Notícia

Informação em Cena

Relatos de viagens no Atlas dos Viajantes no Brasil

Publicado em 08 janeiro 2021

O Blog Informação em Cena deseja a todos e todas um excelente 2021! Continuaremos aqui, firmes e fortes, postando matérias que circundam o escopo de interesse do Blog!

Conto com você durante todo o ano!

Para começar, compartilho esta maravilhosa possibilidade de viagem promovida pela maravilhosa Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin por meio da plataforma interativa Atlas dos Viajantes no Brasil.

Lê a matéria publicada no Jornal da Ciência e corre para acessar a plataforma!

---------------------------------------------------

Projeto desenvolvido na Universidade de São Paulo facilita acesso a relatos de viagens de séculos passados

“Escolha um viajante.” Assim começa o convite para um passeio na interface da plataforma interativa Atlas dos Viajantes no Brasil, um projeto que abarca uma coleção histórica disponível na Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin da Universidade de São Paulo (USP). As viagens abrangem do Uruguai à Guiana Francesa, da costa nordestina do Brasil aos confins da Amazônia. Sobre a capital paulista, há descrições surpreendentes para os dias de hoje como esta do comerciante e mineralogista britânico John Mawe (1764-1829), datadas de outubro de 1807: “São Paulo, situada num agradável planalto, com cerca de duas milhas de extensão, é banhada, na base, por dois riachos, que, na estação das chuvas, a transformam em ilha; ligando-se ao planalto por um caminho estreito. Os riachos desembocam em largo e belo rio, o Tietê, que atravessa a cidade, numa milha de extensão, tomando a direção sudoeste”.

O Atlas dos Viajantes no Brasil foi apresentado ao público em um evento na Brasiliana em 13 de novembro por João Cardoso, curador da biblioteca, e pelo geógrafo Ian Rebelo Chaves, responsável pela elaboração dos mapas. Na ocasião, o público pode interagir com a plataforma e aprender sobre os viajantes incluídos. Segundo o curador, eles levaram em conta a diversidade em termos de nacionalidade, áreas visitadas e foco de interesse, entre outros aspectos, para definir os primeiros sete viajantes a figurar no atlas.

Em poucos cliques, na plataforma, surge o traçado percorrido pelos navegantes, entre brasileiros e estrangeiros. As narrativas estão presentes em livros, álbuns, atlas e manuscritos. Por meio deles, é possível conhecer aspectos da economia, da sociedade, da natureza e da política de séculos passados. O cotidiano da população, a rotina dos escravos, a maneira como nativos pescavam e a destreza ao se embrenhar na mata são detalhes reproduzidos nos textos selecionados do atlas.

Veja o texto na íntegra: Revista Pesquisa Fapesp

Fonte: http://www.jornaldaciencia.org.br/edicoes/?url=http://jcnoticias.jornaldaciencia.org.br/24-biblioteca-brasiliana-cria-plataforma-virtual-atlas-dos-viajantes-do-brasil/