Notícia

Jornal da Cidade (Bauru, SP)

Saliva de carrapato contra o câncer!

Publicado em 10 dezembro 2012

A saliva lubrifica, digere e atua sobre os microrganismos para controlar sua proliferação e impedir sua entrada nos tecidos. As glândulas jogam a saliva por um orifício em cada bochecha e outros localizados ao lado do freio lingual. Em toda a mucosa bucal, temos outros milhares de pequeninos orifícios por onde brota saliva sem parar.

Um corte na pele demora 7 a 10 dias para reparar, na boca menos que 7 dias. Os sábios animais perceberam e lambem suas feridas! Na saliva tem uma substância que acelera a proliferação das células e promove uma reconstrução muito mais rápida e se chama EGF ou Fator de Crescimento Epidérmico. Quando nasce o cachorrinho, seus lábios e pálpebras estão fechadas e imaturas: o lamber com saliva materna, acelera sua abertura para ver e sentir o mundo!

Nas feridas incuráveis os gregos aplicavam saliva de serpente: melhoravam ou curavam. A saliva é poderosa e muitas mulheres sabem usá-la para encantar e hipnotizar os homens, mas esta é uma outra história!

Dizem: quem trabalha não tem tempo para ganhar dinheiro, para observar a natureza e seus fenômenos que sugerem coisas na mente preparada e com tempo para captar. Assim são os verdadeiros cientistas, pensam, refletem e analisam coisas que para os mais práticos, os pesquisadores, seria perda de tempo.

Os cupinzeiros são aglomerados de terra e chegam a 8 metros para albergar até dois milhões de insetos. São feitos de partículas de terra retiradas pelos cupins operários que ao misturarem com a saliva tem-se como resultado um produto duro como tijolo. Tão resistentes, que dificultam o manejo do solo, mesmo com poderosas máquinas.

A dureza dos cupinzeiros vem da ação de enzimas salivares sobre a terra regurgitada pelos insetos operários. Identificadas as enzimas, a indústria fornece-as em galões, para borrificar e encharcar extensas áreas de terra como estradas vicinais, estacionamentos e parques de manobras de veículos ou animais. Não se precisa usar o asfalto do petróleo, a terra ficará rígida, firme, sem poeiras e por muitos menos, e ainda, ecologicamente correto. Mais uma aplicação prática da ciência.

Saliva do carrapato

A pioneira cientista Simone Simons queria saber como o carrapato-estrela ou Amblyomma cajennense, sugava continuadamente o sangue dos animais sem que o coagulasse. Descobriu-se que na saliva do carrapato existia uma substância anti-coagulante: era a ideia para isolar e criar uma droga anti-coagulante muito útil em várias situações laboratoriais e clínicas e no tratamento de certas doenças, como nas mordidas de cobra cujos venenos coagulam o sangue, bloqueia o fluxo e promove a morte.

Durante 10 anos, em um teste suspeitou-se que na saliva do carrapato haveria substâncias que impedisse a proliferação de células: outra ideia! Poderia a substância Amblyomin-X da saliva do carrapato ser isolada e usada como droga oncológica em certos tipos de cânceres, sem afetar as células normais do paciente?

Eureca! Sim, uma sustância da saliva do carrapato-estrela induz células cancerosas ao suicídio, um processo conhecido como apoptose ou morte celular programada. Um grupo de oito cientistas do Instituto Butantan liderados por Ana Maria Chudzinski-Tavassi isolou o gene responsável pela proteína na glândula salivar do carrapato e o levou ao laboratório para fabricar-se a Amblyomin-X com a técnica recombinante usando-se de bactérias como produtoras.

Em oitos meses, duas empresas fazem testes pré-clínicos para saber a dose e grau de toxicidade. O foco é o tratamento de melanoma, câncer renal e de pâncreas. Em um mês, camundongos com melanoma sem tratamento com a proteína morreram, mas nos tratados com ela por 42 dias, o câncer desapareceu!

Entendimentos com a Anvisa estão avançados. A empresa União Química, junto com os pesquisadores e Fapesp, patenteou a descoberta em vários países e linhas de montagem estão sendo criadas em fábrica de Brasília, como anunciou a Revista Pesquisa Fapesp. A viabilidade econômica se deu graças a R$18 milhões de reais do BNDES.

Tudo a partir da saliva de carrapato-estrela! A saliva tem numerosas funções em cada animal! Serve até para alisar sobrancelhas ao molhar o dedo, passar folhas de livros e jornais, contar dinheiro ou tirar manchas na telinha do computador ou celular ... Saliva é coisa boa, é do bem!

Não é de se estranhar: produzimos e engolimos saliva a vida inteira e não faz mal algum! Estudar cada vez mais as suas propriedades no homem e animais pode gerar mais descobertas surpreendentes!