Notícia

Diário do Nordeste

Revolução de 68 em conferência

Publicado em 14 novembro 2012

Para resgatar todo o contexto de luta e resistência à violenta ditadura que marcou a história do País na década de 60, o Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura realiza neste mês o ciclo temático “Nós que Amávamos Tanto a Revolução”.

A programação especial terá início hoje, com o seminário “A Ideia de Revolução”, do professor Marcelo Ridenti. Às 19h, no Auditório, o especialista abordará questões referentes ao discurso revolucionário que caracterizou a década de 60. Ridenti irá refletir sobre como o discurso de revolução foi construído no Brasil. Algumas questões pontuais da conferência são: tivemos, de fato, uma revolução naqueles anos? Como a cultura e a política se entrecruzaram neste período? E hoje, é possível falar de revolução? A palestra remete ao último livro de Ridenti, intitulado “Brasílídade Revolucionária – Um século de cultura e política”, lançado em 2010.

Currículo

Marcelo Ridenti é graduado em Ciências Sociais e Direito pela Universidade de São Paulo (USP). Doutor em Sociologia, é também professor titular da disciplina na Unicamp, desde 2005. O pesquisador integra a Coordenação de Ciências Humanas e Sociais na Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP). Foi Secretário Executivo da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Ciências Sociais (ANPOCS, 2004-2008). É especialista nos temas: cultura; arte e política; esquerda brasileira; intelectualidade brasileira; pensamento marxista; ditadura militar brasileira; anos 1960. Autor de diversos títulos, entre os quais “Em busca do Povo Brasileiro” e “O Fantasma da Revolução Brasileira” que contribuíram significativamente para redesenhar a historiografia da produção intelectual e artística da esquerda brasileira.