Notícia

QTC da ECRA online

Relembrando o Sate´lite DOVE – Mensageiro da Paz

Publicado em 16 junho 2020

Por Luiz Fernando Pesce – PU2LXN

O satélite DOVE (Oscar 17; DO-17) completará 25 anos do seu lançamento no dia 22 de janeiro de 2015. [Nota do QTC da ECRA: Este artigo foi originalmente publicado em 25/06/2014. Na data desta publicação, o DOVE já havia completado 20 anos de seu lançamento em 22/01/2020.]

O satélite DOVE (Digital Orbiting Voice Encoder), foi o primeiro satélite brasileiro lançado em 22 de janeiro de 1990 (1), antecedendo em três anos o SCD-1 do INPE, lançado em 9 de fevereiro de 1993 (2). 

DOVE (pomba em inglês) tinha fins educativos e humanitários, possuía um sintetizador de voz digital que emitia um sinal de áudio em FM com uma mensagem de Paz gravada em diferentes línguas nas vozes de mais de 3000 crianças (3). Por isso, internacionalmente, foi conhecido por Peacetalker (Anunciador da Paz) (4). 

Uma das mensagens mais emocionantes é de um rapaz vietnamita que diz: "Eu nasci e cresci em meio a uma guerra e meu desejo é o de que os povos da Terra vivam para sempre em paz" (5). 

Foram distribuídos receptores que decodificavam os sinais dos satélites em escolas e centros educacionais. Os dispositivos permitiam que crianças e adolescentes ouvissem as mensagens de paz e também tinham acesso às informações de telemetria do satélite. Com um mapa na mão podiam verificar até a posição onde o satélite se encontrava no céu (3). 

Sua originalidade devia-se ao seu tamanho, foi o primeiro microssatélite a ser construído no mundo. Media 21 x 23 x 23 cm (6) dando origem aos hoje conhecidos CubeSat (7) e ao padrão de construção de 10 x 10 x10 cm. Também emitia sinal por voz sintetizada com um sistema chamado Votrax (8). 

O projeto foi iniciativa do Dr. Junior Torres de Castro, um paulista de Botucatu (9), único ser humano a projetar, construir e ter um satélite próprio lançado ao espaço (8). 

Dr. Junior começou a se interessar por satélites quando do lançamento do Sputnik pelos soviéticos em 1957. Ele emitia bips que eram um sinal da telemetria o qual indicava o estado do satélite. Isso lhe despertou o interesse de construir um satélite que falasse com o cidadão comum na terra, num tempo onde não existiam satélites de telecomunicação ou meteorológicos, como hoje (8). 

Durante anos estudou, pesquisou e frequentou muitos congressos internacionais sobre satélites. Finalmente em 1984, deu início ao projeto do protótipo de satélite denominado Little Brick (Tijolinho) que pesava 4 kg, numa época que se costumava construir satélites do tamanho de um ônibus, utilizando-se de componentes comprados na Rua Sta. Efigênia em São Paulo (10). 

Com o protótipo pronto, passou o ano de 1988 (11) com ele debaixo do braço a visitar congressos internacionais: esteve cinco vezes na Rússia, várias vezes na França, na Alemanha e na Universidade de Surrey na Inglaterra (8). 

Em 1989 (11), em um congresso nos EUA, apresentou o Tijolinho para uma plateia de 750 cientistas internacionais deixando os presentes entusiasmados, com isso obteve permissão do governo americano de comprar os componentes, mas sempre na presença de um cientista com autorização dos órgãos governamentais. Somente com estes componentes o satélite resistiria à grande variação de temperatura e radiação e com isso funcionar no vácuo, não permitindo a evaporação dos seus componentes eletrônicos (10). 

Devido a restrições tecnológicas impostas pelo governo americano (11), o Dove pesou 12,92 kg (6), também foi obrigado a construir o satélite nos EUA, para isso alugou um laboratório em Boulder, Colorado (8).

A agência espacial americana, a NASA, se dispôs a fazer o lançamento de graça. Mas também não sabia quando poderia fazê-lo. Os franceses da Ariane Espaciale, demoraram a acreditar que um cientista brasileiro pudesse ter construído sozinho um satélite, mas lhe fereceram uma carona no foguete Ariane 4 (12). O satélite DOVE foi terminado em Caiena, na Guiana Francesa (8) base de lançamento da Ariane Espaciale. 

Após trinta e três anos de pesquisa e trabalho, o sucesso coroava essa iniciativa pioneira do Dr. Junior Torres de Castro, um dos únicos brasileiros nomeados para receber o Prêmio Nobel da Paz.
 
[Nota do QTC da ECRA: Acesse o site a seguir e veja inúmeras reportagens e registros em vídeo sobre o Junior Torres de Castro e o DOVE: https://sites.google.com/site/pu3xgs/satelites/py2bjo]
 
Referências: 
 
(1) US Strategic Command - JFCC SPACE, Space Track, disponível em: <https://www.space-track.org/#/catalog> (acesso em 23/06/2014) 
 
(2) INPE – Instituto Espacial de Pesquisas Espaciais, SCD-1 completa 20 anos. Primeiro satélite brasileiro comprova o êxito da engenharia espacial no país, disponível em:
<http://www.inpe.br/noticias/noticia.php?Cod_Noticia=3198> (acesso em 23/06/2014) 
 
(3) AERBRAS - Associação das Empresas de Radiocomunicação do Brasil, Junior Torres de Castro, disponível em: <http://aerbras.com.br/site2/public/downloads/biblioteca/junior_torres_de_castro.pdf> (acesso em 23/06/2014). 
 
(4) AMSAT NA - Radio Amateur Satellite Corporation North America. Brazil AMSAT To Build Educational Satellite With AMSAT NA. AMSAT NA News Service Bulletins, NEWS079, 19/03/1988,disponível em:
< http://cd.textfiles.com/hamradio3/news/amsat079/amsat079.txt> (acesso em 23/06/2014)

(5) Boletim Globo DX. O Anunciador da Paz, 27/01/1990. In: Malagrino – Rádio – Artigos, disponível em: <http://www.malagrino.com.br/radio/00.asp?nPag=01_001> (acesso 23/06/2014)

(6) Gunter’s Space Page, DOVE (OSCAR 17, DO 17), disponível em: <http://space.skyrocket.de/doc_sdat/dove.htm> (acesso 23/06/2014)

(7) Revista Pesquisa FAPESP. Pequenos ganham espaço, edição 219, maio 2014, pg. 17.

(8) Hübsch, Erwin. Dr. Junior Torres de Castro, Revista CQ Magazine n.1 – Novembro /Dezembro 2011, pg. 24.

(9) Wikipedia. DOVE - OSCAR 17, disponível em: <http://pt.wikipedia.org/wiki/Dove-OSCAR_17> (acesso 23/06/2014).

(10) Gândara, João Roberto; Hübsch, Erwin. CRAM TV 12 - PY2BJO, canal do Clube de Radioamadores de Americana no Youtube, disponível em: <http://www.youtube.com/watch?v=NX9zxNWulrY> (acesso 23/06/2014).

(11) Comunicação pessoal.

(12) Ivan Padilla. Brasileiro no espaço. Revista ISTOÉ, 17/04/1996, pg. 98.