Notícia

Página Rural

São Paulo: pesquisadores avaliam valor nutritivo da cana-de-açúcar tratada com cal microprocessada para alimentação de animais

Publicado em 04 julho 2006

Por Priscila Tescaro

Os pesquisadores do Pólo Regional da Alta Paulista, em Adamantina, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, estão envolvidos em um novo projeto de pesquisa que vai avaliar o valor nutritivo da cana-de-açúcar tratada com óxido de cálcio, ou hidróxido de cálcio. Os experimentos começam a ser implantados na unidade de pesquisa nos próximos dias, e a expectativa dos pesquisadores é que os primeiros resultados sejam conhecidos até dezembro deste ano. O projeto foi aprovado pela Fapesp no valor R$ 130 mil.
O projeto está dividido em duas etapas. Na primeira fase serão realizados diversos testes com doses variadas de cal microprocessada na cana-de-açúcar picada, com diferentes tempos de reação. Em seguida serão realizados testes em laboratórios para avaliar qual material apresentou a melhor qualidade nutritiva.
A segunda etapa será selecionar os dois tratamentos que apresentaram os melhores resultados em qualidade nutritiva e avaliar o consumo, a digestibilidade e o desempenho, em bovinos e ovinos. Segundo o coordenador do projeto, o pesquisador científico Acyr Freitas, a partir desses resultados é que os pesquisadores poderão comprovar o valor nutritivo do alimento para ruminantes.
"A fibra da cana-de-açúcar é muito indigesta, e alguns produtores da região de Adamantina estavam usando a cal sem as informações necessárias, causando acidentes com seres humanos e animais. A iniciativa do projeto é justamente para atender a demanda regional dos produtores que nos procuram diariamente", explicou Freitas.
O principal objetivo do projeto é melhorar o aproveitamento da cana-de-açúcar como alimento para ruminantes. O projeto conta ainda com a participação dos pesquisadores científicos Jailson Lara Fagundes, do Pólo Regional da Alta Paulista, Fabiana Maldonado, do Pólo Regional do Noroeste Paulista, e de professores da área de zootecnia da Unesp de Dracena.