Notícia

O Imparcial (Presidente Prudente, SP)

Selênio: um elemento químico essencial à saúde

Publicado em 03 fevereiro 2002

O selênio (Se) é um elemento químico não-metálico do mesmo grupo do oxigênio e do enxofre. O Se foi descoberto em 1817 pelo químico sueco Berzelius. As primeiras informações sobre as propriedades do Se indicavam que se tratava de um produto tóxico. É um elemento químico com muitas aplicações industriais, incluindo-se a fabricação de semi-condutores, fotocopiadoras, aço e xampus. Em 1957, tornou-se evidente que o Se era um elemento químico essencial à vida. Hoje sabe-se que 21 elementos químicos são considerados essenciais para a nossa sobrevivência. Alguns desses elementos existem em quantidades muito pequenas em nosso corpo e, por isso, são chamados de elementos-traços. O Se é um deles. Vários metais também ocorrem como elementos-traços no corpo humano. A prova definitiva de que o Se é essencial à vida veio com a descoberta de Rotruck, em 1973. Ele identificou o Se como parte integrante de uma enzima que protege nosso corpo de agentes oxidantes, produzidos durante o metabolismo oxidativo. Estudos epidemiológicos realizados desde 1969 demonstraram que a ocorrência de várias doenças, incluindo-se o câncer, está relacionada com baixas taxas de Se na alimentação. Entre os tipos de câncer estudados, o Se se mostrou eficiente em casos de câncer de próstata em homens e de ovário em mulheres, além de câncer colo-retal e de mama. Verificou-se, também, que os níveis de Se e da enzima glutationa-peroxidase eram muito baixos em pacientes com carcinoma no útero. Em estudos realizados na China demonstrou-se que os casos de morte por câncer da coluna cervical estavam inversamente relacionados a vários fatores incluindo-se os baixos níveis de Se no soro sangüíneo. Uma combinação de Se com as vitaminas beta-caroteno e alfa-tocoferol resultou em uma redução de casos e de mortes por câncer do estômago. No entanto, quando o Se era ingerido junto com outras vitaminas e minerais não foram observados efeitos positivos sobre o câncer de esôfago. Num estudo realizado na Índia, o Se foi combinado com Zinco e com vitaminas A, C e E. Neste caso, os resultados mostraram claramente o efeito protetor da mistura contra lesões cancerosas da boca. Um estudo abrangente realizado nos EUA mostrou a eficiência de produtos alimentícios ricos em Se contra cânceres de próstata, cólon e pulmão. Os resultados obtidos até o momento demostraram, portanto, que o Se desempenha um papel protetor contra o desenvolvimento de vários tipos de câncer. Em seu livro publicado em 1980 exclusivamente sobre Selênio, R. Passwater fala maravilhas sobre as funções desse elemento químico como alimento e como medicamento. Segundo o autor, o Se é importante na prevenção e no tratamento de cânceres, deixa o coração saudável e retarda o envelhecimento das células. É eficiente no tratamento de artrites, fortalece o sistema imune e pode atuar como protetor da fibrose cística. A deficiência de Se e de vitamina E pode, segundo o autor, causar catarata. Além de todas estas funções, o Se é essencial à reprodução animal e pode dar proteção, junto com outros nutrientes, contra o envenenamento por metais pesados. Algumas dessas atividades do Se já foram comprovadas através de testes em laboratório e estudos clínicos com grupos de pessoas. Falta, no entanto, à maioria destes atributos do Se, a confirmação científica. Continuam em estudo os mecanismos de ação do Se em nosso corpo, ou seja, qual é sua verdadeira função biológica, o que não é fácil de se demonstrar. A revista Pesquisa da FAPESP traz, em sua edição de janeiro/2002, a informação de que as castanhas brasileiras (provavelmente as castanhas do Pará) e o atum, alimentos ricos em Se, ajudam a prevenir o câncer de próstata. O trabalho foi realizado por James Brooks, da Universidade de Stanford, EUA. Segundo Brooks, a diminuição dos níveis de Se no sangue aumenta em até 5 vezes o risco de se contrair o câncer de próstata. A incidência desse tipo de câncer é maior em homens mais velhos que possuem, em geral, baixas taxas de Se no sangue. O Se é encontrado em alimentos na forma de grãos (feijão, grão de bico, ervilha, lentilha, vagem), frutos do mar, peixes, frango e carnes, em geral. Os peixes e outros produtos do mar são responsáveis por cerca de 30% do Se de nossa alimentação. Antonio Carlos Massabni - Professor Titular Aposentado - Instituo de Química - Araraquara - UNESP