Notícia

Agência C&T (MCTI)

Secretária nega privilégio na chamada

Publicado em 08 janeiro 2008

São José dos Campos


A secretária de Governo de São José, Claude Mary de Moura, negou ontem irregularidades na Chamada Pública para escolher a Organização Social que gerenciará o Parque Tecnológico e disse que o processo é transparente.


Leia abaixo os principais trechos da entrevista concedida ao Valeparaibano.

Valeparaibano - Por que entre os fundadores da Associação Parque Tecnológico de São José o atual diretor do parque e representantes de empresas e institutos como Embraer, Revap, CTA e Inpe?

Claude Mary de Moura - A associação é formada por pessoas físicas e não por pessoas jurídicas. Os sócios fundadores não representam as entidades a que são ligados. São pessoas ligadas à área de ciência e tecnologia e que se juntaram, por afinidade, para criar essa associação. E não é só isso. O estatuto prevê a formação de um Conselho de Administração, em que terão assento 5 representantes do poder público, sendo dois da prefeitura, um do governo do Estado, um do Inpe e um do CTA.


Vp - Quais serão os representantes da prefeitura?

Claude- Devemos indicar os secretários Kojima (Riugi, do Desenvolvimento Econômico) e Liberato (José Júnior, da Fazenda). O conselho será formado ainda por 2 dos 18 sócios fundadores, que serão escolhidos entre eles mesmos, e por 3 representantes da sociedade civil organizada.


Vp - Quando o conselho será criado?

Claude- Não sei a data, mas isso será feito. Até porque a lei que regulamenta as OSs (Organizações Sociais) prevê a criação do Conselho de Administração. Independentemente de ser ou não a vencedora da Chamada Pública, a Associação Parque Tecnológico de São José terá esse conselho e 5 representantes do poder público, sendo 2 da prefeitura. A entidade que for gerenciar o parque, se não tiver Conselho de Administração, também terá que criá-lo e também terá 2 representantes da prefeitura.


Vp - O fato do Marco Antônio Raupp dirigir o parque e a associação, que participará da Chamada Pública, não pode dar margem a suspeitas de direcionamento no certame?

Claude- O Raupp não é diretor do parque nem funcionário da prefeitura. Ele foi contratado pelo governo do Estado, através da Fapesp, para desenvolver o projeto de implantação do parque. O parque é dirigido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico e, portanto, pelo secretário Riugi Kojima. O prefeito Eduardo Cury assinou decreto reconhecendo a associação como OS porque dá apoio à política do governo do Estado de incentivar a criação de entidades para gerenciar os parques tecnológicos. Então, essa associação foi criada e agora qualificada como OS para que possa disputar a concorrência pública para gerenciar o Parque Tecnológico não de São José, mas também de outras cidades do Estado e do país.

vp - A prefeitura pretende manter a Chamada Pública, apesar das suspeitas manifestadas por entidades como a OAB de que pode haver direcionamento no processo?

Claude- O processo é transparente, não há direcionamento e nosso objetivo é que participe o maior número possível de entidades.