Notícia

UFABC

Seguindo o rastro dos raios cósmicos

Publicado em 22 dezembro 2010

O grupo de Raios Cósmicos da UFABC, orientado pelo professor Marcelo Augusto Leigui de Oliveira, está desenvolvendo um novo telescópio compacto capaz de detectar a luz de fluorescência gerada por raios cósmicos, o Monitor de Radiação Atmosférica (MonRAt).

Segundo o professor Marcelo, o equipamento está próximo de ser finalizado e logo entrará em fase de testes. "Os testes serão realizados em nosso laboratório por meio do uso de um laser", conta. Nesta primeira fase o telescópio irá detectar o feixe de luz por um caminho conhecido.

Na segunda etapa a equipe vai poder ir a campo, durante a noite, e examinar os rastros de luzes originados pelos raios cósmicos. "Os raios cósmicos interagem na atmosfera da Terra formando milhões de partículas. O telescópio poderá detectar os traços de luz deixados por estas partículas na atmosfera".

O objetivo do projeto é contribuir na solução de um problema em aberto da física, a origem dos raios cósmicos de mais alta energia. Para se ter uma idéia, o raio cósmico de maior energia já encontrado até hoje tem 10 mil vezes mais energia do que o feixe do LHC, o poderoso acelerador de partículas, considerado a maior máquina do planeta e uns dos grandes experimentos da história.

O trabalho conta com o apoio de cientistas do Observatório Pierre Auger, localizado em Malargüe, na Argentina; e o auxílio de agências de fomento como FAPESP, Capes e CNPq, além de bolsas da própria UFABC.

O professor Marcelo que já ministrou aulas em outras universidades considera a UFABC um ótimo lugar para realizar os trabalhos. "Os alunos (UFABC) têm oportunidades para uma excelente formação. Por exemplo, eu estudei física, mas aqui meus alunos estudam física e engenharia aeroespacial, ao mesmo tempo".