Notícia

Canavieiros online

Santal apresenta desempenho da colhedora de cana S5010e em reunião do Grupo Fitotécnico de cana

Publicado em 22 novembro 2011

 Evento acontece nesta terça-feira (22/11), a partir das 8h, no Centro Cana IAC em Ribeirão Preto (SP). Sistema de pesagem de experimentos, uma parceria da Santal, IAC e Técnica Balanças, também será apresentado aos participantes

A Santal Equipamentos S/A apresenta nesta terça-feira (22/11), a partir das 8h, sua colhedora de cana S5010e e também um sistema inédito para equipar caminhão na colheita e pesagem de experimentos de cana, projeto este desenvolvido com apoio do Programa Fapesp de Pesquisa em Bioenergia e parceira da Santal, Técnica Balanças e IAC. A apresentação abre a 7ª Reunião do Grupo Fitotécnico de Cana-de-Açúcar IAC, que será no Centro Cana IAC em Ribeirão Preto.

O grupo fitotécnico de cana-de-açúcar congrega fitotecnistas de usinas e cooperativas, pesquisadores e outros profissionais de empresas de insumos, matéria prima, máquinas e equipamentos, projetos e outras áreas de produção ligadas à cultura de cana-de-açúcar.

S5010e - A máquina, que tem um conjunto de esteiras que em testes de campo já demonstrou ter de 20 a 40% mais vida útil que as atuais do mercado, conta com projeto inovador e capacidade de colheita em todo tipo de canavial, tem vários diferenciais como: cabine segura e confortável, caixa principal com 5 saídas e motor diesel 12 litros @1800rpm (o mais econômico da categoria). A colhedora oferece um opcional específico para a colheita de mudas: o kit mudas. Através de fácil substituição, é possível transformar o equipamento para colheita de muda ou colheita industrial. O kit mudas é um sistema patenteado no qual todos os pontos de contato da cana com a máquina são protegidos por borracha, minimizando o atrito e aumentando a proteção às gemas.

Sistema de pesagem de experimentos - Trata-se de um sobrecesto acoplado ao caminhão e estruturado sobre quatro células de carga que obtêm a pesagem da cana com precisão. O sobrecesto tem capacidade de carga de sete toneladas, aproximadamente. "O comboio tem sensores com células de carga que viabilizam a pesagem da cana imediatamente após o corte e armazenam os dados em dispositivo acoplado à cabine do caminhão", explica o pesquisador do IAC Marcos Guimarães de Andrade Landell.

A tecnologia inédita vem atender à necessidade das usinas que colaboram na realização de experimentos para avaliar novos materiais de cana-de-açúcar. Além dos institutos de pesquisa, as usinas participam no desenvolvimento dos ensaios. Com a eliminação gradativa de queima e da colheita manual, surgiu a necessidade de desenvolver mecanismo que pudesse colher e pesar os experimentos de forma mecânica e com sensibilidade suficiente para aferir o peso e, consequentemente, a produtividade de cada material.