Notícia

DCI online

Santander corta juros e orienta pequeno e médio empresário

Publicado em 27 setembro 2012

Por Ernani Fagundes

SÃO PAULO -  O Santander ativou uma linha de capital de giro para pequenos e médios empresários que beneficia bons pagadores e selecionou entre seus 610 mil clientes, 250 companhias com potencial de crescimento para conhecerem outros instrumentos de captação no mercado de capitais.

"No crédito, vamos beneficiar os pequenos e médios empresários que pagarem no dia com a redução das taxas. E para aqueles com porte para operações de maior complexidade vamos fornecer as informações necessárias sobre como ter acesso ao capital", disse o diretor-executivo de pequenas e médias empresas do Santander, Marcelo Malanga.

Ontem, a instituição divulgou que sua linha de capital de giro SuperGiro Premium Plus dedicada para empresas com faturamento anual de até R$ 80 milhões pode bonificar com até 3 parcelas, os tomadores que pagarem no dia exato do vencimento, e se a taxa do certificado de depósito interbancário (CDI) ficar abaixo da contratada, dependendo das condições de mercado.

No exemplo dado por Malanga, a taxa de capital de giro pode cair dos atuais 2,41% ao mês, para 1,57% ao mês com a adimplência, e até para 0,91% ao mês ao final do empréstimo, se as condições de queda do CDI permitirem. "É uma operação que envolve derivativos de juros DI, e o cliente passa a ser o gestor de sua taxa, o que incentiva os bons pagadores", exemplificou Malanga.

Ao DCI, Malanga esclareceu que a maior parte do crédito tomado por pequenos e médios empresários está vinculada a recebíveis, como receitas de cartões de crédito no setor de comércio e e serviços; e de desconto de duplicatas pela indústria. "Eles recorrem pouco a consultorias financeiras, com o custo da linha baixo, não faz muito sentido o custo da estruturação de instrumentos mais complexos", argumentou.

Mas para as empresas que estão apresentando um crescente potencial de crescimento, o Santander pré-selecionou 250 companhias que receberão informações da Endeavor Brasil e do Insper sobre acesso ao capital, no próximo dia 3 de outubro, em São Paulo. "O evento vai tratar sobre acesso ao capital via equity ", diz.

Em entrevista ao DCI, o professor e coordenador do Centro de Empreendedorismo do Insper e mentor da Endeavor Brasil, Marcelo Nagakawa, adiantou que o encontro com os empresários também irá informar sobre instrumentos de captação por meio de recursos não reembolsáveis, como linhas da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) do Ministério da Ciência e Tecnologia, e a linha de subvenção econômica Pesquisa Inovativa de Pequenas Empresas (Pipe), da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp).

"No encontro também vamos preparar os empreendedores sobre como eles precisam se preparar para acessar linhas do BNDES [Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social] e linhas de investimentos de private equity, venture capital ou de investidores anjos", detalhou.

A coordenadora de serviços a empreendedores da Endeavor, Pamela Gonçalves, informou que pequenas e médias empresas que alcançarem a condição de preparadas para receber recursos, podem depois divulgar seus projetos para investidores internacionais e nacionais. "Promovemos entre três e quatro encontros anuais, em que as empresas com potencial de crescimento apresentam seus projetos aos investidores", detalhou Pamela.

Confiança

Ontem, o professor do Insper José Luiz Rossi divulgou o Índice de Confiança do Empresário de Pequenos e Médios Negócios (IC-PMN), que apontou um crescimento de 0,67% na confiança dos empreendedores. "A indústria está menos otimista, em relação à expectativa do comércio", comentou Luiz Rossi.

Na pesquisa divulgada, a confiança dos pequenos e médios empresários da indústria caiu de 76,1 pontos no terceiro trimestre para 74 pontos para o quarto trimestre de 2012, enquanto, para os entrevistados do comércio, a confiança subiu de 73,7 pontos para 75,3 pontos, e em serviços caiu de 73,7 pontos para 73,3 pontos, no mesmo período. A escala vai até 100 pontos, e o índice geral em 74,6 pontos indica otimismo.