Notícia

Instituto Ressoar

São Paulo recebe conferência sobre sustentabilidade energética

Publicado em 22 março 2010

Compor uma espécie de painel global sobre sustentabilidade energética, do mesmo modo como existem painéis globais para a discussão das mudanças climáticas e da biodiversidade, é a meta do Global Sustainable Bioenergy Project (GSB). Para alcançá-la, a organização programou para 2010 cinco grandes convenções internacionais. A terceira delas será realizada em São Paulo, de 23 a 25 de março, na sede da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) - The Latin American Convention of the Global Sustainable Bioenergy Project.

Idealizado e coordenado pelo norte-americano Lee Rybeck Lynd, pesquisador do Dartmouth College e pioneiro no estudo e utilização da biomassa para a produção energética, o GSB reúne cientistas do mundo todo, preocupados com o enorme desafio de obter energia renovável e relativamente limpa sem comprometer a produção de alimentos e com o mínimo de impacto sobre o meio ambiente. Com base em estudos preliminares, Lynd e outros acreditam que a biomassa (como a da cana-de-açúcar e de outras espécies vegetais) poderá suprir 25% da demanda internacional de energia nos próximos 50 anos - uma promessa otimista neste tempo de notícias sombrias e alarmantes.

Várias questões estão na pauta das cinco conferências do GSB. A primeira delas, voltada para a realidade europeia, já aconteceu na Holanda, no final de fevereiro. A segunda, atualmente em curso na África do Sul (17 a 19 de março), tem como cenário a África. A terceira, aquela que deverá ocorrer no Brasil, enfocará a América Latina. A quarta (Malásia, de 14 a 16 de junho) e a quinta (Estados Unidos, de 14 a 16 de setembro) se encarregarão, respectivamente, da Ásia e da América do Norte.

Finalizada esta primeira rodada de reuniões e sintetizados os resultados, o GBS passará a duas outras etapas: 1) responder, com provas convincentes, se é materialmente possível suprir uma fração substancial da demanda energética (combustíveis veiculares e eletricidade) a partir da produção de biomassa, sem comprometer o fornecimento de alimentos, a preservação de habitats naturais e a qualidade do meio ambiente; 2) propor estratégias viáveis e responsáveis para a transição da atual matriz energética rumo a uma nova matriz, mais equilibrada e renovável.

A escolha de São Paulo para sediar a terceira conferência não foi gratuita. O Brasil está hoje na vanguarda da produção de energia a partir da biomassa. Praticamente a metade da energia consumida no país é gerada por fontes renováveis. E, dessa metade, 16% provêm do etanol. No estado de São Paulo, os números são ainda mais expressivos: 56% de energia renovável, sendo 38% proveniente da cana-de-açúcar. Nos últimos 30 anos, o uso do etanol de cana-de-açúcar permitiu que a participação do petróleo na matriz energética do estado caísse de 60% para 33%. Ademais, o uso da celulose do bagaço de cana para a geração de eletricidade já vem sendo bastante praticado no país.

Todos esses temas estarão presentes nos debates da comunidade científica. Na convenção em São Paulo estarão presentes outros dois idealizadores e dirigentes do GSB - Nathanael Greene, do Natural Resources Defense Councial, dos Estados Unidos, e Tom Richard, da Pennsylvania State Univerisity. A delegação brasileira na terceira conferência será encabeçada por José Goldemberg, atualmente pesquisador no Centro Nacional de Referência em Biomassa, e Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor científico da FAPESP. Goldemberg e Brito integram o Comitê Organizador das convenções do GSB.

A íntegra do programa da The Latin American Convention of the Global Sustainable Bioenergy Project está em www.fapesp.br/gsb.