Notícia

JC e-mail

SBPC lamenta morte do professor Julio Voltarelli, pioneiro em pesquisa com células-tronco

Publicado em 23 março 2012

A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) lamenta o prematuro e inesperado falecimento do doutor Julio Voltarelli, professor titular da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo de Ribeirão Preto (FMRP-USP). A morte de Voltarelli, um dos pioneiros no País em pesquisa com células-tronco, foi confirmada pela Associação Brasileira de Terapia Celular (ABTCEL) e a Rede Nacional de Terapia Celular (RNTC). Aos 63 anos, ele morreu na quarta-feira (21), às 16h30, em Blumenau, Santa Catarina.

Graduado em Medicina em 1972 pela FMRP-USP, o professor Voltarelli realizou residência em Clínica Médica e Hematologia pelo Hospital das Clínicas da mesma faculdade, de 1973 a 1974. Realizou mestrado (1975-1978) e doutorado (1978-1981) em Clínica Médica (Hematologia/Imunologia Clínica) também pela FMRP-USP.

Nas décadas de 1980 e 1990 ele fez estágios de pós-doutorado na Universidade da Califórnia em San Francisco nos Estados Unidos (de 1985 a 1986), no Fred Hutchinson Cancer Research Center em Seattle (EUA), de 1987 a 1988, e no Scripps Research Institute em San Diego (USA), de 1999 a 2000.

Espírito inovador - Pioneiro nos estudos clínicos envolvendo terapia celular em doenças autoimunes e em diabetes no Brasil e no mundo, ele foi coordenador do Laboratório de Imunogenética (HLA) e da Unidade de Transplante de Medula Óssea do Hospital das Clínicas da FMRP-USP; e pesquisador do Centro de Terapia Celular (CEPID-FAPESP) e do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia em Células Tronco e Terapia Celular (CNPq), sediado no Centro Regional de Hemoterapia do HC-FMRP-USP.

Com o seu trabalho, o professor Voltarelli abriu caminho para os estudos clínicos em terapia celular com células-tronco no País. Participou ativamente da criação da ABTCEL e da RNTC e das discussões que resultaram na criação dos marcos legais e éticos, ora vigentes.

"Seus colegas, pacientes, estudantes, colaboradores e admiradores sentirão sua falta. Neste momento, a SBPC presta solidariedade a todos que com ele conviveram e, em especial, aos seus familiares", destaca a SBPC, em nota.

A ABTCEL e a RNTC também lamentam a morte do professor Júlio. "Todos nós pesquisadores do campo das Células-Tronco e Terapia Celular devemos muito ao professor Julio que com o seu trabalho abriu o caminho para os estudos clínicos já realizados ou em andamento no País", destacam em nota das duas instituições, assinada por seus respectivos presidentes, Rosalia Mendez Otero e Antonio Carlos Campos de Carvalho.

Segundo a nota da ABTCEL e RNTC, o professor Julio, além de suas qualidades de médico e de cientista, pesquisador, professor e orientador, era dotado "de um espírito alegre, otimista e conciliador" que o tornava presença necessária em qualquer atividade da ABTCEL e da RNTC.

"Todos nós colegas, amigos, pacientes, alunos, colaboradores e admiradores sentiremos muita falta do querido Julio. Neste momento difícil prestamos nossa solidariedade e enviamos o nosso abraço afetuoso a todos que com ele conviveram e em especial aos seus familiares", destacam.

(Jornal da Ciência)