Notícia

O Popular (Goiânia, GO)

Roberto Carlos tenta barrar mais um livro

Publicado em 24 abril 2013

Por Rogério Borges

O cantor Roberto Carlos está se tornando rei em outro aspecto: o de tentar barrar livros. Depois de tirar das livrarias a biografia escrita por Paulo César Araújo sobre sua vida, Roberto Carlos em Detalhes, os advogados do cantor entraram com notificação judicial semelhante quanto a outra obra. Dessa vez, trata-se do título Jovem Guarda: Moda, Música e Juventude, escrito por Maíra Zimmermann. O livro é resultado de uma dissertação de mestrado defendida pela autora no Departamento de Moda, Cultura e Arte do Centro Universitário Senac (SP) e publicada com o apoio da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado de São Paulo [Fapesp].

Os advogados de Roberto Carlos alegam, na ação protocolada no início do mês, que o livro invade a intimidade do cantor, revelando episódios que ele não gostaria de ver publicados. A notificação também questiona a capa do livro, que traz ilustrações retratando Roberto, Erasmo Carlos e Wanderleia, com desenhos assinados por Douglas K. do Amaral. Segundo o Rei, há o uso indevido de imagem nesse trabalho. Os advogados de Maíra Zimmermann já elaboraram uma contranotificação contestando os argumentos dos representantes de Roberto, afirmando que todos os dados que constam na obra são relacionados aos campos que ligam comportamento e moda no período da jovem guarda e que tinham os três artistas como ícones.

A forma como Roberto Carlos agiu no episódio de sua biografia causou muita polêmica, já que foi vista como uma maneira truculenta de impedir a divulgação de um livro. Não foram poucos que o acusaram de censura. O cantor ganhou a batalha judicial e os exemplares da biografia não autorizada Roberto Carlos em Detalhes foi recolhida das lojas, podendo ser acessada apenas em cópias piratas na internet.

O caso fez com que um projeto fosse apresentado, debatido e aprovado em primeiro turno na Câmara dos Deputados, que muda o artigo 20 do Código Civil- na prática, a iniciativa permite que uma pessoa retire de comercialização um livro que ela alega que o ofenda ou invada sua privacidade. Nos Estados Unidos e na Europa, biografias não autorizadas são comuns e não há dispositivos que as impeçam de circular. Caso alguém se sinta atingido, procura, após o livro na praça, as devidas reparações legais, como indenizações.