Notícia

São Carlos em Rede

São-carlense ganha prêmio do Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas

Publicado em 21 maio 2010

O professor Vanderlei Salvador Bagnato, do Instituto de Física de São Carlos (IFSC) da Universidade de São Paulo (USP), foi anunciado como ganhador do Prêmio CBPF de Física de 2010. A comissão julgadora do prêmio indicou Bagnato pelo trabalho que demonstrou pela primeira vez o fenômeno de turbulência em um condensado Bose-Einstein e revelou as condições em que tal turbulência pode ser controlada. O prêmio foi criado no fim do ano passado pelo Centro Brasileiro de Pesquisas Físicas (CBPF) para reconhecer e valorizar a excelência de contribuições pontuais desenvolvidas no Brasil na área de física.

A pesquisa desenvolvida pelo grupo coordenado por Bagnato abre uma nova janela para a investigação dos fenômenos de turbulência - um dos principais desafios da física contemporânea - e para o estudo de superfluidos.

O trabalho premiado foi publicado no periódico Physical Review Letters e foi tema de reportagem da Agência FAPESP em agosto de 2009.

De acordo com Bagnato, turbulências são fenômenos que ocorrem em fluidos - líquidos e gases -, geralmente submetidos a movimentos completamente desordenados, conhecidos como vórtices.

"É fenômeno muito difícil de ser estudado e, atualmente, é uma das principais fronteiras do conhecimento na física", disse à Agência FAPESP.

Bagnato coordena o Centro de Óptica e Fotônica (Cepof) de São Carlos, um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (Cepid) da FAPESP, e o Instituto Nacional de Óptica e Fotônica, que tem apoio da Fundação e do CNPq.

O estudo, que também contou com a participação de cientistas da Universidade de Florença (Itália), demonstrou que o fenômeno da turbulência ocorre também no condensado de Bose-Einstein - uma fase da matéria formada por átomos em temperaturas próximas do zero absoluto e que permite a observação de efeitos quânticos em escala macroscópica.

Atualmente , o grupo está colhendo resultados mais detalhados sobre o fenômeno, como quanto tempo a turbulência demora para desaparecer do fluido quântico e quais são suas consequências, entre outros aspectos relacionados.

"Realizando no condensado, temos a chance de criar turbulência em um sistema um pouco mais controlado. Além disso, podemos manipular diversos fatores, como a variação de interação entre os átomos. Estamos tentando, em novos experimentos, controlar a turbulência por meio de um processo chamado de controle coerente quântico no condensado", explicou.

O professor destacou também a contribuição da FAPESP à sua pesquisa. "Grande parte do que faço teve e tem o apoio marcante da FAPESP, que tem tornado possível realizar projetos de pesquisa de longo prazo. Estudo os condensados há mais de cinco anos, mas só recentemente temos tido resultados mais robustos", disse.

Bagnato publicou mais de 200 trabalhos científicos em revistas internacionais e orientou mais de 45 teses entre doutorados e mestrados, principalmente na área de física atômica.

A entrega do Prêmio CBPF de Física de 2010, patrocinado pela Lasertools Tecnologia, será durante a cerimônia de abertura da 8ª Escola do CBPF, que ocorrerá em julho.