Notícia

Cruzeiro do Sul online

São Paulo terá mapeamento para produzir bons vinhos

Publicado em 17 março 2007

Por meio da combinação de características climáticas de diversas regiões do Estado de São Paulo é possível saber que tipo de vinho poderá ser produzido em determinado local. Esta é a finalidade do projeto de pesquisa "Zoneamento pedoclimático da viticultura no Estado de São Paulo", coordenado pelo pesquisador Fábio Marin, da Embrapa Informática Agropecuária (Campinas, SP), unidade da Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária - Embrapa, vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
O diferencial desse tipo de zoneamento é que ele prioriza a qualidade da uva a ser produzida e não apenas a quantidade, como faz a maioria dos zoneamentos, segundo o pesquisador. "O sistema é excelente para o produtor em relação ao mercado, já que a qualidade, fundamental para o vinho, agrega muito preço", avalia.
Marin explica que o sistema, originado a partir de um trabalho desenvolvido pela Embrapa Uva e Vinho (Bento Gonçalves, RS), é baseado no estudo das características climáticas das regiões em determinados espaços de tempo. "Se a uva for cultivada entre um dado período em uma certa região, por exemplo, o vinho resultante terá características semelhantes ao encontrado em determinada região do mundo", esclarece.
Resultados preliminares foram apresentados pela equipe coordenadora do projeto a produtores durante o 1º Simpósio em Pesquisa e Desenvolvimento em Viticultura no Estado de São Paulo, realizado em 2006, em Campinas. Marin afirma que foram apontadas regiões onde é possível produzir vinhos semelhantes aos desenvolvidos na região de Champagne, na França. Há, ainda, regiões paulistas onde se pode produzir espumantes com boa qualidade. A discussão foi muito positiva, pois os produtores disseram que esperavam por um sistema desse tipo", diz.
Ainda neste mês, a Embrapa Informática Agropecuária, juntamente com a Embrapa Uva e Vinho e a Ufscar (Universidade Federal de São Carlos) reuniu-se com representante do Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), que pretende firmar parceria com o objetivo de financiar novas pesquisas. A idéia é orientar um grupo de 54 produtores de uva da região de Campinas para produzirem vinho de qualidade. De acordo com Marin, as instituições de pesquisa vão indicar aos produtores as melhores regiões e épocas para se produzir bons vinhos, o que, segundo o pesquisador, trará benefícios tanto para o produtor como para o Estado, pois o setor gerará mais empregos e desenvolverá econômica e socialmente as regiões produtoras. "Normalmente locais onde se produz vinhos são muito bem desenvolvidos e a qualidade de vida é melhor", lembra.
A representante da Steck Frutas - indústria integrante do novo projeto -, Maria Jocelei Steck acredita que o trabalho conjunto permitirá reduzir custos com produção e melhorar a qualidade do produto. "A união entre a tecnologia, a pesquisa e o produtor é muito importante, pois auxilia muito nossas ações", garante.
As informações do projeto de pesquisa "Zoneamento pedoclimático da viticultura no Estado de São Paulo" estão contidas em mapas de relevo gerados a partir de imagens de satélite sobre os quais são sobrepostos mapas climáticos. A previsão é de que os resultados finais dos estudos, que tiveram início há um ano, sejam obtidos até julho deste ano.
O projeto, financiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), é fruto de parceria entre a Embrapa Informática Agropecuária, Embrapa Uva e Vinho, Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), Universidade Federal de São Carlos (Ufscar) e Universidade Estadual de Campinas (Unicamp).