Notícia

Jornal do Brasil

SBPC indica nomes

Publicado em 21 dezembro 1998

Por EUGÊNIA LOPES
BRASÍLIA - A decisão do presidente Fernando Henrique de manter o Ministério da Ciência e Tecnologia levou a comunidade científica a realizarem poderoso lobby para indicação do futuro titular da pasta. Insatisfeitos com a atuação do atual ministro Israel Vargas, a Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) entregou a assessores do presidente documento sugerindo o nome de três cientistas para ocupar a chefia do Ministério. "Queremos um ministro forte. O Israel Vargas não representa o setor e perdeu o apoio da comunidade científica devido à política que implementou", afirmou ontem o presidente da SBPC, Sérgio Ferreira. A comunidade científica acredita que tem chances de emplacar um cientista no Ministério da Ciência e Tecnologia, com a manutenção da atual estrutura da pasta. Segundo o presidente da SBPC, o setor estava descontente com as informações de que a área de ensino superior do Ministério da Educação seria fundida com o Ministério da Ciência e Tecnologia. "Já não tínhamos mais esperanças de que o Ministério não seria unido com a área de Educação. Ficamos contentes com a decisão do presidente de manter o Ministério da Ciência e Tecnologia", disse Sérgio Ferreira. No documento que foi entregue ao assessor da Presidência da República, Wilmar Faria, a comunidade científica sugere o nome dos três cientistas: o engenheiro metalúrgico Evandro Mina, o matemático Jacob Palis e Moacir Krieger. "Não é uma guerra contra o ministro Israel Vargas. É apenas uma questão de postura para o futuro. Não temos a intenção de criticar o ministro. Achamos que como de não foi confirmado no cargo, nós devíamos nos movimentar", afirmou Jacob Palis. Garantia - Os três indicados para o Ministério, segundo o presidente da SBPC, não são filiados a nenhum partido político. "Mas, com certeza, nenhum deles tem uma relação de oposição ao atual governo", disse Sérgio Ferreira. Segundo ele, o presidente Fernando Henrique ainda não deu nenhum sinal sobre os nomes indicados pela comunidade científica. Também não temos nenhuma audiência marcada com o presidente", afirmou. Na quinta-feira Fernando Henrique garantiu aos integrantes do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia que o Ministério será mantido após a reforma em seu segundo mandato. Na reunião do Conselho, o presidente disse que "não há motivo para se alterar a estrutura administrativa do Ministério. Não haverá precipitações para fazer desmontes irrefletidos, que têm causado grandes transtornos à administração".