Notícia

V News

São José recebe seminário "Homem, cidades e a sustentabilidade possível"

Publicado em 28 junho 2010

Na próxima quarta-feira 30 , das 14h às 19h30, o Sesc São José dos Campos realiza o Seminário "Homem, cidades e a sustentabilidade possível", que pretende oferecer um conjunto de reflexões a respeito dos conceitos de sustentabilidade nas metrópoles.

A abordagem tem enfoque multidisciplinar, com a presença de pesquisadores com formações distintas, capazes de abordar o tema sob diferentes aspectos.

Confira a pauta:

Após dezoito anos da Conferência das Nações Unidas sobre o meio ambiente, onde chefes de Estado de todo o mundo e representantes da sociedade civil organizada discutiram metas a serem cumpridas numa agenda para o século 21, com a determinação de ações e mudanças de comportamento voltadas à criação de um novo padrão de desenvolvimento capaz de conciliar a eficiência econômica à igualdade e justiça social e à conservação ambiental, questionamo-nos: é possível? É possível alterarmos o padrão de consumo das grandes metrópoles? É possível a discussão e a implementação de sistemas comerciais mais justos, onde não só a distribuição monetária seja mais equânime entre os atores e setores da cadeia produtiva mas também haja menor dispêndio de energia para o transporte dos produtos de primeira necessidade - como alimentos e água potável - por exemplo? Poderíamos nos deslocar de forma menos poluente? Poderíamos imaginar as cidades como um grande sistema vivo, capaz de produzir a energia necessária para sua autonomia a partir da exploração energética do tratamento de efluentes e dos resíduos orgânicos? É possível imaginarmo-nos parte integrante deste grande organismo, com uma maior oferta à cultura, à educação e às práticas para uma autonomia política? Podemos viver de forma sustentável, sendo que hoje não há, no mundo inteiro, nenhum modelo referencial de metrópole ou centro urbano sustentável? É possível educarmos as gerações "do futuro" e formarmos cidadãos de forma mais integralizada e holística, como homens críticos, protagonistas e proponentes de mudanças profundas na maneira de se reconhecerem, reconhecerem o outro e o meio onde vivem?

Esses são alguns questionamentos trazidos à luz da discussão no seminário "Homem, cidades e a sustentabilidade possível". Profissionais de diferentes áreas do conhecimento conduzirão o diálogo que abordará esses temas tão presentes e urgentes em nosso cotidiano.

Programação: 30 de junho de 2010, quarta-feira

13h30 - Credenciamento

14h - A possibilidade da sustentabilidade na metrópole Com Paula Santoro - Instituo Polis O modelo de desenvolvimento adotado mundialmente e a desigualdade socioeconômica dele decorrente tem gerado grande impacto sobre as condições ambientais e as condições de saúde da população habitante dos centros urbanos. As cidades que concentram grandes contingentes de população vêm ganhando, nos últimos anos, uma importância significativa como espaço de intervenção e de mobilização em torno de projetos comuns e de interesses coletivos. Quais são os indicadores de sustentabilidade? Quais as ações individuais e coletivas e quais são as diretrizes governamentais que possibilitam o desenvolvimento e o crescimento urbano com a melhoria da qualidade de vida do cidadão? Paula Santoro é Arquiteta urbanista graduada pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de São Paulo - FAUUSP, mestre em Estruturas Ambientais Urbanas pela FAUUSP e doutoranda na área de Habitat na FAUUSP. Pesquisadora do Núcleo de Urbanismo do Instituto Pólis e no Instituto Socioambiental - ISA.

15h - Políticas públicas de educação e meio ambiente: participação, cidadania e co-responsabilização

Com Pedro Jacobi - USP O avanço rumo a uma sociedade sustentável é permeado de obstáculos, na medida em que existe uma restrita consciência na sociedade a respeito das implicações do modelo de desenvolvimento em curso. As causas básicas que provocam atividades ecologicamente predatórias podem ser atribuídas às instituições sociais, aos sistemas de informação e comunicação e aos valores adotados pela sociedade.

Isto implica principalmente na necessidade de estimular uma participação mais ativa da sociedade no debate dos seus destinos, como uma forma de estabelecer um conjunto socialmente identificado de problemas, objetivos e soluções. A reflexão sobre a "sociedade de risco" nos permite estabelecer elos com a complexa temática das relações entre meio ambiente e educação, a partir de alguns parâmetros presentes nas práticas sociais centradas na "educação para a sustentabilidade".

Pedro Jacobi é cientista social, economista e doutor em Sociologia pela Universidade de São Paulo Professor Titular da Universidade de São Paulo, coeditor da revista Ambiente e Sociedade. Coordenador do TEIA-USP Laboratorio de Educação e Ambiente. Representa a USP como Coordenador de Projeto Alfa da Comunidade Européia sobre Governança da Água na América Latina e Europa. Coordenador de projeto FAPESP de Políticas públicas sobre Aprendizagem Social em Bacias Hidrográficas na RMSP.

16h30 - Intervalo

17h - Redes de Convivência e Cooperação Com Ana Paula Navarro - Palas Athena As possibilidades de atuação em rede como prática para o desenvolvimento de habilidades interpessoais: o respeito à diversidade, à convivência colaborativa e ao diálogo entre grupos distintos, estimulando e cultivando valores e atitudes voltados à autonomia do indivíduo, ao fortalecimento de grupos e à promoção de atitudes mais solidárias e de uma cultura de paz.

Ana Paula Navarro é psicóloga com formação em Psicologia e Psicoterapia Transpessoal IBT , pós-graduada em Jogos Cooperativos, docente em programas socioeducativos pela Palas Athena e consultora da Apecatu consultoria organizacional em Diversidade, Sustentabilidade e Ética . 18h - Instituto Pandavas: experiências de uma pedagogia sustentável, holística e inclusiva Com Mara Novello Gerbelli e Nilton Almeida Silva - Instituto Pandavas Mediação: André Miragaia, secretário de Meio Ambiente da prefeitura de São José dos Campos

O Intituto Pandavas Núcleo de Educação, Cultura e Ações Socioambientais mantém uma escola de educação infantil e ensino fundamental gratuita, localizada na zona rural do município de Monteiro Lobato. Atende a uma média de 150 crianças e jovens. Suas ações educativas fundamentam-se nos princípios de convivência humana dos diferentes grupos sociais e em sua atuação solidária integrada à comunidade local.

Além da preocupação com o desenvolvimento linguístico e lógico, a instituição tem como metas promover o autoconhecimento e o conhecimento do outro, a cooperação e o diálogo como mediador dos conflitos inerentes à condição de desenvolvimento humano e social Mara Novello Gerbelli é cofundadora e diretora do Centro Pedagógico Casa dos Pandavas membro do Conselho de Fundadores da Associação Palas Athena do Brasil, professora de música e na Educação para o pensar, sentir e agir, secretária municipal de educação de Monteiro Lobato. Nilton Almeida Silva é professor e coordenador pedagógico do centro pedagógico Casa dos Pandavas 19h30.

Encerramento

As inscrições para o evento estão abertas com preços que variam entre R$ 2,50 e R$ 10,00. Recomendação etária 16 anos. O Sesc fica na Av. Dr. Adhemar de Barros, 999 - Jd. São Dimas. Mais informações pelo telefone 12 3904-2000.