Notícia

Correio Popular online

Sem concessões

Publicado em 15 março 2005

Será um "banho" de teatro. O premiado espetáculo Agreste, do grupo paulistano Razões Inversas, dará início hoje a uma mostra inédita de artes cênicas em Campinas, no Auditório Umuarama (com capacidade para apenas 150 pessoas) do Espaço Cultural CPFL, com a vinda de 28 montagens até novembro. As apresentações serão feitas sempre às terças-feiras, às 20h, com entrada franca. Recomenda-se chegar com pelo menos uma hora de antecedência.
A curadoria da mostra — que faz parte do projeto da CPFL Novas Identidades - A Vida em Transformação: Conhecimento, Sabedoria e Felicidade — foi feita pelo ator/pesquisador Renato Ferracini, do Lume — Núcleo Interdisciplinar de Pesquisar Teatrais da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e doutor pelo Departamento de Multimeios da mesma universidade.
Os espetáculos escolhidos serão um resumo da produção do teatro contemporâneo. Ferracini adiantou ao Caderno C que não fez concessões à platéia. "Não quero agradar o público, mas que ele saia de cada apresentação com alguma coisa, quero provocá-lo em todos os sentidos, seja através da agressividade ou da delicadeza".
A mostra foi dividida em quatro módulos temáticos, cada um aberto com uma mesa-redonda. A primeira foi realizada na semana passada, no Auditório Umuarama, sob o tema Arte Cênica numa Fronteira Móvel: limites entre teatro, dança e performance, que trouxe docentes e pesquisadores de diferentes universidades que traçaram juntos um instigante panorama do teatro feito hoje.
Para ilustrar este tema na cena, até o dia 26 de abril serão levados ao palco sete espetáculos de companhias de São Paulo, Campinas, Rio de Janeiro e da Itália, que misturam diferentes linguagens como a dança, as artes plásticas e recursos multimídia. "Convidei os espetáculos em função dos temas que escolhi. Para chegar a eles, parti das minhas inquietações e questionamentos como ator".
Através do trabalho com o Lume, Ferracini conhece de perto o movimento do teatro contemporâneo, viajando por várias partes do Brasil e do mundo. "Procurei trazer artistas e grupos com muitos anos de trabalho e que não estão na grande mídia. Como o palco (do Auditório Umuarama) é pequeno, tive de adequar a proposta ao lugar, então convidei espetáculos de propostas inovadoras, com ênfase na atuação e com poucos elementos de palco, como Agreste, cujos atores são ao mesmo tempo personagens e narradores e utilizam o próprio corpo como cenário", explica.
Há, ainda, um nome global, o da atriz Leandra Leal, de Impressões do Meu Quarto (28/6), que, segundo Ferracini, está com os pés cada vez mais no teatro.
Entre os espetáculos mais provocativos estão Filosofia na Alcova (18/10), do grupo Os Satyros, com sede em Curitiba e em São Paulo. Baseada em peça homônima de 1795 do escritor Marquês de Sade, a montagem leva ao palco a perversão e a pornografia da alta sociedade do século 17, e que ainda se mostra bastante atual. "Esta mostra é uma iniciativa inédita em Campinas que vem preencher uma lacuna muito importante na cidade", enfatiza.

Prêmio Fapesp
Renato Ferracini comemora a conquista do prêmio Jovens Pesquisadores, pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), com um projeto sobre a dramaturgia de ator e fará ponte entre a Unicamp e a Universidade de São Paulo (USP). O ator coordenará a equipe do Lume e do núcleo Lince, da USP — formado por quatro pessoas, entre elas o coordenador Antônio Januzelli (conhecido por Jano) e a atriz Juliana Jardim.
"Esta é uma conquista inédita para o teatro. Trabalharemos durante um longo tempo no desenvolvimento de uma teoria para a dramaturgia de ator, que ainda não existe e é um conceito que está se ampliando", adianta. A pesquisa está prevista para começar no dia 1º de abril e terminar no dia 31 de abril de 2009. Inicialmente, a Fapesp patrocinará R$ 130 mil de equipamentos e infra-estrutura.
Mostra de Artes Cênicas — Hoje, com o espetáculo Agreste, às 20h, no Auditório Umuarama (Rua Jorge Figueiredo Corrêa, 1.632, Chácara Primavera, fone: 3756-8000). Entrada franca, por ordem de chegada.
Ganhador do Shell abre programação
Vencedor do 17º Prêmio Shell de Teatro na categoria de melhor autor para Newton Moreno, Agreste é o recente espetáculo da companhia Razões Inversas, de São Paulo, que vem conquistando público e crítica por onde passa.
Com encenação e direção de arte de Márcio Aurélio, a montagem de uma hora e dez minutos lembra a tradição dos contadores de histórias e apresenta um manifesto poético sobre amor incondicional, ignorância e preconceito, usando a seca como metáfora.
Em cena, dois atores, Paulo Marcello e Carlos Andreazza, narram e representam diversos personagens, manejam tecidos e um projetor de slides para contar a história de um casal do sertão nordestino. O recurso da narração estimula a imaginação, como se estivéssemos lendo um livro. (CC/AAN)

