Notícia

Agência C&T (MCTI)

Secador de cabelo nanotecnológico combate bactérias e fungos

Publicado em 01 novembro 2007

Por Daniel Patire

Finep premia empresa criada por alunos de pós-graduação dos câmpus de Araraquara e Bauru


A Nanox S/A, empresa spin off ligada ao Instituto de Química (IQ), câmpus de Araraquara, foi a vencedora da décima edição do Prêmio Finep de Inovação Tecnológica, na categoria Pequena Empresa — Região Sudeste. O anúncio oficial aconteceu no dia 24 de outubro, no Centro Brasileiro Britânico, em São Paulo (SP), em solenidade organizada pela Finep (Financiadora de Estudos e Projetos) e Sebrae-SP (Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas de São Paulo).

Especializada em novos materiais, como revestimento de superfícies para a esterilização de aço inox, a Nanox foi premiada pelo desenvolvimento de um secador com nanopartículas de titânio, que, ao aquecer, reduz as bactérias e fungos presentes no ar, proporcionando um jato mais puro para a secagem dos cabelos. Ela foi fundada por Luiz Gustavo Simões, doutorando do Instituto de Química (IQ), câmpus de Araraquara, em sociedade com Daniel Minozzi e André Araujo, mestrandos da Faculdade de Ciências (FC), câmpus de Bauru. A empresa baseia-se no sistema spin off, um modelo de criação de novas empresas de base tecnológica que envolve alunos e ex-alunos de pós-graduação, que têm a supervisão de professores universitários e parceria para uso de laboratórios.

A Nanox mantém relações com o Centro Multidisciplinar para o Desenvolvimento de Materiais Cerâmicos (CMDMC), um dos centros de excelência da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo). O CMDMC tem a sua sede no Laboratório Interdisciplinar de Eletroquímica e Cerâmica (Liec) do IQ. "Esse prêmio demonstra a importância da interação entre a universidade e uma empresa spin off na confecção de produtos de alta tecnologia com elevado valor agregado", comenta Élson Longo, diretor do CMDMC e docente do IQ.

Para Simões, o prêmio valoriza empresas que investem grande parte do seu faturamento em P&D (Pesquisa e Desenvolvimento), como é o caso da Nanox, que destina 90% do que obtém na geração de novos produtos, desenvolvidos com o uso de tecnologia em escala nanométrica (um nanômetro corresponde à bilionésima parte de um metro). "Firmamos parcerias com instituições da categoria da Petrobras", diz Simões.


O prêmio

Presente no evento, o professor José Arana Varela, pró-reitor de Pesquisa da UNESP, assinalou a importância desse sistema para o desenvolvimento de novas tecnologias no País. "Por intermédio de parcerias como essas, a universidade pública repassa suas descobertas para a sociedade", comentou.

O Prêmio Finep de Inovação Tecnológica visa destacar empresas e laboratórios voltados para a pesquisa e desenvolvimento de novos produtos. É realizado em duas fases, a regional e a nacional. Na primeira, que ocorre nas cinco regiões do País — Norte, Nordeste, Centro-Oeste, Sudeste e Sul —, são selecionados os cinco concorrentes ao Prêmio Nacional, que será entregue em dezembro, em Brasília.

A Nanox é a representante do Sudeste, em sua categoria.