Notícia

Jornal de Piracicaba

Segurança Alimentar ganha instituto

Publicado em 17 julho 2003

Alimentação - cerimônia será realizada hoje no séc. dá início ao instituto Ceres para segurança Alimentar Instituto Ceres para Segurança Alimentar será criado hoje em uma cerimônia em Piracicaba, a partir das 18h, no Sesc (Serviço Social do Comércio). O instituto é uma ONG (organização não-governamental) com a função de desenvolver projetos de pesquisa na área de segurança alimentar que sirvam à comunidade, segundo a engenheira agrônoma e fundadora Cibele Cristina B. de Oliveira. As sócias-fundadoras são Cibele Cristina B. de Oliveira, Mariana Giannotti, Laura Santis Prada e Cristina C. Bérgamo. O presidente do instituto será Marcos Sorrentino, professor de Educação Ambiental e Políticas Públicas Esalq (Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz) e diretor do Programa Nacional e Educação Ambiental do Ministério da Agricultura. "A missão do instituto é contribuir para a garantia da equidade alimentar e nutricional como ferramenta para inclusão social, promovendo ações no âmbito da segurança alimentar, bem como incentivando o desenvolvimento de políticas públicas e a prática da cidadania no combate à fome", disse Cibele. A criação da ONG teve como base a proposta de projeto de doutorado de Cibele e outra sócia, que queriam criar um banco de alimentos, um órgão que recebe alimentos que outras instituições descartariam, mas ainda em condições de serem consumidos, para serem redistribuídos. Elas também desenvolveriam um trabalho de logística para a distribuição dos alimentos de forma rápida para entidades sociais. "Os dois projetos foram encaminhados para instituições financiadoras e estamos aguardando a resposta", disse Cibele. Em outro projeto, o Ceres pretende mapear o desperdício de alimentos na Grande São Paulo. "Nós enviamos esse projeto para o Banco Mundial. Nós também pretendemos fazer um levantamento sobre os programas de segurança alimentar nos municípios do Estado. Nesse projeto, teríamos a parceria da Esalq e da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), disse Cibele. O lançamento do instituto será marcado por uma mesa-redonda sobre segurança alimentar municipal, que terá a coordenação de Emiliano Milanez Graziano da Silva, conselheiro consultivo do instituto e coordenador do banco de aumentos de São Paulo.