Notícia

DCI

São Paulo inaugura centro de estudos Hannah Arendt

Publicado em 10 agosto 2013

SÃO PAULO - Uma união há muito esperada por parte da comunidade acadêmica ocorreu no fim de julho, em São Paulo. Um novo centro de estudos aproximou Hannah Arendt (1906-1975), pensadora alemã de origem judaica, uma das mais importantes filósofas do século 20, do filósofo e professor italiano Norberto Bobbio (1909-2004), expoente da área dos direitos humanos e da democracia, informa uma reportagem no site da agência da Fundação de Amparo à Pesquisa de São Paulo (Fapesp).

Entre as testemunhas da união estavam Celso Lafer, presidente da Fapesp, que foi aluno de Arendt, Wolfgang Heuer, professor na Universidade Livre de Berlim, Cristina Sánchez Muñoz, professora na Universidade Autônoma de Madrid, e Alexander Bazelow, estudioso independente que trabalhou com Arendt entre 1970 e 1975.

Os quatro participaram do colóquio que marcou a inauguração do Centro de Estudos Hannah Arendt, vinculado ao Instituto Norberto Bobbio, ambos presididos por Raymundo Magliano Filho, ex-presidente da BM&FBovespa, e coordenados por Cláudia Perrone-Moisés, professora da Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP).

"O professor Lafer e a professora Cláudia sempre quiseram promover esse casamento, esse diálogo entre os dois pensadores, que pensaram muitos temas em comum, só que de perspectivas diferentes e enfrentando a realidade no mesmo tempo: ele com a questão do fascismo, ela com o totalitarismo", disse à Agência Fapesp a pesquisadora Laura Mascaro, desde novembro na equipe do Instituto Norberto Bobbio para a abertura do centro.

O novo espaço tem objetivos como o de difundir o pensamento de Arendt, criar um ambiente para o estudo de sua obra - que inclui clássicos como "As Origens do Totalitarismo - Anti-semitismo, imperialismo, totalitarismo" e "Eichmann em Jerusalém - Um relato sobre a banalidade do mal" - e promover publicações, como coletâneas e traduções.

No mesmo dia do colóquio, 29 de julho, foi lançada a Revista do Centro de Estudos Hannah Arendt, publicação eletrônica com previsão de periodicidade semestral.

"Aprendi, com Hannah Arendt, que o poder é um agir conjunto e que esse agir pode trazer resultados excepcionais na prática", escreveu Magliano Filho no editorial da revista. "Da mesma forma, o Centro de Estudos Hannah Arendt é fruto de uma longa história e muitos esforços conjuntos entre o Instituto Norberto Bobbio, seus colaboradores e parceiros."

Agências