Notícia

Tribuna Hoje online

Robôs, pesquisa e muita tecnologia atraem visitantes à ExpoT&C

Publicado em 25 julho 2018

Robôs, maquinários, simuladores e muita tecnologia são os ingredientes da Mostra de Ciência, Tecnologia e Inovação: a ExpoT&C, que sempre ocorre durante as reuniões anuais da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC). A ExpoT&C ocorrerá até o próximo sábado (28), das 9h às 18h.

O pavilhão montado ao lado da Biblioteca Central da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), no Campus A, C Simões, em Maceió, reúne centenas de expositores, como universidades, institutos de pesquisa, agências de fomento, entidades governamentais, setor empresarial e outras organizações interessadas em apresentar novas tecnologias, produtos e serviços. O público da ExpoT&C cresce anualmente com um trânsito diário de mais de 6 mil visitantes.

Entre os robôs em exposição está o Znap – criado por alunos da Escola Sesi Senai em Alagoas. O protótipo foi criado em sala de aula por três alunos amantes de tecnologia e está atraindo centenas de pessoas que querem descobrir o segredo do comando do robô.

“Fizemos o robô junto com a coordenação do professor. Geralmente são feitos para competição. Mas esse foi feito para a mostra”, explica Robson Matheus, de 16 anos, um dos alunos que contribuiu para a criação do Znap.

O que chama atenção dos estudantes e da população que passa pelo o local é que o robô anda através do comando de voz (assobio ou estralo dos dedos – como se estivéssemos chamando um cachorro), mas os criadores disseram que não conta o segredo de como funciona.

“Existe um comando [controle]. É técnico, além da voz. Mas é segredo. As pessoas podem vir aqui conferir as tecnologias. Quem sabe a gente conte como funciona”, comenta Matheus Alves, de 16 anos, e Carlos Eduardo, de 17 anos, responsáveis pelo comando do Znap.

Além do espaço com robôs produzidos por Estudantes do nível fundamental até o superior, a expoT&C conta com os estandes do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, com todos os seus Institutos e Agências de financiamento (Fineo e CNPq), Ministério da Educação e sua agência Capes, Ministério do Esporte, Iphan, Inmetro, Ministério da Defesa (Marinha do Brasil, Exército e Aeronáutica), Sebrae, Senai, Fundações de Apoio à Pesquisa dos Estados (como Fapesp, Fapeal e outras), Fundação Bradesco, Governo Alemão Baden-Württemberg, MIT, Suframa, CLA, ITA, Petrobras, Unicamp, UFRJ, Universidades e escolas locais, dentre outras grandes instituições. Todos chamam a atenção de quem visita o local.

O estudante Luís Alexandre, da Escola Estadual Dr Sidronio Augusto de Santa Maria, em Santa Luzia do Norte disse que o evento proporciona muito conhecimento e traz novidades. “Tem muita coisa interessante por aqui. Os jogos de tabuleiro que usa tecnologia é muito legal. Além de tecnológico é educativo com a temática dos países e regiões. O estande da Marinha também está muito legal. Mostra uma realidade virtual bacana”, conta o estudante.

ABERTURA

A abertura da ExpoT&C, foi na segunda-feira (23). O evento contou com as presenças do atual presidente da SBPC, Ildeu de Castro Moreira, do professor e vice-reitor da Ufal, José Vieira e do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), Gilberto Kassab.

A mostra de ciência, tecnologia e inovação reuniu vários jovens e adultos amantes da tecnologia de todo o país, interagindo com diversas instituições e observando os diversos projetos apresentados.

Professor, físico e pesquisador pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Ildeu de Castro disse que espera que o evento tenha uma participação intensa dos alunos e dos pesquisadores, tanto da Ufal quanto de outras instituições de Alagoas. “A sociedade brasileira diz que tem que aumentar os recursos para essa área. Infelizmente os representantes dessa mesma população não fazem isso, nem no legislativo e nem no Congresso Nacional. Com exceções, evidentemente”, falou o Físico.

A SBPC Jovem recebe Mostra de Robótica de escolas estaduais de Alagoas, entre os dias 23 e 28 de julho, na tenda montada ao lado da Biblioteca Central da Universidade Federal de Alagoas (Ufal). No total, 30 projetos foram selecionados e as equipes apresentam soluções sustentáveis.

