Notícia

Secretaria do Meio Ambiente (SP)

São Paulo e líderes internacionais debatem desenvolvimento sustentável

Publicado em 13 abril 2012

Com o tema “energia sustentável e desenvolvimento”, a VI Cúpula de Líderes Regionais (Regional Leaders Summit) foi realizada na quarta-feira, 12, no Palácio dos Bandeirantes. O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, recebeu os líderes subnacionais Horst Seehofer, da Baviera (Alemanha), Josef Pühringer, da Upper Áustria (Áustria), Jean Charest, de Québec (Canadá), Cai Limin de Shandong (China), Casey Cagle, da Georgia (EUA) e Helen Zille, da West Cape (África do Sul) para o encontro. 

A Cúpula, que se reúne a cada dois anos, promoveu assinaturas de Protocolos de Intenção entre os membros nas áreas de educação, infraestrutura, indústria, meio ambiente e tecnologias limpas. O Estado de São Paulo assinou acordos de cooperação técnica com Shandong, Québec, West Cape e Baviera, e discutiu o modelo de economia verde com Geórgia e biocombustível com Upper Áustria.

A Secretaria do Meio Ambiente (SMA) participa ativamente das cooperações técnicas, e o secretário Bruno Covas esteve presente nas reuniões bilaterais, dividindo a experiência da SMA em iniciativas de implementação de energias renováveis e políticas estaduais de mudanças climáticas.  

As sete regiões membros da Cúpula são fortes potências econômicas regionais, e dessa forma, representam grande influência nacional e mundial. “Uma nova governança internacional está em desenvolvimento e regiões e estados têm um papel fundamental nesse processo”, disse Jean Charest. 

Em busca de parcerias e cooperação para o desenvolvimento de energias limpas a preços competitivos, viabilizando o desenvolvimento sustentável, as regiões vão trocar informações e experiências e aprender umas com as outras. Shandong, São Paulo e West Cape, como representantes dos países em crescimento econômico, vão colaborar entre si para crescer juntos dentro de um modelo sustentável, ao passo que aprendem com regiões de países desenvolvidos, como Quebec, Upper Áustria, Bavária e Georgia.

Para isso, os acordos visam promover intercâmbios de estudantes, pesquisadores e investidores entre os membros. Ainda, os representantes explanaram modelos e políticas públicas adotados em suas regiões que deram certo. 

Parcerias

As sete regiões se mostraram engajadas em adotar políticas públicas e estratégias para um futuro melhor, baseado nos três pilares do desenvolvimento sustentável: ambiental, econômico e social.

Todas têm metas ambiciosas de mudança de matriz energética para tecnologias mais limpas, com o objetivo de diminuir ao máximo a degradação ao meio ambiente. As apostas são em energia hidroelétrica, fotovoltaica e eólica. Ainda, em discussões iniciais, energia gerada através da queima do bagaço da cana de açúcar e de movimentos de ondas marítimas.

A Secretaria do Meio Ambiente estabeleceu, em 2009 , a Política Estadual de Mudanças Climáticas, que estabelece a queda de 20% da emissão dos Gases do Efeito Estufa até 2020, comparado com o que era emitido em 2005. Para atingir essa meta a SMA conta com o apoio dos outros membros da Cúpula, desenvolvendo parcerias e apoio de pesquisas e tecnologias.

Um dos apoios vem de Québec, no Canadá. A província é exemplo mundial em desenvolvimento sustentável, e São Paulo vai se inspirar no modelo quebequense de Clusters (pólos tecnológicos tripartites, que envolvem Governos, Setor Privado e Universidades) para promover tecnologias limpas competitivas no mercado.

A cooperação assinada entre Shandong e São Paulo prevê reforçar cooperação nas áreas de educação, indústria marítima, energia, meio ambiente e infraestrutura. Ele visa promover o intercâmbio de professores e estudantes do ensino médio, destinado a fomentar o ensino da língua chinesa em São Paulo. Durante a reunião, o governador até citou o aumento na oferta do curso de mandarim no Centro de Estudos de Línguas (CEL).

Outro bom exemplo vem da África do Sul. West Cape assinou com São Paulo um termo de compromisso para dividir sua expertise em sediar grandes eventos, como a Copa do Mundo. “Conseguimos transformar a concepção da população sobre o transporte público. Antes era encarado como sujo, ineficiente e perigoso, e depois da Copa o metrô é considerado uma forma aconchegante de mobilidade”, afirma Helen Zille. Na ocasião, o governador informou a melhoria na linha metroviária paulista, que “em cerca de três anos crescerá de 72 km para 102 km, aumentando o transporte de 7 bi para 9 bi passageiros por dia”.

Com a Georgia foi discutido a importância das Parcerias-Público-Privadas (PPP). O estado norte americano aposta em dar valor econômico ao desenvolvimento sustentável, tornando-o atrativo para o setor industrial. Os norte-americanos convidaram o governador para que ele possa ver como funciona esse tipo de parceria nos aeroportos da região.

O último encontro aconteceu com a delegação de Upper Áustria e teve como principal tema a cooperação ambiental e cultural. Alckmin citou que as políticas ambientais da região são uma das mais inovadoras do mundo e ainda falou que tanto São Paulo quanto o estado austríaco são próximos do ponto de vista da formação industrial.

A Baviera elogiou a iniciativa de São Paulo em diminuir os impostos sobre o etanol para incentiva a fonte de energia limpa. Ambos também apostam na melhoria da mobilidade urbana, com incentivos a carros elétricos ou, como no caso brasileiro, carros bicombustíveis. As duas regiões estabeleceram um acordo na área de intercâmbio de pesquisadores e cientistas, promovendo visitas de delegações, seminários, workshops, simpósios, e promover o intercâmbio de sobre Políticas Públicas e estratégias conjuntas com a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP).