Notícia

Portal do Zacarias

São Paulo promete vacinação total com início em janeiro sem detalhar fonte de recursos

Publicado em 06 dezembro 2020

Por IG

O governo do estado de São Paulo garante que vai começar a imunização contra a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus (Sars-CoV-2), em janeiro e prometeu que essa imunização será total para os paulistas mesmo que não haja ajuda do Ministério da Saúde. O Palácio dos Bandeirantes não detalhou, no entanto, de onde virão os recursos para cumprir essa promessa.

Em setembro, o governo paulista assinou um contrato de compra de 46 milhões de doses da Coronavac, imunizante produzido pelo laboratório chinês Sinovac Biotech em parceria com o Instituto Butantan. O valor da compra foi de US$ 90 milhões, cerca de R$ 505 milhões na cotação do dólar à época) e este primeiro lote já está chegando da China.

A forma de custeamento das mais de 88 milhões de doses necessárias (duas para cada um dos 44 milhões de habitantes do estado) ainda não está clara.

Interpol emite alerta sobre foco do crime organizado em vacinas contra Covid-19

Moderna planeja solicitar autorização para uso emergencial da vacina contra Covid-19 nos EUA e Europa nesta segunda

"Se o governo federal incluir São Paulo, como é seu dever e a sua obrigação, e incluir a compra da vacina, nós seguiremos o programa nacional. Mas, se não o fizer, São Paulo começa a vacinar a partir janeiro a totalidade da população de São Paulo com os recursos do governo do estado e com sua capacidade de imunização amparada pelo Instituto Butantan", afirmou Doria, em coletiva na última quinta-feira (3).

Questionado, o governador não detalhou de onde virão estes recursos, se a Secretaria de Saúde já os separou e se podem vir, por exemplo, de doações, como já ocorreu com a fase de testagem da Coronavac, que teve dinheiro da Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) e do Todos pela Saúde, instituição do Itaú Unibanco.

Mais detalhes deverão ser apresentados no Plano Estadual de Imunização, que deve ser anunciado nesta segunda-feira (7).

Após a coletiva de quinta-feira (3), Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, afirmou que as 46 milhões de doses já estão sendo pagas. Ele também não deu maiores detalhes e disse que o estado ainda espera um retorno do governo federal sobre os custos.

Fonte: iG

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
UOL BOL O Dia (Rio de Janeiro, RJ) online Jefte News OparaNews IG