Notícia

Mais Expressão

Secretaria de Cultura divulga vencedores do concurso Acrísio de Camargo

Publicado em 10 dezembro 2015

Foi divulgado na última sexta-feira, dia 9, os vencedores da edição 2015 do Concurso Literário Acrísio de Camargo. A cerimônia de premiação acontece no próximo dia 17 de dezembro, quarta-feira, às 20h, na Sala Acrísio de Camargo no Ciaei. Na sequência, o público poderá conferir a apresentação gratuita da Corporação Musical Villa Lobos. Este ano o concurso, que homenageia o autor da letra do Hino de Indaiatuba e incentiva a produção literária, registrou um recorde de participação, com 353 trabalhos inscritos de todo o país e que foram analisados pelos jurados Antônio da Cunha Penna, Mateus Yuri Passos e Rodrigo Stucchi (categoria Conto), Ben-Hur Demeneck, Guilherme Salla e Pedro Fávaro Júnior (categoria Poesia) e Fabiano Ormaneze, Mônica Kimura e Wladimir Soares (categoria Crônica). Os prêmios são de R$ 2.800,00 para o 1º lugar, R$ 2.000,00 para o 2º lugar e R$ 1.000,00 para o 3º lugar, além de menções honrosas e publicação dos textos vencedores do 1º lugar no jornal Tribuna de Indaiá. Confira abaixo a relação completa dos selecionados. Informações (19) 3894-1867.

Vencedores Concurso Literário Acrísio de Camargo 2015

Categoria Poesia

1º lugar – Ana Flávia de Melo Mendes Carvalho – Mateus Leme (MG)

2º lugar – Francine Fernandes Weiss Ricieri – Indaiatuba (SP)

3º lugar – João Nery Pestana – São Paulo (SP)

Menção Honrosa – Flávio Rubens Machado de Queiroz – Cabo Frio (RJ)

Menção Honrosa – João Luiz Moreira Coutinho – São Paulo (SP)

Menção Honrosa – Henrique de Almeida Barbosa do Vale – Belo Horizonte (MG)

Menção Honrosa – Ana Valéria Fink – Ipiaú (BA)

Menção Honrosa – Marcus Vinícius Mazieri Campo – Indaiatuba (SP)

Categoria Crônica

1º lugar – André Telucazu Kondo – Jundiaí (SP)

2º lugar – Vitor Hugo Fernandes Martins – Ipiaú (BA)

3º lugar – Diobelso Teodoro de Souza – Governador Celso Ramos (PR)

Menção Honrosa – Bruno César Ferreira – Indaiatuba (SP)

Menção Honrosa – José Ronaldo S. Mendes – Mutum (MG)

Menção Honrosa – Cristiane Ribas – Curitiba (PR)

Menção Honrosa – Erondina de Aquino Silva – Indaiatuba (SP)

Menção Honrosa – José Carlos B. de Aragão – Belo Horizonte (MG)

Categoria Conto

1º lugar – Whisner Fraga – São Paulo (SP)

2º lugar – Ibrahim Cássio de Freitas – Indaiatuba (SP)

3º lugar – Edmar Monteiro Filho – Amparo (SP)

Menção Honrosa – Aparecida Gianello dos Santos – Martinópolis (SP)

Menção Honrosa – Luiz Fernando Andrade de Oliveira – São Paulo (SP)

Menção Honrosa – Francine Fernandes Weiss – Indaiatuba (SP)

Sobre os jurados

Antônio da Cunha Penna – Fotógrafo e escritor, reside em Indaiatuba desde 1957. Foi, por muitos anos, diretor social e de cultura do Indaiatuba Clube; cofundador da Fundação Pró-Memória de Indaiatuba. Publicou os livros Só Dói Quando Dou Risada (2005); Nos Tempos do Bar Rex (2010) e Tipos Notáveis da Popularidade (e algumas histórias mal contadas) em 2015. Em 1998 foi vencedor do Mapa Cultural Paulista na categoria Contos.

