Notícia

Urgente News

São Paulo e Lyon reforçam parceria durante abertura da Fapesp Week France

Publicado em 24 novembro 2019

Por Heitor Shimizu | da Agência FAPESP

A cidade de Lyon sediou, nesta quinta-feira (21), a abertura da Fapesp Week France, evento que promove parcerias e estimular novas colaborações nas mais diversas áreas do conhecimento entre brasileiros e franceses.

A iniciativa conta com a participação da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp). O simpósio será realizado até 27 de novembro, nas cidades de Lyon e Paris.

Nesta quinta (21) e sexta-feira (22), as atividades ocorreram na Universidade de Lyon, com a apresentação de estudos nos temas “Aprendizado de Máquina e Ciência de Dados”, “Fotônica”, “Atmosfera e Saúde”, “Deriva de Partículas e Propulsão em Fluxos Turbulentos”, “Filosofia”, “Questões Urbanas (Riscos, Infraestrutura e Movimentos Sociais)” e “Insetos, Controle, Doenças, Meio Ambiente e Impacto Econômico”.

De 25 a 27 de novembro, a Fapesp Week France será realizada na Universidade de Paris, com os temas “Amazônia e Pesquisa sobre o Clima”, “Psicologia e Psicanálise”. “Estudos da Terra”, “Migração, Mobilidade Urbana e Questões Sociais Urbanas”, “Ciências da Vida”, “Nanomateriais e Bionanomateriais”.

Parceria

Vale destacar que a França é um dos principais parceiros internacionais em pesquisa nos projetos apoiados pela fundação, que mantém acordos de cooperação com 15 agências de financiamento, universidades, instituições de pesquisa e empresas francesas. Mais de 120 projetos de pesquisa foram aprovados por meio desses acordos.

“A realização do simpósio na Universidade de Lyon representa a consagração de uma colaboração de muitos anos com instituições do Estado de São Paulo”, salientou Jacques Comby, presidente da Universidade Jean Moulin Lyon 3, durante a abertura.

O gestor ressaltou que o evento sinaliza a importância da colaboração científica entre São Paulo e Lyon, pois reúne cientistas renomados das duas regiões em apresentações de resultados de pesquisa e em discussões que permitirão criar futuras colaborações, bem como reforçar as existentes.

Marco Antonio Zago, presidente da Fapesp, também destacou durante a abertura do evento a relação entre Lyon e São Paulo. “As universidades paulistas têm uma longa e duradoura tradição de colaboração com instituições da região de Lyon”, disse à Agência Fapesp.

Colaboração

O presidente da Fapesp ressaltou a importância dos eventos como parte da estratégia da fundação para fortalecer a cooperação internacional em pesquisa. “Representa uma excelente oportunidade para cientistas financiados pela Fapesp encontrarem colaboradores potenciais, reforçando a parceria em pesquisa entre São Paulo e a França”, acrescentou.

“O Estado de São Paulo é uma região fortemente industrializada e com uma participação muito importante na ciência e tecnologia brasileiras”, avaliou à Agência Fapesp Carlos Henrique de Brito Cruz, diretor-científico da fundação. “Dos artigos científicos com autores do Brasil, 43% são de pesquisadores do Estado de São Paulo”, completou.

De acordo com Carlos Henrique de Brito Cruz, em 2018, a Fapesp investiu R$ 1,2 bilhão no apoio a mais de 24 mil projetos de pesquisa, destacando programas por meio dos quais a fundação apoia pesquisas em universidades e institutos paulistas em conjunto com empresas, como os Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID), o Programa Fapesp Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) e os Centros de Pesquisa em Engenharia (CPE).

Programa

O primeiro dia da Fapesp Week France também contou com a participação de François Pellegrino, que apresentou o programa IdexLyon, pelo qual é responsável. “É um programa financiado pela Agência Nacional de Pesquisa da França, que destina ao Lyon Saint-Étienne Avenir Program, da Universidade de Lyon, cerca de € 25 milhões por ano para desenvolver iniciativas acadêmicas estratégicas em pesquisa, treinamento e parcerias sociais, econômicas e internacionais”, explicou à Agência Fapesp.

Idex (Initiative D’EXcellence) é uma iniciativa do governo francês para estimular instituições de ensino e de pesquisa por meio da criação de centros de excelência no país. Desde 2011, foram lançadas três chamadas de propostas, que resultaram na seleção de 20 universidades. A região de Lyon e Saint-Étienne foi selecionada em 2017 para receber € 800 milhões em um período de dez anos.

“Esse investimento tem permitido desenvolver uma série de iniciativas centradas em todas as áreas científicas. A Universidade de Lyon é uma instituição ampla em termos de domínios científicos e temos programas em Ciências Humanas e Sociais, mas também em Engenharia, Saúde e Física e outras áreas”, finalizou.

Essa notícia também repercutiu nos veículos:
Mix Vale O Verídico Portal do Governo do Estado de São Paulo