Notícia

Portal R7

Risco de ataque do coração aumenta com temperaturas mais baixas

Publicado em 12 agosto 2010

Durante o inverno, são maiores as chances de uma pessoa sofrer um infarto ou outras doenças cardíacas - principalmente no caso de um idosos ou um paciente com problemas de coração. Médicos britânicos realizaram um estudo com 84 mil pessoas e descobriram que a redução de 1ºC na temperatura ambiente provocou, em um ano, pelo menos 200 infartos a mais do que o normal.

O estudo, realizado por médicos da Universidade de Londres, no Reino Unido, e publicado na revista científica Britsh Medical Journal, foi feito a partir de informações de 84 mil pacientes da Inglaterra e do País de Gales que deram entrada em hospitais por causa de infarto entre 2003 e 2006.

Os pesquisadores perceberam que, com a redução em 1ºC na temperatura média diária, aumentava em 2% a chance de a pessoa sofrer um infarto no período de 28 dias. Os riscos eram ainda mais graves nas duas semanas após o paciente passar pela temperatura mais baixa, de acordo com Krishnan Bhaskaran, autor do estudo.

- Pessoas mais velhas, com idades entre 75 e 84 anos, e indivíduos com histórico de doenças cardiovasculares aparentemente estão mais vulneráveis aos efeitos das reduções de temperatura.

Durante o inverno, segundo o cardiologista César Jardim, do Hospital do Coração de São Paulo, os vasos por onde passa o sangue ficam mais estreitos, o que acaba prejudicando a circulação. Além disso, o médico diz que algumas proteínas relacionadas à coagulação se concentram nessa época e acabam ficando mais ativas.

- Isso pode causar mais ataques do coração porque muitas vezes o infarto vem de um coágulo.

Jardim alerta, no entanto, que, apesar desse fenômeno também ocorrer no Brasil, é mais comum em países com temperaturas extremas, como na Inglaterra.

- Mas, aqui no Brasil, na região Sul, e mesmo em São Paulo, a gente já verifica essa relação [entre frio e infarto].

Com informações da Agência Fapesp.