Notícia

A Folha (São Carlos, SP)

São Carlos participa de feira de Nanotecnologia em São Paulo

Publicado em 16 julho 2005

O grupo de pesquisa "Crescimentode Cristais e Matérias Cerâmicos" do Departamento de Física e Ciência dos Matérias da USP (Universidade de São Paulo), foi convidado pela Pró-Reitoriade Pesquisa da USP a participar da Nanotec 2005, Feira de Nanotecnologia. realizada de 5 a 8 de julho, no Centro de Convenções ITM Expo. em São Paulo. O grupo apresentou uma pesquisa de textura com materiais metálicos com laser e revestimento nanométrico. No evento, também foi apresentado o resultado das pesquisas em compressores herméticos desenvolvidos em conjunto com a Tecumseh, uma das parceiras do Grupo.
De acordo com Prof. Antonio Carlos Hernandes, diretor do Grupo de Pesquisa "Crescimento de Cristais e Materiais Cerâmicos" do Departamento de Física e Ciências dos Materiais da USP, 25 empresas se interessaram pela pesquisa, algumas delas ligadas ao segmento automobilístico, como a GM do Brasil, e as fornecedoras para as montadoras de veículos, empresas de pistões e amortecedores.
Outras empresas são ligadas aos segmentos de ferramentas e de refrigeração. Duas delas são de São Carlos. Ainda não existe nada de concreto, mas há a expectativa de uma reunião discutir um projeto em
conjunto. Ainda segundo Hernandes, em sendo a primeira feira desse gênero no país, a participação de empresas e de instituições de pesquisas foi muito boa. O nível das pesquisas apresentadas revelou que o país já domina o processo de produção de nanopartículas de revestimento nanométrico.
Agora é preciso dar o passo seguinte: gerar produto com competitividade de mercado. A expectativa para 2006 é que mais instituições participem do evento, incluindo São Carlos. "A Feira foi muito importante porque permitiu o contacto direto com empresários e com os profissionais dos setores de P&D das empresas. Isso facilita muito a troca de oportunidades e permite estabelecer parcerias futuras",completou.
O Grupo de Crescimento de Cristais e Materiais Cerâmicos possui parcelas no desenvolvimento de processos e produto nanotecnológicos com duas empresas de São Carlos: aTecumseh do Brasil Ltda, em que investigam revestimentos cerâmicos nanométricos, e a COPOL Compostos Poliméricos, em que estão investigando nanocompósitos  e materiais híbridos. "Juntamente com a Tecumseh submetemos um projeto a FINEP (Financiadora de Estudos e Projetos) e fomos aprovados na primeira fase.Agora estamos preparando a documentação para concorrermos a segunda e ultima fase. Será um projeto de valor próximo de R$ 600mil. Com a COPOL, estamos finalizando um projeto para a FAPESP (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo)", concluiu.
O que é a Nanotecnogia? - Em sua essência, a nanotecnoiogia consiste na habilidade manipular a matéria na escala atômica (~10-9 m) para
Criar estruturas com uma organização molecular diferenciada.
Seria algo como montar uma molécula do jeito desejado, utilizando átomos como peças fundamentais. Pela reduzida escala em que atua, esta tecnologia pode sintetizara matéria da forma que for mais adequada a utilização que se espera que esta matéria tenha. Modifica-se o arranjo de átomos e moléculas visando-se um produto final mais resistente, com menor custo, mais leve, mais preciso e mais adequado. O impacto econômico e nos modos produtivos esperados através da utilização da nanotecnologia é imenso. Imagine ligas 50 vezes mais resistente que o aço, supercomputadores do tamanho de uma caixa de fósforos, nanomáquinas que injetadas no corpo humano combatam doenças, turbinas super eficientes e  econômicas e até mesmo tintas que mudam de cor conforme o ambiente a que estão expostas.
A Nanoteenologia pode ser utilizada em diversas áreas como: Cinética de Reações Químicas (Catalisadores de veículos e catalisadores de membranas utilizadas em células a combustível), Saúde (Medicina nuclear): Tratamento de câncer e outras enfermidades, materiais para regeneração de ossos e tecidos) e Setor energético (Novos tipos de bateria, fotossíntese artificial, economia de energia ao utilizar  materiais mais leves e cirúrgicos menores), dentre outros.