Notícia

Jornal da Unesp

Repositório da UNESP avança

Publicado em 01 março 2017

As pesquisas da Unesp estão com maior visibilidade. É o que demonstra o Repositório Institucional Unesp (RI - Unesp), que melhorou sua posição na avaliação do Web Ranking of World Repositories (WRWR, http://repositories. webometrics.info) divulgada em janeiro.

O WRWR é uma iniciativa do Cybermetrics Lab do Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC) da Espanha, grupo que atua na análise quantitativa dos conteúdos da Internet relacionados com a geração e comunicação do conhecimento científico.

O Grupo Gestor do RI-Unesp tem acompanhado seu desempenho desde que ele foi incluí- do na avaliação do WRWR. Ele tem apresentado uma evolução contínua, e se mantém entre os dez primeiros repositórios do Brasil, ocupando a quinta colocação na última avaliação. Em relação aos repositórios latino-americanos, ele ocupa a nona posição e, em relação ao ranking mundial, está no 162.º lugar. Em termos de crescimento, verifica-se que, entre janeiro de 2014 e janeiro de 2017, ele saltou 270 posições no ranking mundial (de 432 para 162), 13 posições no latino-americano (de 22 para 9) e 3 posições no brasileiro (de 8 para 5).

Os critérios analisados pelo ranking são relativos a tamanho (número de arquivos pdf indexados pelo Google), visibilidade (combinação de links externos e número de suas referências para webdomains, segundo os dois principais fornecedores de link de dados: SEO Majestic e Ahrefs), social (por Altmetria, a partir de redes sociais) e Google Scholar (total de itens obtidos).

Com o objetivo de armazenar, preservar, disseminar e favorecer o acesso aberto à produção científica, acadêmica, artística, técnica e administrativa da Universidade, de maneira pública e global, o RI-Unesp abrange a produção da Universidade desde 1976, em um total de 108.707 itens, incluindo teses e dissertações submetidas por autoarquivamento (30.376 itens), patentes da Agência Unesp de Inovação – AUIN (202 itens), artigos recuperados por meio de coleta automática nas principais bases de dados internacionais, como Web of Science, Scopus e Scielo (59.303 itens), e mais recentemente dos dados dos currículos Lattes dos docentes, além de outros tipos de produção. Toda essa coleta de dados é feita pela Equipe Técnica do Repositório.

Os dados do RI-Unesp revelam, ainda, que a produção científica de autores afiliados à Unesp apresenta notável crescimento nos últimos 20 anos (da ordem de 600%). Em termos de produção global, por unidade universitária, observa-se que os “top five” situam-se, respectivamente, na FCAV (Jaboticabal), FMB (Botucatu), IBB (Botucatu), IBRC (Rio Claro) e Ibilce (São José do Rio Preto).

Confira, no quadro, um panorama dos dados do RI-Unesp, por unidade e por espécie de produção científica.

Esses resultados revelam que o RI-Unesp, além de aumentar a visibilidade e a confiança na Unesp como instituição de ensino e pesquisa de qualidade, pode também ser usado como uma poderosa ferramenta de gestão e de avaliação.

METODOLOGIA É DESTAQUE EM ENCONTRO NACIONAL

O Repositório Institucional Unesp comemorou em outubro três anos de lançamento. A iniciativa nasceu da solicitação da Fapesp para que USP, Unesp e Unicamp criassem seus repositórios institucionais para divulgar os trabalhos financiados por ela, derivando assim o Repositório da Produção Científica Cruesp [link: http://www.repositorio. cruesp.sp.gov.br/].

A experiência do repositório deu origem ao estudo “Coleta automática para povoamento de repositórios digitais: conversão de registros utilizando XSLT” [link: http://repositorio.unesp. br/handle/11449/144718], apresentado pela professora Silvana Aparecida Borsetti Gregório Vidotti, coordenadora acadêmica do projeto e docente do Câmpus de Marília, no Encontro Nacional de Pesquisa em Ciência da Informação (Enancib). O estudo foi avaliado entre os melhores do evento e será publicado no periódico Tendências em Ciência da Informação.

O Repositório tem hoje mais de 100 mil registros. Para inclusão desses registros, a Equipe Técnica do Repositório desenvolveu uma metodologia de coleta automática de dados. As coletas foram iniciadas nas bases de dados Web of Science, Scopus e Scielo, e depois ampliadas para PubMed e currículos da Plataforma Lattes.

A atual cobertura do Repositório decorre de um conjunto de metas definidas pelo seu Grupo Gestor, sob a coordenação geral das professoras Tânia Regina de Luca (Assis), Silvana Aparecida Borsetti Gregório Vidotti e Flavia Maria Bastos (CGB/ Reitoria), responsável pela coordenação executiva. Essas metas podem ser resumidas na inclusão dos seguintes materiais:

– Artigos, trabalhos e resumos apresentados em eventos indexados nas bases de dados Web of Science, Scopus, PubMed de autoria ou coautoria de pesquisadores da Unesp.

– Artigos publicados por pesquisadores da Unesp em periódicos da Scielo e em periódicos apoiados pela Pró-reitoria de Pesquisa (Prope) e pela Pró-reitoria de Extensão Universitária (Proex) da Unesp.

– Registros coletados dos currículos dos docentes na Plataforma Lattes.

– Dissertações e teses da Universidade disponíveis em formato digital.

– E-books das coleções Propg Digital, Fundação Editora Unesp, Prograd, Prope e Proex.

– Patentes produzidas por pesquisadores da Unesp.

– Em breve, serão incluídos a legislação da Unesp, relatórios Pibic/Pibiti, entre outros materiais.

Entre os principais desafios do Repositório está a integração da produção científica com o Orcid ID dos docentes da Universidade. O Orcid permite a criação de identificadores digitais únicos para pesquisadores com a garantia de que sejam reconhecidos internacionalmente pelo identificador. Com isso, os registros da produção científica de cada um dos docentes cadastrados serão inseridos nesse currículo acadêmico internacional (a base de dados do Orcid). O Repositório está analisando ainda a implementação de um sistema para auxiliar na gestão de dados científicos e na obtenção de indicadores da produção científica, como a produção por departamentos, áreas, unidades e instituições, e ainda traçar redes de colaboração entre os autores.