Notícia

Página Rural

São Paulo: cultivo da banana é alternativa para pequeno e médio agricultor do Vale Paranapanema

Publicado em 11 abril 2006

O cultivo da banana, a bananicultura, é uma alternativa de fonte de renda para o pequeno/médio agricultor do Vale Médio Paranapanema. Além do clima e do solo favorável da região, o valor de mercado da fruta também é incentivador. O IAC/APTA (Instituto Agronômico) (Agência Paulista de Tecnologia em Agronegócios)-Médio Paranapanema, órgão da Secretaria de Agricultura e Abastecimento, desenvolve pesquisas para dar suporte aos produtores e para tentar sensibiliza-los da importância da bananicultura.
A banana é a fruta mais consumida em todo o Mundo, sendo o Brasil, 2º maior produtor, só perdendo para a Índia. A pesquisadora em bananicultura do IAC/APTA, Adriana Novais Martins, acredita que existem duas vantagens no cultivo da banana. "O primeiro é que essa cultura demanda mão de obra, o que faz com que a família se ocupe com a terra. E a outra é que essa é uma das poucas culturas perenes que oferece uma renda semanal, ou seja, colhe-se a fruta o ano todo", explica.
O preço da fruta, apesar de variar bastante, é animador. De acordo com dados do Agrianual (Anuário da Agricultura Brasileira), em 2005, o preço médio de comercialização da banana no Estado de São Paulo foi de R$ 250,00/t. Já o custo de produção foi em torno de R$ 213,00/t, gerando uma lucratividade média de 19%.
Outra característica que favorece a produção é a área necessária para o cultivo. Adriana explica que os produtores de banana da região não produzem somente a fruta, mas também outras culturas como, por exemplo, a mandioca e o café. Isso porque a bananicultura não necessita de grandes áreas para uma boa produção. Segunda a pesquisadora da área de sócio-economia da IAC/APTA, Fernanda de Paiva Badiz Furlaneto, a área mínima para produção de banana no Médio Paranapanema é estimada em dois alqueires.
A banana tecnificada consiste na implantação de um bananal de acordo com recomendações técnicas e tem como objetivo a alta produtividade, qualidade e longevidade da lavoura. Para isto prioriza-se o uso de mudas micropropagadas, ou de laboratórios, que estão livres de doenças e pragas ao solo. As doenças que mais atingem os bananais da região do Médio Paranapanema são a Sigatoka amarela e negra e o Mal do Panamá.
Por isso é necessário que se tenha um programa de pulverização melhor adaptado à região para o combate a essas doenças. Nesse sentido, está em andamento através da FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo) o projeto "Implantação de um programa de manejo fitossanitário visando o desenvolvimento sustentável da bananicultura", que pretende mapear a bananicultura na região para poder estabelecer critérios de manejo fitossanitários.
A APTA Médio Paranapanema está situada na quinta maior região produtora de bananas no Estado de São Paulo. Nela são desenvolvidas pesquisas que abrangem a avaliação de novas variedades, o monitoramento da Sigatoka, sistemas de irrigação, análise da cadeia produtiva da banana e o diagnóstico do perfil sócio-econômico dos produtores. Paralelamente promove atividades junto ao produtor. Estão sendo realizadas palestras em parceria com o SAI/SEBRAE (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas empresas), Sindicatos Rurais, Cooperativas e Universidades. Além disso, está em fase de finalização um boletim técnico sobre a cultura da fruta na região, onde serão abordados temas como: sistemas de plantio, principais variedades, tratos culturais, métodos de controle de pragas e doenças, sistema de colheita e pós-colheita e a análise econômica da cultura da banana no Médio Paranapanema.
Mais informações sobre o cultivo da banana na região podem ser encontradas nos sites www.iea.sp.gov.br e www.aptaregional.sp.gov.br ou pelo (18) 3321.2006 ramal 37 ou 39.

APTA
A APTA é composta por 15 Pólos Regionais e um Centro de Insumos Estratégicos e Serviços Especializados. Esses Pólos são formados por 34 Unidades de Pesquisa e Desenvolvimento (UPDs) localizadas nas diversas regiões do Estado de São Paulo. O objetivo da agência é o de criar ou adaptar, através da pesquisa científica, tecnologias que promovam o desenvolvimento dos agronegócios, considerando as condições econômicas, sociais, climáticas e potencialidades de cada região do estado.
A sede do Médio Paranapanema está localizada na rodovia Assis-Marília (SP 333), km 397. Nela são desenvolvidas pesquisas nas áreas de Algodão, Cana de Açúcar, Mandioca (indústria e mesa), Milho Safrinha e Verão, Soja, Trigo e outros cereais de inverno, Fruticultura (abacate, manga, banana), Café e Seringueira, Sistemas produtivos conservacionistas - Plantio Direto, Agricultura Irrigada, Climatologia, Sócio-economia, Fitotecnia, Agregação de valores aos produtores regionais, Bovinocultura, Ovinocultura, Aqüicultura, Sistemas produtivos em tanque rede, Qualidade da água e Nutrição.