Programação
Mostra de Artes Cênicas no Espaço Cultural CPFL* (sempre as terças-feiras, às 20h)

Módulo I
Hoje
Agreste — Grupo Razões Inversas (São Paulo)

Dia 22
Experimentações Inevitáveis — Estúdio Nova Dança (São Paulo)

Dia 29
Regurgitofagia — Michel Melamed (Rio de Janeiro)

Dia 5/4
Primus — Boa Companhia (Campinas)

Dia 12/4
Galvez - O Imperador do Acre — Lês Commediens Tropicales (Campinas)

Dia 19/4
El Predilecto de los Lepidópteros — Grupo Via Rossi (Itália)

Dia 26/4
Lês Fameuses Comediennes — Grupo Via Rossi (Itália)

Módulo II

Dia 3/5
Mesa-redonda
A Dramaturgia desconstruída: novos paradigmas para uma construção cênica, com Márcio Aurélio (Unicamp), Luís Fernando Ramos (USP), Tiche Vianna (Barracão Teatro) e Renato Ferracini (mediador)

Dia 10/5
Cantos Peregrinos — Grupo Folias D'Arte (São Paulo)

Dia 17/5
Aldeotas — Gero Camilo (São Paulo)

Dia 24/5
Acordei que Sonhava — Núcleo Bartolomeu de Depoimentos (São Paulo)

Dia 31/5
MA — Tadashi Endo (Japão)

Dia 7/6
Assombrações do Recife Velho — Grupo Os Fofos Encenam (São Paulo)

Dia 14/6
Calendário da Pedra — Denise Stoklos (São Paulo)

Dia 21/6
Cartas de Rodez — Grupo Amok Teatro (Rio de Janeiro)

Dia 28/6
Impressões do Meu Quarto — Leandra Leal (Rio de Janeiro)

Módulo III

Dia 9/8
Mesa-redonda
A comicidade na cena: território de uma tradição sempre ressiginificada, com Mário Bolognesi (Unesp), Betti Rabbeti (UniRio), Luís Orlandi (Unicamp) e Ésio Magalhães (mediador, do Barracão Teatro)

Dia 16/8
Julieta e Romeu — Barracão Teatro (Campinas)

Dia 23/8
De Malas Prontas — Grupo Pedvento (Florianópolis)

Dia 30/8
A-Ma-La — Humatriz Teatro (Campinas)

Dia 6/9
Cravo, Lírio e Rosa — Lume (Campinas)

Dia 13/9
A Verdadeira História dos Super-heróis — Grupo Lá Mínima (São Paulo)

Dia 20/9
Nada de Novo — Parlapatões, Patifes e Paspalhões (São Paulo)

Dia 27/9
Fulano e Cicrano — Grupo Etcetal (Rio de Janeiro)

Módulo IV

Dia 4/10
Mesa-redonda
Função da arte cênica hoje: gerar zonas de turbulência?, com Antônio Araújo (diretor, São Paulo), Luís Fuganti (filósofo, São Paulo), Fernando Peixoto (diretor, São Paulo) e Renato Ferracini (mediador)

Dia 11/10
Cuando Tú No Estás — Seres de Luz Teatro (Campinas)

18/10
Filosofia na Alcova — Os Satyros (São Paulo)

Dia 25/10
Imagens da Quimera — Moitará (Rio de Janeiro)

Dia 1/11
Biederman e os Incendiários, Cia. São Jorge de Variedades (São Paulo)

Dia 8/11
Ainda... — Laboratório do Ator (Campinas)

Dia 15/11
O Não-Lugar de Ágada Tchainik — Lume (Campinas)

Dia 22/11
Espírito da Terra — Débora Duboc (São Paulo)

Dia 29/11
Cnossos — Lume (Campinas)

* Todas as peças são recomendadas para maiores de 16 anos.