Notícia

AMAERJ - Associação dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro

Revista FÓRUM: Hors Concours do 9º Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli sairá de lista tríplice

Publicado em 04 agosto 2020

Associados escolherão entre cientistas, médico e ministro do STF

A diretoria executiva e a diretoria adjunta da associação dos magistrados do estado do rio de janeiro escolheram, com base em indicações dos magistrados associados, os integrantes da lista tríplice de onde sairá o vencedor do Hors Concours do 9º Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos.

Os escolhidos pelos dirigentes da AMAERJ são a biomédica Jaqueline Góes de Jesus, uma das cientistas responsáveis pelo estudo que levou ao sequenciamento genético do novo coronavírus; o ministro Luiz Fux, presidente eleito do Supremo Tribunal Federal (STF); e o neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho, fundador do Instituto Estadual do Cérebro (IEC).

Por resolução da Diretoria Executiva da AMAERJ, o Hors Concours deste ano será destinado a uma personalidade de destaque em ações fundamentais contra a expansão da pandemia. A partir dos nomes apresentados pelos associados, os dirigentes da Associação decidiram, em reunião virtual, indicar para a lista os nomes mais votados pela classe.

De acordo com o artigo 18 do regulamento do 9º Prêmio AMAERJ Patrícia Acioli de Direitos Humanos, a escolha do laureado pelo Hors Concours se dará por meio de votação até o dia 17 de agosto.

Para votar, o associado deve enviar o nome de seu preferido pelo e-mail contato@amaerj.org.br. Mais informações sobre os concorrentes e o modo de escolha estão no site www.amaerj.org.br/premio.

FINALISTAS

Jaqueline Góes de Jesus é biomédica de destaque nas áreas de biotecnologia, medicina investigativa e genética. Doutora em Patologia Humana e Experimental, chefiou a equipe de pesquisadores da Universidade de São Paulo (USP) que, de modo inédito, obtiveram o sequenciamento genético da Covid-19.

Já o consagrado neurocirurgião Paulo Niemeyer Filho, a partir do agravamento da pandemia, destinou os 44 leitos do IEC, fundado por ele há seis anos, ao tratamento exclusivo de vítimas do coronavírus.

O ministro Luiz Fux, presidente eleito e atual vice-presidente do STF, é um estudioso da forma como as cortes judiciárias se comportam em episódios de calamidade. Em mais de um pronunciamento, ele defendeu que seja firmada o que já chamou de “jurisprudência de crise”, referindo-se às consequências jurídicas da pandemia.

Conheça um pouco mais sobre os integrantes da lista tríplice

Luiz Fux

Presidente eleito do Supremo Tribunal Federal (STF), tomará posse em 10 de setembro para dois anos de mandato (2020-202). Jurista, professor universitário, Fux, de 67 anos, presidiu o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 2018 e exerceu a função de ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de 2001 a 2011.

Na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), Fux graduou-se em 1976 pela Faculdade de Direito, tornou-se doutor em 2009 e desde 1995 é professor titular de Direito Processual Civil. Também lecionou Processo Civil na Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro (Emerj) e Direito Judiciário Civil na Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-Rio).

Fux atuou no Ministério Público do Rio de Janeiro, de 1979 a 1982. No ano seguinte, ingressou na Magistratura fluminense por meio de concurso público. Foi juiz até 1997, quando assumiu a função de desembargador do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ).

A indicação ao cargo de ministro do STJ veio em 2001, pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso. Dez anos depois, chegou ao STF, indicado pela então presidente Dilma Rousseff. Atualmente, é o vice-presidente do Supremo.

Paulo Niemeyer Soares Filho

Reverenciado como um dos mais sábios médicos brasileiros em todos os tempos, o neurocirurgião Niemeyer Filho, de 68 anos, graduou-se em 1975 pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), seguindo a carreira do pai, o renomado Paulo Niemeyer (1914-2004), pioneiro da neurocirurgia no Brasil. Niemeyer Filho, logo após a formatura, mudou-se para a Inglaterra, a fim de estudar neurologia. Estagiou e foi residente no Hospital Nacional de Doenças do Sistema Nervoso (em tradução livro) do Instituto de Neurologia da Universidade de Londres.

De volta ao Brasil, o neurocirurgião concluiu o doutorado na Escola Paulista de Medicina da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp). Atualmente, dirige o Instituto Estadual do Cérebro Paulo Niemeyer, que fundou em 2014.

Ao longo dos 45 anos dedicados ao exercício da Medicina, Niemeyer Filho desenvolveu trabalhos na Suíça, no Canadá e nos Estados Unidos e lecionou em algumas das principais unidades de ensino médico do país, como a Fundação Carlos Chagas e a Escola Médica de Pós-Graduação da Pontifícia Universidade Católica do Rio (PUC-Rio). É membro titular da Academia Nacional de Medicina.

Jaqueline Góes de Jesus

Graduada em Biomedicina pela Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública, Jaqueline, de 30 anos, é mestre em Biotecnologia em Saúde e Medicina Investigativa pelo Instituto de Pesquisas Gonçalo Moniz da Fundação Oswaldo Cruz (IGM-Fiocruz) e doutora em Patologia Humana e Experimental pela Universidade Federal da Bahia (UFB) em parceria com a Fiocruz.

No doutorado, realizou o chamado estágio-sanduíche na Universidade de Birmingham (Inglaterra). No período, desenvolveu protocolos de sequenciamento de genomas completos dos vírus zika e de sequenciamento direto do RNA (ácido ribonucleico).

Atualmente, a especialista desenvolve pesquisas como bolsista da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) e, como pósdoutoranda,no Instituto de Medicina Tropical da Universidade de São Paulo (IMT-USP).

Jaqueline coordenou a equipe que sequenciou os primeiros genomas do novo coronavírus (SARS-CoV-2) no Brasil em parceria com o Instituto Adolfo Lutz, da Secretaria de Saúde do Estado de São Paulo. É professora-adjunta licenciada da Escola Bahiana de Medicina e Saúde Pública.

Confira aqui a revista completa.