Notícia

Gestão C&T

São Paulo pretende ampliar energia produzida a partir do bagaço da cana

Publicado em 21 maio 2007

A Comissão Especial de Bioenergia de São Paulo esteve reunida, na última quarta-feira (16), para discutir a ampliação da produção de energia no Estado. A perspectiva é que São Paulo dobre a produção de energia a partir do bagaço da cana-de-açúcar. Atualmente, o Estado possui a maior área plantada do Brasil de cana, com 4,2 milhões de hectares.

Segundo informações do governo do Estado, a proposta é ampliar dos atuais 2 milhões de megawatts/ano, para 4 milhões de megawatts/ano num período de quatro anos. Na pauta da comissão, está a estruturação do Plano de Bioenergia que irá definir a produção, transporte, distribuição e uso de fontes renováveis de energia em todo Estado. A proposta deverá ser apresentada ao governador José Serra até o fim do ano.

Durante a reunião, o secretário do Meio Ambiente, Francisco Graziano, ressaltou a importância dos investimentos em pesquisas para melhorar os métodos de colheita e plantio da cana-de-açúcar. Na opinião do secretário, somente com a pesquisa será possível manter a área plantada e otimizar a quantidade da produção.

Já o diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp), Carlos Henrique de Brito Cruz, disse que a fundação está estudando um projeto, que será desenvolvido em parceria com a iniciativa privada, para pesquisas na área de bioenergia. Segundo informações do governo de São Paulo, Brito Cruz afirmou que o projeto será lançado em breve e contará com recursos da ordem de R$ 100 milhões.

A Comissão de Bioenergia foi criada em abril deste ano pelo decreto nº 51.736. Entre as atribuições da comissão, está a proposta de avaliar e propor ações de estudo e pesquisa científica e tecnológica necessárias ao pleno desenvolvimento das atividades de bioenergia no Estado.