Ben-Hur Demeneck- Escritor e jornalista, doutorando em Ciências da Comunicação pela ECA-USP. Está vinculado à área de concentração Estudo dos Meios e da Produção Mediática.  Em 2010, recebeu o prêmio Adelmo Genro Filho da SBPJor (Associação Brasileira de Pesquisadores em Jornalismo) por sua contribuição ao campo científico do Jornalismo. Estuda atualmente reportagem transnacional, sob orientação do professor Eugênio Bucci. Colabora com as publicações literárias Cândido (jornal) e Helena (revista). Atualmente é ombudsman do mensal literário Relevo. Publicou o livro "PG de A a Z & outras crônicas" e integra as antologias, "Crônicas da UBE" (2014) e da 5ª Coletânea Concurso de Contos Paulo Leminski (2014). Coordena os projetos culturais Samba do Trilho (desde abril de 2015) e Clube de Humor e HQ Barão de Itararé (desde dezembro de 2014). Entre os prêmios que recebeu, obteve menção honrosa do Concurso Nacional de Contos Paulo Leminski, em 2011. Vive em São Paulo. Prefaciou livros de poesia, contos, crônicas e romances e integrou júris de diversos concursos culturais nos últimos anos.

Fabiano Ormaneze - Mestre em Divulgação Científica e Cultural pela Unicamp. Graduado em Jornalismo pela PUC-Campinas, especialista em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Jornalismo Literário (ABJL). Professor na PUC-Campinas desde 2008. Na graduação, ministra disciplinas como Jornalismo Literário, Estética da Comunicação, Semiótica, Teorias do Jornalismo, Jornalismo Aplicado (jornal-laboratório) e Projetos Experimentais em Jornalismo. É coordenador de Jornalismo do projeto Correio Escola Multimídia, mantido pelo jornal Correio Popular, que visa a formar professores para a utilização do jornal como ferramenta pedagógica. Foi professor no curso de pós-graduação da Academia Brasileira de Jornalismo Literário (ABJL) e na pós-graduação em Educomunicação e Midialogia do Centro Universitário Salesiano de São Paulo (Unisal), entre outros cursos. Vários livros publicados como autor e organizador.

Guilherme Salla - Formado em filosofia pela Unicamp, é professor e poeta. Publicou, em 1994, edição independente e artesanal do livro de poemas “ABRA”, hoje esgotado, além de poemas avulsos em antologias e revistas literárias, incluindo uma coletânea da programação da Virada Cultural Paulista 2015; aguarda publicação o livro de poemas Miopia, poemas para perto; tem poemas premiados em diversos concursos literários, entre os quais estão o Mapa Cultural Paulista, Festival da Mantiqueira, Prêmio Moutonnée de Poesia e o Prêmio Acrísio de Camargo de Indaiatuba. Colunista do blog coletivo literário DE CHALEIRA (www.e-chaleira.blogspot.com), onde escreve a coluna POEMAS DE SEGUNDA.  Mantem também na web um blog sobre poesia e literatura, o MIOPIA (www.guisalla.wordpress.com), que já atingiu a marca de 300 mil acessos.

Mateus Yuri Passos -Doutor em Teoria e História Literária pela Universidade Estadual da Campinas (Unicamp). Realizou estágio sanduíche na Ludwig-Maximilians-Universität München com bolsa CAPES.  Mestre em Ciência, Tecnologia e Sociedade pela Universidade Federal de São Carlos, com pesquisa financiada pela FAPESP.  Bacharel em Estudos Literários pela Unicamp e em Jornalismo pela PUC-Campinas, especialista em Jornalismo Científico pela Unicamp e em Jornalismo Literário pela Academia Brasileira de Educação e Jornalismo Literário (ABJL). Foi professor nos cursos de Comunicação Social na Universidade Estadual Paulista - UNESP (2010-2011) e nas Faculdades Integradas de Jaú (2010). É sócio da International Association for Literary Journalism Studies (IALJS). Autor do livro De Carvão a Diamante, sobre o processo criativo de escritores brasileiros.

Mônica Kimura - Jornalista e arteterapeuta em formação. Especialista em Comunicação de Massa pela Universidade Soka do Japão e mestre em Ciências da Comunicação pela ECA/USP. Diretora da Editora MK, tendo publicado vários livros como organizadora. Atuou como jornalista em veículos de comunicação de Indaiatuba, São Paulo e Rio de Janeiro e também em assessoria de imprensa de empresas nacionais e multinacionais. Escreve para revistas brasileiras e do Japão. Atua como produtora cultural, tendo organizado eventos como Agosto das Artes e Outubro Literário, em Indaiatuba.

