Notícia

JC e-mail

Revista de Ciências Agronômicas do IAC completa 70 anos

Publicado em 16 junho 2011

Desde janeiro de 1941, o periódico reúne artigos nesse campo do conhecimento escritos por profissionais do IAC e de outras instituições de pesquisa e ensino.

Bragantia a revista de Ciências Agronômicas, editada pelo Instituto Agronômico (IAC), de Campinas (SP) está completando 70 anos. "Consideramos que as sete décadas de divulgação da pesquisa agrícola contribuíram para o desenvolvimento das ciências agrárias no País, sendo esse um dos alicerces da nossa Nação. Também podemos considerar a contribuição de Bragantia ao amadurecimento científico das instituições brasileiras e dos nossos pesquisadores", avalia Rafael Vasconcelos Ribeiro, editor-chefe e pesquisador do IAC, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento de São Paulo.

O nome Bragantia é uma homenagem ao considerado seu indireto fundador, D. Pedro II - Pedro de Alcântara de Orleans e Bragança - Imperador do Brasil e fundador do Instituto Agronômico. No próximo dia 27 o IAC completa 124 anos.

A Revista é indexada por Abstract on Tropical Agriculture, Bibliografia Brasileira de Agricultura, Bibliography of Agriculture, Biological Abstracts, CAB Abstracts, Chemical Abstracts, Herbage Abstracts, Latindex, Periodica, Plant Breeding Abstracts, Scopus (Elsevier) e Redalyc.

A presença nessas bases de dados nacionais e internacionais tem ampliado o interesse pela publicação como veículo de divulgação de pesquisa. "Aumento expressivo de acesso aos textos de Bragantia foi observado na última década, passando de pouco mais de 1,5 acessos por hora em 2000 para 71,3 acessos por hora em 2010", diz Ribeiro.

Esses dados representam um aumento de 46 vezes na divulgação dos trabalhos publicados. "Em 2009, os textos completos de Bragantia foram acessados mais de 350 mil vezes, com média superior a 950 acessos diários", afirma. Para ele, os números comprovam a importância de revista como uma das opções majoritárias para divulgação de pesquisa na área de ciências agronômicas.

Desde janeiro de 1941, o periódico reúne artigos nesse campo do conhecimento escritos por pesquisadores do IAC e de outras instituições de pesquisa e ensino. Na última década, houve aumento de três vezes na quantidade de textos publicados pela Bragantia.

Neste aspecto, outro dado que revela a expansão da abrangência nacional da revista, que publicou, em 2008 e 2009, textos oriundos de instituições em 19 estados, das cinco regiões. A maior parte das contribuições são de São Paulo, Minas Gerais, Rio Grande do Sul e Paraná - Sudeste e Sul reúnem 87% e 88% das participações, respectivamente. Mas há também textos do Acre e do exterior, vindos da Colômbia e Espanha.

A colaboração internacional ainda é incipiente, variando entre 2,5% e 1,7% do total em 2008 e 2009, respectivamente. "Essa situação está certamente relacionada à língua predominante em que Bragantia é publicada, a língua portuguesa, e ações no sentido de aumentar a divulgação internacional e atrair submissões de outros países serão articuladas em 2011", afirma Ribeiro.

O periódico é classificado com Qualis B2 em Ciências Agrárias. Este ano, com base nesse desempenho, o Comitê Editorial solicitará a indução da revista para o Qualis B1. Os avanços obtidos são fruto da dedicação de autores, revisores e Comitê Editorial, do IAC e das agências de fomento, como CNPq e Fapesp.

A primeira década de 2000 marca significativos avanços para a Bragantia, como a inclusão total no portal SciELO (Scientific Eletronic Library Online), a indexação pela biblioteca eletrônica Redalyc e International Society for Pest Information e adoção da periodicidade trimestral, em razão do aumento da quantidade de trabalhos submetidos.

Outro ganho está relacionado também ao sistema de gerenciamento eletrônico, que viabilizou a redução em cinco vezes no tempo de avaliação dos textos entre 2008 e 2010 e baixou os custos editoriais.

Ao estar na Redalyc, a Bragantia passa a compor uma rede internacional de revistas científicas com trabalhos de pesquisadores da América Latina, Caribe, Espanha e Portugal. Embora a publicação já esteja indexada em outras bibliotecas, a presença na Redalyc proporciona maior destaque ao conteúdo científico produzido no IAC. A inclusão nessa rede amplia o número de usuários que podem acessar, contribuindo para a maior visibilidade às pesquisas publicadas, além de colaborar com o desenvolvimento da ciência, por meio da intensificação de intercâmbio de informações com pesquisadores de todo o mundo.

"A Bragantia recebeu em 2009 mais de 390 submissões, ao passo que em 2010 foram submetidos mais de 490 textos", diz Ribeiro. Ele ressalta que a quantidade de artigos publicados foi mantida em 120 por ano, resultando no aumento do rigor quanto à avaliação técnico-científica dos textos.

Em agosto de 2010, a Bragantia foi totalmente digitalizada e integralmente incluída na biblioteca eletrônica do portal SciELO. Atualmente, 209 números ou fascículos e cerca de 2.700 artigos científicos relacionados a novas cultivares e técnicas de cultivo de diversas espécies agrícolas adaptadas às mais variadas regiões de cultivo do Brasil estão disponíveis on line. Todo esse conteúdo foi disponibilizado gratuitamente à comunidade científica. Bragantia é uma das quatro revistas, dos 23 títulos da série de Ciências Agrárias presentes no portal desde sua criação, em 1997.

Trabalhos - A publicação ininterrupta de textos científicos rendeu mais de 2.700 trabalhos relacionados à botânica, genética e melhoramento de plantas, fitotecnia, fitossanidade, fertilidade dos solos e nutrição de plantas, sistemas de cultivo, tecnologia pós-colheita de grãos e fibras e agrometeorologia. Nos últimos dez anos, houve aumento significativo na quantidade de textos publicados, chegando a mais de 120 artigos anuais.

(Ascom IAC)