Notícia

Jornal da Unesp online

Rio Preto estuda formação de professores via Teletandem

Publicado em 15 janeiro 2008

Projeto proporciona contato com alunos de outros países

Com o lema "Eu te ensino minha língua, você me ensina a tua!", o projeto Teletandem Brasil, desenvolvido pela UNESP com patrocínio da Fapesp, proporciona o contato de alunos universitários brasileiros que querem aprender uma língua estrangeira com universitários de outros países que estão aprendendo português.

Por meio do software MSN Live Messenger, os chamados interagentes têm condição de conversar em tempo real, utilizando recursos de voz, texto e imagem, por intermédio da webcam.

A fim de analisar questões acerca da formação profissional de futuros professores de línguas como interagentes, Marta Kfouri, professora substituta do Instituto de Biociências, Letras e Ciências Exatas (Ibilce) da UNESP, câmpus de São José do Rio Preto, desenvolve o projeto de doutorado "A formação inicial de professores de línguas para o teletandem: um diálogo entre crenças, discurso e reflexão profissional", sob orientação da docente Maria Helena Vieira Abrahão.

Em seu estudo, Kfouri observa as interações entre uma brasileira e uma mexicana. A primeira é falante de espanhol e aluna de Licenciatura em Letras da UNESP; a segunda, falante bilíngüe de espanhol e inglês e doutoranda em Lingüística Aplicada na Espanha.

"Apesar de já terem experiência no ensino de língua estrangeira, consideramos que ambas estão em processo de formação inicial, especificamente para o Teletandem", afirma a pesquisadora. De acordo com ela, a pesquisa pretende fornecer uma descrição e uma interpretação das ações das participantes em um contexto determinado, no qual as interações ocorrem.

"Tomamos como material de análise os dados coletados via MSN e também os dados obtidos por meio de autobiografias, questionários, entrevistas, interações por chat, diários das interações e das sessões de mediação e gravações em áudio e vídeo", explica.

Resultados parciais da pesquisa revelam que há vantagens visíveis no contexto de interação via teletandem, tais como: a motivação para interagir e o objetivo de "buscar o entendimento", o favorecimento da desinibição, a superação dos entraves para implementar o teletandem, que necessita de aparelhos adequados, entre outros.

"Um dos pontos de destaque no ensino/aprendizagem via teletandem é a troca cultural que acontece, que normalmente não ocorre em uma aula tradicional de língua estrangeira", revela. Para Kfouri, outro aspecto positivo na interação via teletandem entre futuros professores de idiomas é a reflexão que o contato causa. "É uma maneira de o interagente refletir, de pensar no seu papel enquanto professor".

Natália dos Santos Ciceri, a interagente brasileira que participa da pesquisa de Kfouri, concorda com essa observação. "Interagir com uma falante do espanhol me trouxe mais conhecimento dos aspectos lingüísticos e culturais da língua que estudo na graduação.

Além disso, participar desse projeto contribuiu para minha formação na área de ensino de português como língua estrangeira, que vem crescendo bastante", avalia.