Notícia

Cenário Agro

São Paulo destina R$ 120 milhões para modernização de institutos de pesquisa

Publicado em 03 fevereiro 2017

O Governo de São Paulo vai destinar R$ 120 milhões para um programa de modernização dos institutos de pesquisa do Estado. Este valor compensa os recursos que haviam sido retirados da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) durante a votação do orçamento na Assembleia Legislativa do Estado.
A proposta inicial do Governo previa um orçamento de R$ 1,116 bilhão para a Fundação. No entanto, após apreciação pelos deputados, foram destinados à Fapesp R$ 996,7 milhões. Segundo o presidente da Fapesp, José Goldemberg, os institutos poderão solicitar os recursos com a apresentação de propostas que justifiquem os pedidos.
A redução do montante destinado à Fapesp havia gerado críticas da comunidade científica. Em 13 de janeiro, a Academia de Ciências do Estado de São Paulo divulgou nota em que afirmava que a decisão contrariava a Constituição Estadual. Segundo a entidade, o repasse previsto representaria 0,89% da arrecadação fiscal, enquanto a lei determina que o valor corresponda a 1% das receitas.
Redação*
*Com informações da Agência Brasil

O Governo de São Paulo vai destinar R$ 120 milhões para um programa de modernização dos institutos de pesquisa do Estado. Este valor compensa os recursos que haviam sido retirados da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) durante a votação do orçamento na Assembleia Legislativa do Estado.

A proposta inicial do Governo previa um orçamento de R$ 1,116 bilhão para a Fundação. No entanto, após apreciação pelos deputados, foram destinados à Fapesp R$ 996,7 milhões. Segundo o presidente da Fapesp, José Goldemberg, os institutos poderão solicitar os recursos com a apresentação de propostas que justifiquem os pedidos.

A redução do montante destinado à Fapesp havia gerado críticas da comunidade científica. Em 13 de janeiro, a Academia de Ciências do Estado de São Paulo divulgou nota em que afirmava que a decisão contrariava a Constituição Estadual. Segundo a entidade, o repasse previsto representaria 0,89% da arrecadação fiscal, enquanto a lei determina que o valor corresponda a 1% das receitas.

Redação*

*Com informações da Agência Brasil