

Entre os dias 15 a 18 de abril (segunda a quinta-feira da próxima semana) a Secretaria de Cultura de Porto Ferreira realizará a segunda edição da Semana Histórico-Cultural dos Povos Indígenas. Todas as atividades acontecerão no anfiteatro Isaltino Casemiro.

Além das palestras e atividades, o local contará com exposição de fotografias, das fotógrafas Amanda Danaga e Clarissa Martins, e objetos indígenas do acervo do Museu Histórico e Pedagógico Professor Flávio da Silva Oliveira.

Confira a programação das palestras:

Segunda-feira (15/04)

15h e 19h30 - O Protagonismo Indígena e a Política Indigenista Brasileira.

Palestrante: Márcio Oliveira de Castro Coelho. Graduado pela Academia Militar das Agulhas Negras – Aman (1984). Atuou como indigenista no período de 1985 a 1995 pela Fundação Nacional do Índio (Funai). Atualmente, trabalha na Secretaria de Educação de São Paulo. Licenciado em História pela Universidade Sagrado Coração - USC. Especialista em Antropologia pela Universidade Sagrado Coração - USC. Mestre em Antropologia Social e atualmente Doutorando em Antropologia Social pelo PPGAS/UFSCar. Levando em consideração a Lei 11.645/2008, que torna obrigatório no currículo escolar o ensino da história e das culturas dos diferentes povos indígenas brasileiros, tem desenvolvido o projeto denominado: “Brasil Indígena: conhecendo os povos indígenas no Brasil”. Atuando principalmente na área de etnologia indígena, etnologia urbana e política indigenista.

Palestrante: Creiles Marcolino da Silva Nunes. Vice-diretora da EEI Aldeia Nimuendaju. Formada em Pedagogia Intercultural pela USP.

As atividades do dia 15/04 contarão com a presença de artesãos do povo guarani da aldeia Nimuendaju – Terra Indígena Araribá, município de Avaí (SP), com exposição dos artesanatos produzidos na aldeia.

Terça-feira (16/04)

15h - Cine Debate: “O Povo Brasileiro”.

19h30 - Presídios, armas químicas e o genocídio indígena: ditadura militar e as violações aos direitos humanos dos povos indígenas.

Palestrante: Rochelle Foltram. Possui graduação em História pelo Centro Universitário FIEO (2011). Mestra em Ciências Humanas, pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri- UFVJM (2017). Atualmente é doutoranda em Antropologia Social (UFSCar). Tem experiência na área de educação. Pesquisa violações aos Direitos Humanos ocorridas contra povos indígenas durante a ditadura militar brasileira de 1964 e atualmente pesquisa os impactos ocorridos na vida dos índios Juruna (Yudjá), da Volta Grande do Xingu e do Parque Indígena do Xingu, após a instalação da Hidrelétrica de Belo Monte.

Quarta-feira (17/04)

9h - Contação de Histórias (Influência Indígena) e Oficina de Peteca.

15h - Cine Debate – “Terras Brasileiras”.

19h30 - Educação escolar indígena: conhecimento e resistência.

Palestrante: Ana Elisa Santiago. Atualmente doutoranda do programa de pós graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de São Carlos. Mestre em Antropologia Social pelo Programa de Pós-Graduação em Antropologia Social da Universidade Federal de São Carlos (2014), com pesquisa apoiada pela Fapesp. É graduada em Ciências Sociais pela mesma Universidade (2011). No mestrado, defendeu a dissertação sobre a gestão da educação escolar indígena no município de Altamira (PA) em que colocou em diálogo as áreas de Etnologia e Antropologia do Estado e buscou analisar, através da etnografia de documentos e práticas institucionais, como se formavam e se mantinham as políticas públicas voltadas para as populações indígenas. Atualmente desenvolve pesquisa de doutorado financiada pela Fapesp sobre as Operações de Paz da ONU, analisando o aparato institucional que se ergue em torno do conceito de paz e evidenciando a racionalidade própria deste tipo de operação.

Quinta-feira (18/04)

9h - Contação de Histórias (Influência Indígina) e Oficina de Peteca.

19h30 - Lugares sagrados dos povos indígenas do noroeste amazônico.

Palestrante: Geraldo Andrello. Possui graduação em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (1986), mestrado em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas (1993) e doutorado em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Campinas (2004). Participou de vários projetos de pesquisa e assessoria entre grupos indígenas de Roraima e do Alto Rio Negro, Amazônia brasileira, em especial com os Taurepáng, Tukano e Tariano. Suas pesquisas se concentram na história e na situação contemporânea das sociedades indígenas no norte amazônico e nas questões socioambientais com as quais as organizações indígenas vêm se envolvendo desde a década de 1990. Nesse campo, atuou como assessor da Federação das Organizações Indígenas do Rio Negro (FOIRN) entre 1994 e 2008, colaborando em inúmeros convênios e projetos ambientais e culturais que essa organização desenvolve junto a vários grupos indígenas do Rio Negro, com apoio de órgãos de governo e agências internacionais. Atualmente é professor de antropologia na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar).

Por Cléber Fabbri – MTb 30.118 - Assessoria de Comunicação, Cerimonial e Eventos