Os protótipos apresentados são de relevância social e aplicabilidade.

Para o professor coordenador da Mostra de Robótica, Ronaldo Cristiano, “a robótica na rede estadual de ensino trouxe uma melhoria na aprendizagem das disciplinas de matemática, física, e estar na SBPC é um ganho de experiência grande e uma oportunidade de despertar novas pesquisas”, disse.

A exemplo dos estudantes da Escola Estadual Edileuza Oliveira, de São Miguel dos Campos/AL, eles trazem uma ideia inovadora: uma lixeira automatizada controlada por smartphone desenvolvida a partir da necessidade de manter a escola limpa.

Para o professor Carlos Teixeira, o projeto nasceu a partir da iniciativa da Secretaria de Estado da Educação (Seduc) em ofertar o ensino de robótica nas escolas estaduais e também da necessidade de alguns estudantes assistirem conteúdos mais práticos: “os estudantes brilham os olhos com a oportunidade de aprender robótica e poder participar de eventos como este”, falou.

INCENTIVO

Para os estudantes responsáveis pela criação da lixeira automatizada, Natanael da Silva, Augusto Santos e Éricles Teixeira, participar da SBPC é um incentivo para a formação acadêmica, além de encontrar projetos de outros estados brasileiros com ideias empreendedoras: “é emocionante poder aprender e nos aprimorar com outros colegas”, afirma Éricles Teixeira.

O barco robótica Iracema desenvolvido para o monitoramento ambiental é um dos “equipamentos” mais visitados e que atrai muita gente que quer conhecer e saber como funciona o barco.

Aristides Pavani Filho do Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação Renato Archer (CTI) de Fortaleza explica que o Barco Robótica foi desenvolvido para trabalho em alto mar sem a necessidade de pessoas nele. “É um instrumento que possibilita conseguir dados, fazer estudo sem tripulação, por exemplo, em uma operação de alto risco”, disse.

Aristides explica que o barco é totalmente elétrico e foi projetado para funcionar um dia inteiro. “Ele é a bateria e funciona o dia inteiro sem a necessidade de recargar. Então, ele fica no mar o dia todo e recarregamos a noite. Ele funciona através de sistema de transmissão com três operações. Manual, controle remoto [Antena] e autônomo com os comandos dos coordenadores“, ressalta.

O barco foi desenvolvido pelo CTI/Fortaleza com financiamento do Governo Federal.

“É um equipamento de grande importância que carrega instrumentos científicos, mede a qualidade da água e é sonar”, explica Pavani Filho.

Joseph Wesley responsável por toda a parte Elétrica da SBPC ficou totalmente encantado com a Tecnologia empregada no barco Iracema.

“A tecnologia usada no barco é sensacional. Ele pode ser usado até para fazer resgate. Bem projetado, leve, autônomo e o melhor uma tecnologia sustentável que de fato tem uma eficiência. Isso é muito bom, chama a atenção. Fiquei impressionado. Como sou da área já aproveitei para conhecer as novidades”, comenta Joseph.

Dentre os vários estandes presentes na ExpoT&C está o da própria Ufal, contando com a presença do professor Geraldo Veríssimo, coordenador do Programa de Melhoramento Genético da Cana-de-açúcar (PMGCA), que exaltou a importância do seu projeto. “Se o Brasil é responsável, por exemplo, por grande parte das energias renováveis no mundo e se as variedades RB têm 70%, então o trabalho de pesquisa da equipe do PMGCA tem grande importância nessa matriz energética do país”, ressalta.

Pedro Henrique, do Instituto Federal de São Paulo (IFSP), estava com uma equipe apresentando alguns projetos de informática e tecnologia assistiva, que visam sempre o baixo custo. O estudante de eletroeletrônica falou sobre a quantidade de projetos que visam não trazer danos ao meio ambiente e com baixo custo podem incentivar alunos no engajamento para um futuro melhor do país.

Cada projeto exposto nos estandes será visto e avaliado. “Os trabalhos já foram pré-selecionados e aí só a critério de classificação para saber quais são os melhores para a gente”, afirmou o avaliador Pedro Silva.