Notícia

Suinocultura Industrial

Secretaria de Agricultura de SP inaugura novo Laboratório de Forragicultura

Publicado em 17 julho 2019

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, comemora os 114 anos do Instituto de Zootecnia (IZ), com a inauguração do novo Laboratório de Forragicultura, espaço para desenvolvimento de novas pesquisas nos Sistemas Integrados de Produção Agropecuária. Pioneiro na pesquisa científica mundial em produção animal sustentável, o IZ, departamento da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (Apta), destaca-se pela inovação em pesquisa científica e tecnológica, transferindo a técnicos e produtores rurais informações que refletem em aumento de eficiência e de produtividade no campo com sustentabilidade, levando ao consumidor final produtos mais saudáveis.

O novo Laboratório de Forragicultura ampliará a capacidade de análises do Banco Ativo de Germoplasma (BAG-IZ), o único em diversidade de espécies forrageiras tropicais da América Latina. A reestruturação do Laboratório foi possível com o investimento de R$ 602.889,96, provenientes do total dos R$ 11,665 milhões – aporte financeiro da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), destinados para a idealização de todo o Plano de Desenvolvimento Institucional em Pesquisa do IZ (PDIP/IZ), firmado em 2018.

O PDIP/IZ prioriza três áreas estratégicas – Produção Sustentável de Carne, Produção Sustentável de Leite e Sistemas Integrados de Produção Agropecuária –, que potencializam o desenvolvimento das ações de pesquisa já em andamento. Todas as áreas estão alinhadas com a missão institucional, com os programas estratégicos da Secretaria de Agricultura e com as políticas públicas do Estado de São Paulo.

A readequação da estrutura possibilitou modernizar os equipamentos, a estrutura civil e elétrica. Toda essa atualização colabora ainda mais para ampliar as parcerias com empresas públicas e privadas, para desenvolver pesquisas estratégicas com lançamento de novos cultivares.

A diretora do Centro de Pesquisa de Nutrição Animal e Pastagem, Luciana Gerdes, destaca que o novo laboratório possibilitará ampliar a capacidade de análises dessas plantas, "permitindo maior eficiência e qualidade nos resultados das pesquisas que envolvem novos cultivares".

Pesquisas

Gerdes explica que a área estratégica denominada Sistemas Integrados de Produção Agropecuária foi iniciada e definida como prioridade no IZ, em 2014 , “devido a grande importância para a produção de alimentos de origem animal e vegetal de forma sustentável”. “Apenas 5,7 % da área destinada à agropecuária no Estado de São Paulo são provenientes de algum tipo de integração, demonstrando a necessidade de investimentos em pesquisa e conciliação com difusão de conhecimento técnico e capacitação pessoal”, ressalta.

Todo o investimento amplia a capacidade de novos estudos nas áreas de identificação e desenvolvimento de plantas forrageiras com potencial de produção de sementes resilientes em relação às mudanças climáticas, salientando o gás carbônico (CO2) e o déficit hídrico, com eficiente uso de nutrientes e desenvolvimento de biotecnologias para redução do uso de insumos agrícolas, abastecendo, assim, com novos cultivares os projetos inseridos nos Sistemas Integrados de Produção, para atender as demandas do estado de São Paulo e do Brasil”, detalha Gerdes.

Os pesquisadores destacam que a grande coleção de plantas forrageiras, classificadas como leguminosas, são capazes de fixar o nitrogênio atmosférico que colaboram com a redução drástica do uso de fertilizantes nitrogenados, maior acúmulo de carbono nos solos, menor emissão de óxido nitroso, menor emissão de metano entérico pela ingestão de forragem de maior qualidade e menores custos de produção.

Segundo o pesquisador e curador do Banco Germoplasma do IZ, Waldssimiler Teixeira Mattos, com a efetivação do PDIP/IZ está sendo possível atender aos programas estratégicos da SAA e do Governo do Estado de São Paulo com foco na geração e transferência de tecnologias nas áreas estratégicas de produção animal e interação com as cadeias produtivas.

“Isso amplia a capacidade de pesquisa, inovação e cooperação científica e tecnológica do IZ, aperfeiçoando as condições para geração de novos conhecimentos e a difusão de tecnologias, por meio de investimentos para manutenção e ampliação da infraestrutura de pesquisa, atendendo a demanda crescente do setor produtivo e da sociedade”, reforça Waldssimiler.

O IZ desenvolve projetos de pesquisa de relevância não somente para o Estado de São Paulo, como para o País – muitos dos materiais genéticos de plantas forrageiras, utilizados nacionalmente, foram resultados das pesquisas realizadas no Instituto, por meio do Banco de Germoplasma do IZ.

O diretor geral do IZ, Luiz Marques da Silva Ayroza, enfatiza que a instituição, centenária, foi construída por anos – em etapas evolutivas –, se transformando para atender às demandas da sociedade e das cadeias produtivas. “Demandas impostas pela complexidade de novos mercados e do novo consumidor, pela necessidade de adequar e transferir os avanços científicos e tecnológicos ao produtor rural, priorizando a necessidade de viabilizar o caráter de sustentabilidade nos modelos de produção animal existentes”, ressalta.

“Pesquisas científicas e tecnológicas são fundamentais, pois oferecem oportunidades e inovações aos produtores e podem ser utilizadas em todo o País. A missão do Instituto de Zootecnia está alinhada ao que nos pede o governador João Dória. “Diminuir a distância entre a pesquisa e o usuário, afirmado também pelo Secretário de Agricultura e Abastecimento, Gustavo Junqueira”, completa Ayroza.