Pedro Fávaro Júnior -Escreveu o auto Feira Livre Apocalipse, vencedor do Festival de Teatro Estudantil de Jundiaí, em 1974; - Jornalista desde 1975, habilitado pela FAAP em 1978;  Secretário de Cultura de Jundiaí de 1989 a 1991; - Editor no Jornal da Tarde e no jornal O Estado de S. Paulo e na Agência Estado, na Capital e repórter na Agência Estado em Campinas; - Publicou em 1999, o livro de crônicas e contos Para o sonho não escapa; - Entre 2013 e 2015 participou de oficinas literárias com os professores e escritores Marcelo Spalding (RS) e Nanete Neves (SP);  Em 2015, participou do livro Minicontos coloridos, organizado pelo escritor gaúcho Marcelo Spalding. - Está na fase final de preparação do livro Freguês, que deve ser publicado até fevereiro. No livro, narra histórias de sua experiência com moradores de rua e guardadores de carro. - Produz ainda, para 2016 e 2017, os livros 21 dias, sobre o drama das pessoas envolvidas com vítimas de aneurisma cerebral; Garatujas de poeta, uma coletânea de 30 anos dos poemas que rabiscou e, para 2017, o livroMil e um contos de dias e de noites.

Rodrigo Stucchi -jornalista, escritor e assessor de comunicação de diversas empresas do Estado de São Paulo. Especialista em Comunicação Criativa com ênfase em Narrativas da Vida Real, Jornalista Literário e Marketing de Conteúdo. Membro efetivo da ACADIL - Academia Ituana de Letras e faz parte da Diretoria vigente. Editou dois livros pela Academia. Criou a editoria "Nossa Gente" no extinto jornal ituano "Folha da Cidade", onde contava histórias de vidas de pessoas anônimas e famosas da cidade. Foi colunista de sites de Esportes, Cinema e Cultura, onde também explorava perfis e biografias. Foi professor de Pós-graduação em Jornalismo Literário e integrou comissões julgadores de concursos nacionais de literatura no gênero narrativas de não ficção.

Wladimir Soares - Jornalista, crítico musical, produtor cultural, iniciou a carreira de jornalista em A Gazeta, em 1970, mas logo se transferiu para o Jornal da Tarde. Começou a atuar como restauranteur em 1980, com a inauguração do Spazio Pirandello. Em 1993, como Secretário de Cultura de Indaiatuba (SP), criou e produziu projetos como Maio Musical, Leitura no Bosque, Domingo No Parque e criou a Orquestra de Câmara de Indaiatuba. Em 1996 foi eleito vereador para a Câmara Municipal de Indaiatuba. Em 2003, Wladimir Soares mudou-se para Florianópolis. Foi crítico de música do jornal A Notícia (2003/2005) e, como sócio da Ponte Cultural Escritório de Produção, realizou apresentações de diversos espetáculos teatrais e musicais. Em 2007, escreveu o livro Spazio Pirandello - Assim Era, Se Lhe Parece, publicado pela Editora Jaboticaba (SP), e ainda escreveu textos elaborados para o Livro agenda de comemoração dos 100 anos de Adoniran Barbosa. É diretor artístico da Corporação Musical Villa Lobos, escreve a coluna Curtas &Cults na Revista DÀvila e trabalha na Secretaria de Cultura de Indaiatuba.

Sobre Acrísio de Camargo

Nascido em 1899 em Jundiaí, Acrísio de Camargo morou em Indaiatuba, onde iniciou os estudos. Trabalhou como farmacêutico, mas foi nas artes que ganhou maior notoriedade, dedicando-se à poesia sertaneja, à pintura, folclore, teatro e radialismo. Escreveu comédias teatrais, inúmeros poemas e pintou mais de 100 quadros. O Hino de Indaiatuba, com letra de Acrísio de Camargo e melodia de Nabor Pires de Camargo, foi elaborado em 1930, a pedido do major Alfredo Camargo da Fonseca, prefeito de Indaiatuba na ocasião em que foi comemorado o 1º centenário de Elevação de Indaiatuba à Freguesia. A contribuição do poeta para o desenvolvimento cultural do município é lembrada com a realização do Concurso Literário Acrísio de Camargo, promovido anualmente pela Secretaria Municipal de Cultura, que já está em sua 11ª edição e que estimula a literatura ao destacar as melhores poesias, contos e crônicas escritas pelos indaiatubanos.

Serviço

Sala Acrísio de Camargo – Ciaei - Av. Eng. Fábio Roberto Barnabé, 3.665 – Jardim Regina