Notícia

Cruzeiro do Sul online

São Paulo tem estrutura para detecção do vírus

Publicado em 14 março 2006

No Estado  de São Paulo, de acordo com a Fundação de Amparo e Pesquisa no Estado de São Paulo (FAPESP), há sete laboratórios com equipamentos modernos de gerencia e precisão no sequenciamento de vírus capazes de diagnosticar o Influenza H5N1 em  no máximo, três dias.
A gripe aviária (que atinge todos os tipos de aves) é o nome dado a doença causada por uma variedade de vírus Influenza H5N1, hospedado em aves, mas que poderia infectar vários mamíferos. Sua primeira identificação foi na Itália,  por volta de 1900.
Atualmente ela concentra, principalmente, em alguns países do sudoeste asiático, tendo casos mais recentes na Turquia, Romênia e Inglaterra. Ate agora, 45 milhões de aves já foram sacrificadas na Ásia na tentativa de conter a doença. A infecção do homem pela gripe aviária se da pelo contato direto com aves doentes ou com superfícies contaminadas por fezes, secreção nasal ou saliva. O maior risco de exposição se dá durante o abete e preparação para o cozimento.

Prevenção
A Secretaria de Saúde alerta a população para a prevenção da gripe aviária. Para isso, alguns procedimentos são sugeridos como forma de se precaver diante do problema. Lavar sempre as mãos antes de se alimentar ou levar a mão ao rosto; evitar locais fechados com grande concentração de pessoas; evitar contato com aves vivas ou abatidas em granjas e mercados públicos e não ingerir alimentos de origem animal (principalmente aves e ovos) crus ou mal cozidos ou de procedência duvidosa.
Para obter informação e tirar duvida, os interessados podem ligar para o Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE), pelo telefone 0800-555466 ou acessar o site cve.saude.sp.gov.br